Notícia

Sporting e Benfica com Dérbi até ao fim

Jun 11, 2022

O Benfica esteve a perder por 1-3, mas, 'levado' por Lucas Ordoñez, venceu o quarto jogo frente ao Sporting e o Dérbi das meias-finais só será resolvido numa quinta partida, a 'negra', este domingo no João Rocha. #PrimeiraDivisão

Vai haver dérbi nas meias-finais até ao fim.

Sob o olhar atento do seleccionador espanhol Guillem Cabestany, já a preparar o Mundial, Benfica e Sporting protagonizaram mais um jogo emotivo, com a vitória a voltar a sorrir à casa. As águias venceram por 5-3.

O Benfica esteve aquém das expectativas no João Rocha, no jogo três, e voltou a não entrar bem nesta quarta partida que tinha obrigatoriamente de vencer. Mas, enquanto o Sporting entrava determinado, a impôr velocidade, o Benfica entrava a marcar... Aos dois minutos, no seu primeiro ataque, as águias inauguravam o marcador por Lucas Ordoñez.

Os leões mantiveram a sua toada, obrigaram Nuno Resende a pedir um desconto de tempo logo aos quatro minutos, e chegariam aos cinco a um golo que se adivinhava, com Gonzalo Romero a rematar forte para bater Pedro Henriques.

Rodando todos os jogadores de pista, o Benfica tentava contrariar um Sporting que - ainda sem Henrique Magalhães, a cumprir o segundo e último jogo de castigo - era mais dinâmico, mas rodava apenas com dois jogadores do banco.

Aos 15 minutos, celebrava-se num remate de Alessandro Verona, mas o golo não foi validado. Bem, reconheceria Paulo Freitas, que veria a sua equipa, em claro ascendente, chegar a um tento validado três minutos depois, por João Souto, para uma vantagem que, tangencial, era "simpática" para o Benfica.

Não podendo perder para não acabar desde logo a época, o Benfica até logrou forçar a 10ª falta com poucos segundos jogados na segunda parte. Mas Lucas Ordoñez não conseguiu bater Ângelo Girão e, ao quarto minuto, Alessandro Verona surgia solto de marcação sobre a direita para fazer o 1-3.

O jogo e a eliminatória pendiam claramente para o lado verde-e-branco, mas Carlos Nicolia entrou para agitar o jogo. Minuto e meio volvido, arrancava azul a Ferran Font e, num livre directo que não conseguiu converter, ficou a pedir grande penalidade. O jogo aquecia e puxava por um público que não parou de puxar pelas águias e que vincava o tal "factor casa" que tem funcionado nesta série entre os velhos rivais.

Instantes depois do primeiro azul, também Platero veria o azul e, na segunda oportunidade, Nicolia não desperdiçou, reduzindo para a diferença mínima.

Com o duplo azul, o Benfica continuava em vantagem numérica em pista, mas condicionado na sua pressão por nove faltas. Desperdiçada a vantagem numérica, cairia aos 10 minutos a 10ª falta encarnada, sem que Ferran Font conseguisse desfeitear Pedro Henriques. O jogo estava intenso, veloz, nem sempre regrado pela táctica, mas com muita emoção.

Adivinhava-se um golo para qualquer um dos lados e acabou por surgir de forma quase fortuita. Aos 13 minutos e meio, acabado de regressar à pista, Lucas Ordoñez recebeu na linha divisória e "enrolou" na direcção da baliza de Girão que, com muita gente à sua frente, foi surpreendido. "Lukitas" já estivera em destaque na primeira parte, fosse a atacar, fosse a defender, sendo claramente o jogador mais inconformado nas águias. E agora juntava mais golos à sua exibição. Apenas minuto e meio depois da igualdade, foi assinalada grande penalidade sobre Pablo Álvarez e Lucas não desperdiçou para um hat-trick que selava a reviravolta no marcador.

Na desejada vantagem, o Benfica soube conter a reacção do Sporting sem baixar demasiado as suas linhas e com posse. Na sua pressão, a equipa de Paulo Freitas chegaria à 15ª falta a três minutos do fim, mas continuaria "viva" depois de Nicolia não conseguir voltar a bater Girão. E voltou a sobreviver a nova bola parada - a sétima da etapa complementar, com seis para o Benfica - numa grande penalidade já no último minuto.

No tudo por tudo leonino, sem Girão na baliza, a equipa de Nuno Resende foi eficaz a defender e Diogo Rafael rematou para a baliza deserta para o 5-3 final.

Como há um ano, o Benfica vai à "negra" na meia-final. Então, com um ordenamento diferente de jogos e sem público nas bancadas (a minorar o "factor casa"), as águias venceram duas partidas no Dragão Arena, mas - a uma vitória da final - perderiam depois duas vezes na Luz. Na decisiva quinta partida, perderam no Dragão e o Porto avançaria para a final, onde defrontaria um Sporting que resolveu as "meias" em três jogos.

Desta feita, é o Porto que aguarda adversário, que será conhecido, sim ou sim, este domingo a partir das 18h30.

Meias-finais

Porto 8-4 Óquei de Barcelos • 28.Mai • 1-0

Sporting 4-3 Benfica (2-2, 2-1 pen.) • 29.Mai • 1-0

Benfica 3-2 Sporting • 4.Jun • 1-1

• Óquei de Barcelos 2-5 Porto • 4.Jun • 0-2

Porto 4-2 Óquei de Barcelos • 7.Jun • 3-0

Sporting 4-2 Benfica • 7.Jun • 2-1

Benfica 5-3 Sporting • 10.Jun • 2-2

• Sporting vs. Benfica • 12.Jun • 18h30

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade