Entrevista

«É um projecto de vida»

Aug 15, 2015

Hugo Gaidão vai rumar à Alemanha para assumir o cargo de treinador do Darmstadt e esteve à conversa com o HóqueiPT no seu estilo frontal e sem rodeios.

Hugo Gaidão, com um apelido marcante no hóquei em patins, nasceu para a modalidade na Juventude Salesiana e, sempre sob a influência do Padre Miguel Barros, abraçou cedo – aos 26 anos – a carreira de treinador e deu o salto para o Sintra.

Tendo logrado uma subida histórica para os sintrenses – a última do clube que agora passa por dificuldades – Gaidão prosseguiu a sua carreira, marcada também por sobressaltos. Pese recordar com entusiasmo os anos passados no Cascais, o clube sucumbiu às dificuldades financeiras. Também em Almeirim se confrontaria com dificuldades económicas, mas nada que o preparasse para esta época no Candelária…

Antes de rumar ao Pico, Hugo Gaidão esteve no Sporting. O outrora gigante da modalidade estava ainda adormecido e acabaria por começar a despertar escassos meses após o pedido de demissão do técnico que seria substituído no cargo por Nuno Lopes.

Agora chegou a hora de embarcar para uma aventura além-fronteira, na Alemanha. Gorada a possibilidade há um ano, tendo optado pelo Candelária, Gaidão não deixou escapar novamente a oportunidade de partir para outro estilo de hóquei em patins, outras mentalidades… outra vida.

A fechar, Hugo Gaidão falou do seu sonho. Muito difícil de concretizar, como devem ser os sonhos. O treinador sonha orientar o seu clube do coração. Benfica? Sporting? Porto? Não, ainda mais difícil… Os Belenenses. Clube que está sem hóquei em patins desde que a modalidade foi suspensa em 1990. Mais perto estará o comando técnico da selecção germânica, a que Gaidão pisca o olho…

O HóqueiPT vai procurar acompanhar a carreira do treinador em solo germânico, trazendo um pouco da realidade que o técnico vai encontrar até aos seus leitores.

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade