Notícia

Bembibre foi tocado por 'Midas' Figueroa, mas terá paciência

Jul 14, 2022

Foto de capa: Rodo López

O Bembibre assegurou a subida à OK Liga, mas abdicou para consolidar o seu projecto feminino. O desconhecido emblema, numa terra sem tradição, esteve às ordens do mítico Carlos Figueroa e contou com os golos da também mítica Pia Sarmiento. #OkLigaPlataFem

Bembibre dista menos de 200 km de Bragança e está longe dos grandes centros de Hóquei em Patins de Espanha. Carla e Álvaro Sariol, fundadores do APG Bierzo, inscritos na insuspeita federação de Castela e Leão, foram audazes - como o pai Toni Sariol, promotor do Hóquei em Patins num sítio sem tradição - e fizeram 300 km até Finisterra, onde se "exilou" um dos melhores treinadores de todos os tempos e desafiaram-no. E Carlos Figueroa aceitou.

Natural de Sevilha, também pouco conhecida pelo Hóquei em Patins, Figueroa, agora com 66 anos, mudou o Hóquei em Patins. Fez escola. Há um antes e um depois do treinador que conduziu o Igualada à conquista de três campeonatos e três Ligas Europeias entre 1990 e 1995 e o Barcelona a seis Ligas Europeias e nove campeonatos entre 1995 e 2005.

Já completamente consagrado, aceitou o desafio do Sitges em 2007/08 e venceu a "Primera División", segunda divisão na altura em Espanha. E não resistiu a outro reto, do Reus, em 2008/09, conquistando a Liga Europeia, a sétima da história dos "rojinegros", 37 anos depois da anterior. Era a 10ª de Figueroa.

Carlos Figueroa ainda treinaria o Vilanova, no feminino, e o Vic, mas tinha conquistado tudo, não tinha mais nada a provar. E partiu da oriental Catalunha para o ponto mais ocidental de Espanha, o fim do Mundo, o fim da terra. Finisterra. Para pescar, reza a lenda.

Figueroa para além do esperado...

Perante o desafio, Figueroa mudou-se para a comarca de Bierzo para dinamizar o Hóquei em Patins local, nomeadamente o feminino. Entrou na OK Liga Plata que um financeiramente robusto Fraga, com a portuguesa Beatriz Pereira Várzeas, viria a vencer com 26 vitórias em outros tantos jogos, 180 golos marcados (só Jimena Ortiz marcou 53...) e 27 sofridos. O Bembibre de Figueroa foi um inesperado segundo.

Nas "dores de crescimento", o imberbe Bembibre perdeu na estreia na prova, fora de portas, e voltou a perder à terceira jornada, na segunda deslocação. Mas, quem teve Figueroa ficou sempre mais perto de ganhar e, às ordens do treinador sevilhano, o Bembibre só voltaria a perder com o dominante Fraga e em Alcobendas.

Entre as mais chamadas por Figueroa contam-se Ana Vega, que começou a época com 15 anos, Iratxe Olano, Julia Rodriguez ou a guarda-redes Ariana Garcia, de 14, ou Sara Merayo, de 13, e que apontou 14 golos na campanha.

Num grupo pautado pelas jovens locais, foram determinantes as colombianas Maria Jose Giraldo, guarda-redes, e Sofia Ramirez, que somou 35 golos. Mas também a argentina Pia Sarmiento.

Nome estelar da modalidade, campeã do Mundo em 2004 e 2010, Pia chegou a assumir (transitoriamente) as rédeas da albiceleste feminina em 2021. Mas, desafiada por Figueroa, mostrou que, aos 35 anos, ainda mantinha a magia e eficácia no stick.

Pia Sarmiento fora a capitã de Carlos Figueroa no Vilanova e chegou ao Bembibre em Fevereiro para "apenas" 15 jogos... e números extraordinários. Nestes 15 jogos, Pia marcou em todos os jogos, só em duas partidas marcou um tento solitário, e contribuiu com um total de 34 golos para 13 vitórias, só não sendo o Bembibre capaz de bater o tal "gigante" Fraga.

Outro Bembibre

A subida à OK Liga era um sonho tido como praticamente impossível, mas realizou-se. No entanto, o emblema de parcos recursos e distante geograficamente de todos os outros, foi sóbrio, abdicando da presença na mais competitiva liga feminina do Mundo.

A vaga na será ocupada pelo Mataró (que tinha sido relegado), e em Bembibre nasce um "novo" clube, o Bembibre Hockey Club, presidido por Roberto Carlos Martinez, delegado da equipa de Figueroa na mágica época finda. No fundamental, será o mesmo clube, ainda que com cores e símbolo diferente, e de aposta reforçada na identidade local. A guarda-redes Maria Jose Giraldo ("Majo") já renovou, esperando-se a transição de praticamente quase todas as atletas a "nova" equipa.

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade