Notícia

Luta a três pela III: Benfica 'B'

Apr 26, 2014

Entre os candidatos ao título da III Divisão, o Benfica ‘B’ foi o mais dominador. Na Zona Sul, terminaram com apenas uma derrota (frente ao segundo classificado, Vasco da Gama), marcaram 213 golos e sofreram 53. Foram quase 12 golos marcados por partida, o que diz muito do pendor ofensivo da formação de Jorge Godinho. O mais certeiro acabou por ser João Sardo, com 38 golos, num plantel em que Diogo Neves ou Guilherme Silva são presenças assíduas na equipa principal.

“Vencemos na outra fase a Zona Sul com todo o mérito”, frisa Jorge Godinho, bicampeão nacional de juniores, campeão nacional de juvenis e que agora persegue mais um título. “Estamos com alguns problemas em termos de calendarização devido ao nacional de juniores mas, com esforço e com querer, vamos arranjar maneira de conseguirmos ganhar este campeonato”, revela ao HóqueiPT.

Para Jorge Godinho este seria um título ímpar na sua carreira de treinador mas que já esteve perto de conquistar em 2009/10 ao serviço d’Os Tigres. Entrou a meio da época, já tarde. “Não consegui o título da terceira mas não foi por demérito nosso. Desde que eu entrei ganhámos os jogos todos, já não fomos foi a tempo”, recorda. Mas este não será mais importante do que os outros. “É mais um título. Já fui campeão da II, juvenis, juniores, só me falta o da terceira e o da primeira… mas isso só lá mais para a frente”, graceja.

Com as cores do Benfica, a vitória está sempre no pensamento e o grupo que orienta conta com muitos campeões nos escalões jovens. “Ganhámos em juvenis, juniores e agora optámos por entrar na terceira para dar mais rodagem aos miúdos. No final da época, se não se ganhar nada, fica qualquer coisa a moer cá dentro e chateia”, confessa.

Jorge Godinho debate-se na equipa ‘B’ com o calendário do Nacional de Juniores mas também com o da equipa principal. “Por exemplo, hoje foi o Diogo Neves que foi convocado para a Mealhada, mas não está o Diogo, estão outros. Temos o Sardo, o Pedro Martins, temos o Xanoca, e eles têm de perceber que é a equipa que ganha os jogos, que ganha o campeonato e não um ou outro jogador”, ressalva.

Na disputa pelo título nacional da III, passa a pressão para o lado do Valença. “Vamos assumir que está tudo muito equilibrado mas, devido também ao resultado do jogo da Taça do Valença com o Porto, toda a gente pensa que será o Valença o principal favorito”, afirma. E reforça. “O Valença é mesmo capaz de ser o maior candidato. Tem lá jogadores que já passaram pelo Benfica, casos do Tomba e do Micha”, sublinha.

“Se conseguirmos vencer, tudo bem, será mérito dos miúdos. Se não conseguirmos temos também aí o nacional de juniores, que vai entrar numa fase decisiva, e para aí é que as baterias têm de estar apontadas”, conclui.

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade