Notícia

Luis Viana, melhor marcador, leva golos para o Leão

Jun 05, 2015

Luís Viana é sinónimo de golos. Tem sido assim ao longo dos anos e não aparenta abrandar.

A menos de um mês de completar 39 primaveras, aquele a quem muitos apelidam de “velho” há alguns anos, continua a marcar. Esta época, pelas contas da Federação de Patinagem de Portugal, foram 66 golos só no Nacional da I Divisão, mais 18 do que o segundo mais certeiro, João Rodrigues do Benfica.

Este ano, a festejar um de mais de seis dezenas de golos

Luís Viana surgiu entre a elite do hóquei português em 1995, no Óquei de Barcelos, onde ficou até 2001 e onde regressaria em 2003 depois de duas épocas em muito boa companhia no Infante Sagres (entre outros, com os campeões do Mundo Teixidó, Masoliver e Gil). Em 2005 rumou a Itália, ao Bassano, onde permaneceu até 2008.

Fazendo de penaltis, livres directos e picadinhas a sua imagem de marca, regressou a Portugal e à “sua” Juventude de Viana em 2008, para uma equipa com um forte investimento do malogrado António Longarito. As boas prestações da equipa e, em particular, do atacante convenceram o Benfica, que o contratou em 2010 para uma epopeia que culminou no título europeu de clubes em 2013.

Último jogo na Luz (com o Sporting) teve despedida emocionada

No final de 2012/13, os encarnados não renovaram com o vianense, que voltou a casa para um anunciado ocaso. Mas para “Zorro” ainda não era a hora de baixar os braços. Melhor marcador do Nacional maior nas duas épocas em que trajou de laranja, devolvem-no (se é que alguma vez de lá saiu) à alta-roda do hóquei patinado, para se apresentar na nova temporada de leão ao peito.

Campeão do Mundo em 2003, Luís Viana esteve na selecção no Europeu de Alcobendas em 2014. Houve críticas para a sua chamada em virtude dos seus 38 anos para depois as vozes críticas recaírem na sua não utilização em algumas situações de bola parada. Este ano foi preterido para o Mundial no que poderá significar o fim de ciclo com as cores lusas.

A última presença na Selecção, num derby ibérico

De verde-e-branco

Luís Viana era uma pretensão antiga do Sporting e na próxima temporada será realidade. O profícuo dianteiro é aposta do projecto leonino com o seu companheiro da Juventude de Viana, André Centeno, e os ex-companheiros de Benfica e Bassano, Estebán Abalos e Cacau. No Sporting, Luís Viana irá reencontrar também João Pinto, seu municiador na temporada 2013/14 em Viana.

A integração poderá obrigar a uma mudança no “ADN” que Nuno Lopes incutiu no último terço da época, com um bloco defensivo coeso que valeria a conquista da Taça CERS e a presença na final da Taça de Portugal, adoptando os leões uma postura mais ofensiva. O Sporting terminou o último campeonato em quinto, com 100 golos, menos 28 do que a Juventude de Viana, sétima mas com o quarto melhor ataque do campeonato. Luís Viana marcou mais de metade dos golos dos vianenses…

Com João Pinto, na Juventude de Viana
Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade