Empate chegou ao cair do pano, sem luvas

Empate chegou ao cair do pano, sem luvas

Oliveirense e Benfica empataram a quatro bolas, com o derradeiro golo a surgir no último instante do jogo.

Esperava-se uma excelente partida entre Oliveirense (4º) e Benfica (1º) e os protagonistas não defraudaram o muito público presente e a assistir através da televisão.

Carlos López reencontrou ex-companheiros
Carlos López reencontrou ex-companheiros

Os pupilos de Tó Neves vinham de duas derrotas – as duas primeiras - para o campeonato, mas entraram melhor e aos oito minutos já venciam por 2-0, com golos de Carlos López e Pedro Moreira.

O Benfica procurava reagir mas a sólida defensiva da Oliveirense, com Ricardo Barreiros a assumir um papel decisivo, não permitia grandes veleidades. Ainda assim, os encarnados chegaram ao empate antes do intervalo.

Albert Casanovas assinou um tento de belo efeito
Albert Casanovas assinou um tento de belo efeito

Nicolía marcou o primeiro numa altura em que o Benfica acelerava e a Oliveirense era penalizada com sucessivas faltas de equipa. A sete minutos e meio, a equipa de Oliveira de Azeméis chegou à 10ª falta. Nicolía não conseguiu transformar, mas marcaria Adroher, um minuto depois, após azul a Ricardo Barreiros e depois de Casanovas ter perdido uma soberana oportunidade também de livre directo.

Com 2-2 no marcador e muito contestação à equipa de arbitragem pela Oliveirense, a partida estava lançada para uma segunda parte prometedora.

Ricardo Barreiros foi preponderante defensivamente; e marcou um golo
Ricardo Barreiros foi preponderante defensivamente; e marcou um golo

A Oliveirense – com um grupo que não consegue manter a frescura física como o Benfica – aproveitou o descanso para regressar novamente mais forte. E, tal como na primeira parte, mas em nove minutos, a Oliveirense voltou a marcar por duas vezes. Primeiro por Albert Casanovas num golo de belo efeito e depois por Ricardo Barreiros, num remate forte de meia distância.

Mais uma vez, o Benfica tinha a hercúlea tarefa de recuperar dois golos. Mas nunca baixou os braços.

Marc Torra reduziu para a diferença mínima
Marc Torra reduziu para a diferença mínima

Os minutos iam passando e a Oliveirense controlava a vontade encarnada de chegar ao golo. No entanto, a sete minutos e meio do final, Marc Torra reduziu de grande penalidade para a margem mínima que alimentava a esperança de evitar a derrota.

As equipas somavam faltas e “empataram” a uma falta para o livre directo. Caiu para o lado da Oliveirense, depois de Diogo Rafael cometer a 10ª falta encarnada.

Falava jogar pouco mais de um minuto e João Souto podia pôr um ponto final na questão do vencedor. Não conseguiu bater Trabal e o guarda-redes catalão seria mesmo protagonista no derradeiro minuto.

Trabal foi mais defesa do que guarda-redes nos últimos minutos
Trabal foi mais defesa do que guarda-redes nos últimos minutos

Já a jogar em pé a meio da sua meia-pista, ajudando a pressionar o adversário, viu uma falta sobre a esquerda a dois segundos do derradeiro apito. “Correu” para o seu banco a gritar por Miguel Rocha e praticamente “obrigou” o jovem encarnado – que já jogou pela Oliveirense – a entrar em rinque, sem tempo de calçar as luvas quando já esperava pelo fim do jogo.

Mesmo sem luvas, Rocha beneficiou do ataque em 5x4, recebeu a bola e, da zona central, rematou rasteiro para o empate a quatro... sobre o apito do final do tempo.

Miguel Rocha arma o derradeiro remate da partida
Miguel Rocha arma o derradeiro remate da partida

O Benfica evitou a derrota mas não que o Porto, agora segundo, se aproximasse. A Oliveirense também viu os perseguidores aproximarem-se, tendo agora apenas uma vantagem de quatro pontos sobre o quinto, Sporting.

No final do jogo, Tó Neves, muito agastado com a arbitragem, preferiu não falar.

Já Pedro Nunes reconheceu valor ao adversário e congratulou-se pelo empate... melhor que a derrota.

O técnico encarnado aproveitou para deixar recado sobre a onda de contratações que tem assolado o campeonato nacional. O Benfica está contente com os jogadores que tem e aponta a ser campeão... não na próxima, mas já esta época.

Partilhe

Facebook Twitter AddToAny
Outros artigos do dia