Opinião

Ganhar no presente, de olhos postos no futuro

May 15, 2015
Pedro Santos

Pedro Santos é responsável técnico do projecto HóqueiPT. Escreve com a distância e a perspectiva de um adepto de bancada que nunca calçou patins mas sempre na divulgação e defesa convicta da modalidade e dos seus interpretes.

Com apenas uma jornada por realizar e só mais o fim-de-semana da Taça de Portugal pela frente a nível de clubes, já há diversas movimentações de jogadores a registar para a próxima época. Como heróis, defendem a camisola que sabem deixar de ser sua a breve trecho. Entre os aqui referidos, do jogador mais novo, Alvarinho, ao mais velho, Luís Viana e até ao treinador Tó Neves, todos pautaram a sua carreira – mais curta ou mais longa – pela férrea vontade de vencer, granjeando reconhecimento de pares e adversários.

Na jornada anterior, Os Tigres receberam a Juventude de Viana e muito se falou da ida de Francisco Veludo para os vianenses e de um potencial conflito de interesses. Mas a verdade é que, à parte de poder subir um lugar, o Viana pouco de relevante tinha a ganhar com a vitória, que acabou por acontecer.

Nesta derradeira jornada, em que tudo tem de ficar decidido, há mais alguns jogadores colocados numa posição ingrata aos olhos escrutinadores e à memória curta de alguns adeptos por já terem, por mérito e atempadamente, resolvido o seu futuro. Em particular entre os clubes que estão na luta pela Liga Europeia.

Luís Viana e Centeno vão ser leões na próxima temporada

O caso mais “ingrato” acontece em Viana. Com a luta pelos dois lugares na Liga Europeia ao rubro, vão alinhar pela equipa de Pedro Sampaio dois jogadores cujos patins poucos deveriam querer calçar neste último jogo. De malas aviadas para o Livramento, André Centeno e Luís Viana vão defrontar o seu futuro clube. Se oferecerem na despedida uma vitória ao público que os acarinhou, falharão a presença na Liga Europeia na próxima época. Também na Juventude, mas com uma “motivação” distinta, o guarda-redes Leonardo Pais pode, vencendo o Sporting, colocar a equipa que defenderá na próxima temporada (Valongo) na Liga Europeia.

Ingrata, mas não tanto, será também a prestação de João Souto e Domingos Pinho no Dragão Caixa. O aguerrido atacante lutará por uma vitória do Valongo frente ao seu ex-clube, FC Porto, a torcer por uma vitória do seu próximo, a Oliveirense. Mas, se a Oliveirense fizer a sua parte (ganhar), Souto marcará sempre, independentemente dos outros resultados, presença entre os maiores da Europa, tal como o guardião Domingos Pinho, que regressará a Oliveira de Azeméis.

João Souto, do Valongo para a Oliveirense

Ainda no Dragão Caixa, quem também torcerá “por fora” por uma vitória da Oliveirense são Pedro Moreira, Caio e Barreiros (e também o treinador Tó Neves) que, sem nada em jogo para o Porto, podem aumentar as hipóteses da sua futura equipa se derrotarem o Valongo.

Também a torcer “por fora”, mas “contra” estes dragões, estará Reinaldo Ventura. O capitão portista vai reforçar o Barcelos e já desejará certamente a vitória da sua futura equipa em Oliveira de Azeméis, onde Ruben Pereira – reforço do Valongo – estará com os ouvidos no Dragão.

Barreiros, Tó Neves e Pedro Moreira partilharão outro banco na próxima época

Nada ingrata – e até confortável – será a posição de Telmo Pinto e Alvarinho. Os dois jogadores do Valongo vão até ao Dragão tentar a vitória frente ao seu futuro emblema. Com pouco em jogo para o Porto (se se conseguir ignorar o enorme brio dos seus jogadores), esta será uma excelente oportunidade para os dois jovens se mostrarem e cativarem os adeptos que os aplaudirão para o ano, tentando três pontos que colocam, desde logo e sem ter de contar com terceiros, o Valongo de novo na Liga Europeia. Dificilmente haverá melhor definição para “juntar o útil ao agradável”.

As partidas têm todas início à mesma hora (18h) e os jogadores não terão tempo - nem certamente disposição - para se preocuparem com mais nada além do seu próprio jogo. Vem sempre primeiro a vontade de vencer. Depois, após o apito final, chegará a curiosidade pelos outros resultados.

André Centeno, Luís Viana, Leonardo Pais, João Souto, Domingos Pinho, Ricardo Barreiros, Caio, Pedro Moreira, Tó Neves, Reinaldo Ventura, Ruben Pereira, Telmo Pinto e Álvaro Morais são craques por vocação. E heróis de profissão.

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade