Taça é do Porto

O Porto conquistou a Taça de Portugal ao vencer o Benfica por claros 1-5. Gonçalo Alves, novamente decisivo, assinou um hat-trick perante umas águias sem soluções no ataque.

Taça é do Porto

O Porto conquistou a Taça de Portugal pela 18ª vez na história da competição, naquele que é o 5º triunfo nas últimas oito edições concluídas. A vitória sobre o Benfica, na 12ª final entre as duas equipas, foi por número que não deixam dúvidas quanto à eficácia azul-e-branca.

Pese bilhetes a preços que ignoram o regulamentado e definido pela própria federação, o Multiusos de Paredes tinha lotação esgotada, mas estava longe de estar cheio.

Cedo, o Porto chegou à vantagem, ainda não estavam cumpridos três minutos, com Gonçalo Alves a marcar perante a apatia - motivada pelo apito de João Duarte, reclamou-se - dos adversários. E os encarnados voltaram a sentir as "dores" de terem de ir atrás do resultado.

Foi um Benfica a mostrar poucas soluções em ataque para desequilibrar a teia defensiva urdida por Ricardo Ares e nem de livre directo, por Lucas Ordoñez aos 14 minutos, nem na vantagem numérica que se seguiu (Mena vira azul), lograram igualar.

No arranque da segunda parte, novamente no terceiro minuto, Gonçalo Alves voltou a marcar. De grande penalidade, o goleador azul-e-branco voltou a mostrar o acerto da véspera e ampliou.

Carlos Nicolia ainda reduziu a meio desta segunda parte, de livre directo depois de azul a Reinaldo Garcia, mas a resposta foi pronta, com Xavi Barroso a repôr a vantagem de dois golos um minuto volvido. Mal deu para os encarnados se motivarem com o golo marcado, e as soluções continuavam a faltar.

Sem soluções e com pouca agressividade, o Benfica nem obrigava a poucas faltas e, de facto, os dragões só tiveram duas faltas assinaladas na primeira parte e mais uma em 21 minutos da segunda parte (somariam mais duas nos derradeiros quatro minutos).

Entretanto, Gonçalo Alves voltava a bater Pedro Henriques para um 1-4 já muito pesado, ainda ampliado por Carlo Di Benedetto, de livre directo, na 15ª falta das águias, a quatro minutos e meio do fim.

Três anos depois, com duas edições canceladas pelo meio, o Porto sucede à Oliveirense como vencedor da Taça de Portugal. É o segundo título dos dragões - e de Ricardo Ares - na temporada, depois da conquista da Taça Intercontinental em Dezembro último, a duas mãos com o Sporting.

A Oliveirense "perde" o troféu que tinha em seu poder, passando o Porto a deter Supertaça (desde 2019) e Taça. O Benfica venceu a única edição realizada da Taça 1947 (2020), o Sporting é o campeão nacional (2021) e o Óquei de Barcelos conquistou, já esta temporada, a primeira Elite Cup oficial.

Meias-finais

• MF1 • Porto 8-7 Óquei de Barcelos • 8.Abr (2-2, 1-1 prol., 5-4 pen.)

• MF2 • Oliveirense 1-3 Benfica • 8.Abr

Final

• Benfica 1-5 Porto • 9.Abr

Partilhe

Facebook Twitter AddToAny
Outros artigos do dia
Porto e Benfica decidem Taça

Porto e Benfica decidem Taça

Seis anos depois, Porto e Benfica decidem a Taça de Portugal entre si, na 12ª final da prova entre os dois mais titulados clubes nacionais. Os dragões afastaram o Óquei de Barcelos nos penáltis e as águias venceram a Oliveirense.