Notícia

Um anel em cada dedo de uma mão cheia de candidatos

Mar 18, 2022

Em Portugal, há cinco troféus oficiais possíveis para as equipas da categoria máxima e Oliveirense, Porto, Benfica, Sporting e Óquei de Barcelos detêm um cada. A Taça de Portugal pode desequilibrar as contas. Ou não...

A oficialização da Elite Cup por parte da Federação de Patinagem de Portugal (FPP) elevou para cinco o número de provas oficiais sob a sua tutela com equipas da categoria máxima (I Divisão). Um ano antes, fora instituída a quarta, a Taça 1947, alargando o leque de troféus possíveis a um leque, também ele alargado, de candidatos a conquistas.

O campeonato português de Hóquei em Patins é um dos campeonatos - independentemente da modalidade - mais competitivos do Mundo. Na pretérita temporada, houve cinco assumidos candidatos ao título. Esta época, Oliveirense e Óquei de Barcelos estão mais comedidos no discurso - vingando o popular "jogo a jogo" -, mas tão ambiciosos como Benfica, Porto ou Sporting.

Na Final Four da Taça de Portugal, em Paredes a 8 e 9 de Abril, estarão quatro destes emblemas, faltando apenas os leões à chamada, depois do afastamento às mãos do Benfica nos quartos-de-final. E um inusitado equilíbrio de vencedores pode ser quebrado. É que, neste momento, cada um destes cinco candidatos tem um troféu na sua posse.

Uma mão cheia de detentores

A 2 de Junho de 2019, em Oliveira de Azeméis, a Oliveirense conquistava a quarta Taça de Portugal do seu historial, ao bater na final o Benfica por 5-2. Ninguém imaginava que a prova cairia, às mãos da pandemia, nas duas temporadas que se seguiram, e a prova é agora a primeira a colocar o seu detentor à prova.

Em 2019, o Porto vencera o Campeonato Nacional e, assim, disputaria a Supertaça António Livramento com a Oliveirense, em Coimbra. A 5 de Outubro, os dragões venceram a equipa de Oliveira de Azeméis por 6-4, conquistando o troféu pela 23ª vez em 37 edições. Sem entrega da Taça em 2020 e 2021, a Supertaça só deverá voltar a disputar-se no arranque da próxima época.

Em 2020, depois do cancelamento de Campeonato Nacional e Taça de Portugal - e, consequentemente, sem Supertaça - o único troféu entregue seria a novel Taça 1947. Sem público (pelas restrições sanitárias) nem Porto (a contas com um surto), a 13 de Dezembro, no desempate por grandes penalidades, o Benfica levou a melhor sobre o Sporting no Luso. Após um empate a três no fim do tempo regulamentar, as águias venceram por 3-2 na "lotaria", para aquela que é a única prova nacional conquistada desde que lograram o título de campeão em 2016.

Nessa mesma temporada de 2020/21, recompondo-se da "desfeita" na Taça 1947, o Sporting conquistaria o seu nono título de campeão, triunfando na final do play-off com três vitórias contra uma do Porto. A festa leonina aconteceu a 20 de Junho de 2021, com um 6-5 em pleno Dragão Arena.

Com um troféu para cada uma das maiores potencias económicas do apelidado "Melhor Campeonato do Mundo", a FPP oficializou a Elite Cup que já contava com quatro edições oficiosas, mas que não se realizara em 2020. Quiçá para desempatar. Só que não.

No arranque da presente temporada, em Tomar, o arisco e irreverente Óquei de Barcelos, que já prometera intrometer-se nas discussões pelos troféus, cumpriu, e, a 12 de Setembro, venceria o Porto por 6-3 na decisiva partida, regressando às conquistas nacionais 17 anos depois.

Agora, na Final Four da Taça de Paredes, a Oliveirense procurará segurar o troféu que detém, mas Benfica, Óquei de Barcelos e Porto são legítimos pretendentes a ter na sua posse um segundo troféu, desequilibrando este quantitativo "equilíbrio de forças".

O sorteio das meias-finais realiza-se na próxima terça-feira, dia 22.

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade