Notícia

Braga à prova de 'grandes' trava (também) Benfica

Mar 16, 2022

O Braga já derrotara um Porto então invicto na 10ª jornada e agora derrotou um Benfica embalado em 12 jogos sem perder (11 vitórias e um empate) para o Campeonato. Os bracarenses venceram por 3-1. #PrimeiraDivisão

Na conferência de imprensa que se seguiu ao dérbi para a Taça de Portugal, Nuno Resende alertou para a dificuldade do jogo em Braga, onde o Porto perdera (3-2) e o Sporting empatara (4-4), antes de poder pensar na deslocação a Barcelos. E os receios do técnico encarnado cedo se mostraram com fundamento.

Na pretérita temporada, o Benfica vencera por tangencial 0-1 na cidade dos arcebispos, frente a um Braga então a lutar pela manutenção. Desta feita, os bracarenses lutam por um lugar no play-off e Vítor Hugo - que representou as águias entre 2006 e 2009 - adiantou a equipa de Tó Neves logo aos três minutos e meio.

Obrigados a ir atrás do resultado, os encarnados não conseguiam desmontar o esquema táctico do Braga, e seriam mesmo os bracarenses a ampliar, a sete minutos do intervalo, pelo capitão Gonçalo Meira. Pedro Henriques evitou que a desvantagem no fim de uma primeira parte com poucas faltas (três para o Benfica e uma para o Braga) fosse ainda maior ao defender uma grande penalidade de Vítor Hugo.

Na etapa complementar, entre as tentativas de ataques rápidos do Benfica e as respostas em velocidade do Braga, o jogo estava partido e com iminência de golo em qualquer uma das balizas, que Leonardo Pais e Pedro Henriques fechavam com tranquilidade.

Nenhum dos três grandes do futebol venceu em Braga. Porto e Benfica perderam e o Sporting, menos mal, conseguiu um ponto...

Os dois guarda-redes chamados, pelo então pelo seleccionador Rui Neto, à Taça Latina de 2012, sobreviveram ao louco início da segunda parte e, com o passar dos minutos, o Braga apostava cada vez mais na defesa da vantagem. Fechados, impediam que Leonardo Pais, que estará de saída para o Montebello no defeso, fosse chamado a intervenções de maior dificuldade, mas, aos 14 minutos, seriam surpreendidos por um passe tenso de Lucas Ordoñez ao segundo poste, onde surgiu Pablo Alvarez a encostar com oportunidade para o 2-1.

O Benfica carregava, mas os remates não saíam com a direcção certa. Ao Braga exigia-se o acerto, tranquilidade e entrega que já demonstrara frente ao Porto, travando uma série de nove vitórias consecutivas dos dragões no arranque do campeonato. E os pupilos de Tó Neves cumpriram perante um Benfica sem soluções nem eficácia no ataque.

No tudo por tudo, já sem Pedro Henriques para "o cinco para quatro", houve falta para livre directo - com azul a Edu Lamas - favorável ao Braga a sete segundos do final. Vítor Hugo não transformou em golo, mas "queimou" preciosos segundos e, já sobre a "buzina", houve grande penalidade. Pedro Mendes não perdoou e selou o triunfo por 3-1.

Com todas as equipas com 20 jogos realizados, o calendário está agora certo. Mas tal não durará. Previsto para o próximo fim-de-semana, o embate entre Tomar e Valongo - a par na classificação, com 33 pontos - foi adiado para 15 de Abril, Sexta-Feira Santa. Na perseguição às duas equipas da Liga Europeia, o Braga soma agora 29 pontos no 8º lugar, com cinco de vantagem sobre o Paço de Arcos. Na luta pelo melhor lugar possível, o Benfica é 4º, com 43 pontos, atrás de Porto (49), Óquei de Barcelos (48) e Sporting (44) e à frente da Oliveirense (41).

No próximo fim-de-semana, o Braga joga em Oliveira de Azeméis e o Benfica em Barcelos.

Classificação

1º Porto (49 pontos), 2º Óquei de Barcelos (48), 3º Sporting (44), 4º Benfica (43), 5º Oliveirense (41), 6º Valongo (33), 7º Tomar (33), 8º Braga (29), 9º Paço de Arcos (24), 10º Juventude de Viana (17), 11º Sanjoanense (13), 12º Parede (13), 13º Marinhense (12), 14º Turquel (9)

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade