Nuno Paiva, da afirmação no Montebello ao salto para a OK Liga

O Montebello termina a Serie A1 em 10º, mas com o primordial objectivo da manutenção alcançado. O atacante português Nuno Paiva assinou 32 golos e segue-se um desafio maior, no Lleida, da OK Liga.

Nuno Paiva, da afirmação no Montebello ao salto para a OK Liga

O Montebello chegou à Serie A1 em 2019 e, com muita inexperiência e pouca estrutura, era lanterna-vermelha quando a pandemia surgiu como uma benção no plano desportivo. Os campeonatos foram cancelados e era hora de afinar detalhes em busca da consolidação entre os maiores do Hóquei patinado transalpino.

Da Galiza viajaria para Montebello um relativamente desconhecido Nuno Paiva. Depois de três anos na equipa "B" do Porto, Paiva "explodiu" ao serviço do Compañia de María, com 29 golos em apenas 16 jogos, sagrando-se melhor marcador da secundária OK Liga Plata.

Duas temporadas volvidas, o atacante de 27 anos pode continuar a ser desconhecido do público português, mas afirmou-se na Serie A1 e vai dar o salto para a OK Liga depois de cumprido o principal objectivo do Montebello.

"A época baseava-se no objetivo da manutenção na Serie A1. Claro que, após este cumprido, o objectivo seguinte seria atingir os play-offs, o que não foi possível, uma vez que perdemos no prolongamento", lamenta. O Montebello terminou a fase regular em 9º e teve a oportunidade de entrar no play-off numa preliminar com o 8º, Vercelli. A equipa de Nuno Paiva venceu em casa por 6-5, com hat-trick do português e, apesar de novo hat-trick de Paiva, perderia pelos menos números em Vercelli. Um golo solitário no necessário prolongamento, ditou o afastamento da fase de decisão.

Relegado para a discussão do 9º lugar final, o Sarzana - que vencera a Coppa Italia e estará na Final Four da Liga Europeia - venceu a primeira mão por dilatados 6-2, com um golo de Nuno Paiva a ser curto para diminuir distâncias. No entanto, o Montebello não baixou os braços.

Na segunda mão, chegou a ter uma vantagem de três golos, com 5-2 a meio da segunda parte, mas o desgaste de toda uma época pesou. O Sarzana chegou à igualdade e voltaria a empatar a seis, à entrada dos derradeiros cinco minutos, depois de Nuno Paiva dar novamente vantagem ao Montebello. Novo golo de Paiva (bisou no jogo) e mais um de Andrea Brendolin (assinou um hat-trick) garantiram a vitória por 8-6, mas não a reviravolta no cômputo das duas mãos.

Em busca de consolidação na categoria máxima italiana, o Montebello não faria melhor que na pretérita temporada, mas terminou a fase regular com os mesmos 36 pontos. Então, 8º na fase regular, passou o Sandrigo na preliminar, mas caiu nos quartos-de-final, frente ao futuro vice-campeão Forte.

Crescimento como jogador

A nível pessoal, Nuno Paiva marcou 32 golos contra os 29 da última época. Nesta fase regular assinou 23 golos (menos três que na temporada passada), mas na preliminar assinou dois hat-tricks, algo que só conseguira na segunda jornada, marcando os três golos do Montebello no empate com o Forte.

"O meu principal objetivo, para além de jogar ao mais alto nível, passava por fazer uma boa época, crescendo como jogador", conta-nos. "Saio satisfeito pela época que realizei, tendo em conta que há sempre arestas a limar e, com o devido cuidado, é fácil observá-las de modo a corrigi-las. E isso é o que eu procuro fazer, época após época. Marquei mais três golos do que o ano passado, e este era um dos objetivos a que me tinha proposto", congratula-se.

Nuno Paiva termina a época a marcar em oito das últimas nove partidas (e a marcar sempre nas derradeiras cinco) e como melhor marcador da equipa, com mais um golo do que Andrea Brendolin. Agora, está na hora de deixar a Serie A1.

"Foi uma experiência enriquecedora, que me fez crescer como jogador e pessoa. Será uma experiência que jamais esquecerei", confidencia-nos. "Para além de tudo o que aprendi, pude partilhar o balneário com grandes jogadores do Hóquei em Patins, o que a meu ver é sempre uma mais-valia. Para além disto ficam todas as amizades que o Hóquei nos dá", refere, mostrando-se grato. "Aproveito para agradecer ao Montebello e a todas as pessoas relacionadas pela oportunidade que me deram em jogar na Serie A1", vinca.

O próximo desafio é na mais mediática OK Liga, num Lleida que luta, olhos nos olhos, com as principais equipas espanholas, tendo terminado a fase regular em 5º. E Paiva promete empenho. "Vou para Espanha com novos desafios a alcançar e ajudar o Lleida a atingir todos os seus objetivos, dando sempre o meu máximo", garante.

Partilhe

Facebook Twitter AddToAny
Outros artigos do dia
Sporting com dupla que já foi 'roja' nos planos

Sporting com dupla que já foi 'roja' nos planos

No processo de encontrar um substituto para Paulo Freitas, o Sporting aponta não só a um treinador como a um novo coordenador. Os nomes na mesa já trabalharam em conjunto na selecção espanhola, com títulos europeus e mundiais.