Notícia

As reacções no final

May 25, 2015

Após o derradeiro apito da dupla de arbitragem no jogo que decidiu o vencedor da Taça, as emoções e o estado de espírito das duas equipas eram naturalmente díspares.

O Sporting abandonou o rinque assim que foi dada como terminada a partida, não tendo inclusivamente comparecido ninguém do clube leonino à conferência de imprensa. Na sala definida para o efeito compareceu primeiro perante os jornalistas o capitão encarnado Valter Neves (de quem o HóqueiPT acabaria por não conseguir registo), com a intervenção de Pedro Nunes a ser adiada alguns minutos por motivos de segurança.

O treinador dos encarnados revelou-se orgulhoso com a dobradinha e fez questão de enaltecer a postura de Miguel Rocha – que se ofereceu para equipar à guarda-redes após a expulsão de Pedro Henriques – e de sublinhar a evolução do Sporting ao longo da época. Sobre o momento mais quente ao intervalo, escusou-se a comentar, apelidando a decisão da dupla de arbitragem de “salomónica”.

Em pista

Como acontece nas finais das grandes competições, foi possível ainda em pista - e antes da conferência de imprensa formal - recolher as palavras dos vencedores. O guarda-redes catalão Guillem Trabal, que conquistou a sua segunda Taça de Portugal em duas épocas, reconheceu dificuldades. “Era uma final, contra uma grande equipa, uma equipa que quis chegar viva até ao fim com um resultado muito próximo, e conseguiu”, referiu. “Em particular pelo excelente jogo que fez o Girão, que sem dúvida foi o melhor jogador da sua equipa”, vincou, num declarado elogio ao seu homólogo de posição.

Já em vídeo, ficam também as palavras do vice-presidente para as modalidades, Domingos Almeida Lima, do presidente da secção de hóquei em patins, José Trindade, e dos jogadores João Rodrigues e Diogo Rafael.

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade