Valongo só cai no terceiro prolongamento em cinco dias

No arranque do play-off, Porto, Sporting e Benfica venceram em casa e Óquei de Barcelos fora. Mas o destaque tem de ser para um Valongo heróico, que só caiu no prolongamento na Luz. Depois de dois prolongamentos no fim-de-semana...

Valongo só cai no terceiro prolongamento em cinco dias

No primeiro jogo dos quartos-de-final do play-off que vai decidir o título de campeão nacional, Porto e Sporting venceram folgadamente, enquanto o Óquei de Barcelos contrariou o "factor casa" da Oliveirense, num jogo que, desta vez, chegou ao fim. Na Luz, o vice-campeão europeu Valongo foi heróico. Foi para o terceiro prolongamento em cinco dias, esteve a vencer já no tempo extra e valeu aos encarnados Carlos Nicolia, com várias decisões arbitrais contestadas pelos valonguenses à mistura, a virar o resultado já nos derradeiros dois minutos.

Benfica 5-4 Valongo (3-3, 2-1 prol.)

Pese só ter tido dois dias de descanso depois de dois jogos - de 60 minutos e acrescidos da tensão das grandes penalidades - na Final Four da Liga Europeia, o Valongo vice-campeão europeu deu uma extraordinária réplica na Luz.

Lucas Ordoñez marcou logo no primeiro minuto, mas o compatriota Facundo Navarro igualou aos sete. Bernardo Mendes, que será reforço das águias na próxima temporada, brilhou a negar que Nicolia marcasse de grande penalidade, mas não evitou que Pablo Álvarez fizesse o 2-1, para uma tangencial vantagem que Pedro Henriques segurou até ao intervalo, por exemplo, defendendo um livre directo de Navarro.

Na segunda parte, o capitão Diogo Rafael marcou com apenas um minuto jogado e permitiu aos encarnados respirarem melhor, até porque o Valongo acusava a espaços, necessariamente, o esforço das partidas da Final Four. Mas os jogadores de Edo Bosch não baixaram os braços.

Valongo jogou o terceiro prolongamento em cinco dias, num total de 180 minutos e duas séries de grandes penalidades...

À entrada dos derradeiros 10 minutos, Diogo Abreu reduziu para a diferença mínima e, menos de dois minutos volvidos, em superioridade numérica após azul a Poka, Diogo Abreu fazia o 3-3.

Estóico, o Valongo sobreviveu a um livre directo (grande intervenção de Bernardo Mendes a negar o golo a Ordoñez) e aos dois minutos de inferioridade, e nunca deixou de espreitar o contra-golpe. O prolongamento, o terceiro em cinco dias, foi um prémio. Merecido. E o Valongo fez por mais.

Facundo Navarro fez o 3-4, colocando pela primeira vez o Valongo a vencer, aos três minutos do tempo extra, que chegaria ao intervalo com o Benfica já com nove faltas. Terá pecado a equipa de Edo Bosch por não procurar mais a 10ª falta adversária e foi castigada por Carlos Nicolía.

A dois minutos do fim do prolongamento, o argentino que tantas vezes tem sido o abono no deserto de ideias ofensivas das águias desperdiçou uma grande penalidade, mas recuperou a bola e igualou. E, poucos segundos volvidos, fez o 5-4 de grande penalidade que valeria a vitória e a vantagem na série.

O Valongo contestava sucessivas decisões arbitrais e Edo Bosch acabaria mesmo expulso.

Oliveirense 3-4 Óquei de Barcelos

Em Oliveira de Azeméis, na reedição de um polémico embate na primeira volta da fase regular - que não chegou ao fim e valeu três pontos atribuídos administrativamente -, o Óquei de Barcelos contrariou o "factor casa" e venceu por 3-4.

Miguel Rocha e Álvaro Morais ("Alvarinho"), que esta semana receberam a notícia da chamada a um estágio da selecção nacional, marcaram para uma vantagem de dois golos, atenuada por Jorge Silva antes do intervalo.

Na segunda parte, Jorge Silva voltou a ser protagonista, mas ao ver um azul. Chamado à tentativa de conversão, Dario Giménez fez o 1-3 logo aos quatro minutos. Alexandre Marques ("Xanoca") reduziu quase de pronto, mas a Oliveirense andaria sempre atrás do marcador. Alvarinho repôs a vantagem de dois golos aos 11 minutos, tornando insuficiente o golo conseguido pelo argentino Lucas Martinez a cinco minutos do fim.

Sporting 5-1 Braga

Sem que se desconsidere toda a fase regular, o Sporting iniciou (verdadeiramente) a defesa do título com uma vitória folgada sobre o Braga por 5-1, num resultado extrapolado nos primeiros minutos da segunda parte.

Ao intervalo, os leões venciam com um tento solitário de Toni Pérez, aos nove minutos. Na etapa complementar, a resistência do Braga ruiu em oito minutos, com um golo madrugador de Ferran Font, mais dois golos de Toni Pérez e um de Verona. O Sporting reposou sobre a vantagem amealhada e Vítor Hugo assinou o tento de honra, de grande penalidade, a quatro minutos do fim.

Porto 7-0 Tomar

No Dragão Arena, o Tomar até entrou bem, mas a eficiência dos azuis-e-brancos, na primeira metade, e o desgaste físico e anímico dos tomarenses, na segunda, decidiram o jogo, saldado numa goleada pesada.

Carlo Di Benedetto, num belo trabalho individual, fez o primeiro aos quatro minutos e meio e, mesmo sem jogar bem, o Porto, vencedor da fase regular, chegaria ao segundo aos 13, por Gonçalo Alves. Rafa, em cima do apito para o intervalo, fez o 3-0.

Logo no reatamento, com o jovem António Marante no lugar de Francisco Veludo na baliza tomarense, Carlo bisou, marcando ainda mais dois golos - para um poker - antes de estarem cumpridos 10 minutos e depois de Gonçalo Alves também ter voltado a marcar.

A vencer por 7-0, o Porto geriu e o guardião Tiago Rodrigues teve a baliza dos dragões por sua conta 14 minutos, mas com poucas oportunidades para mostrar serviço. Com o jogo irremediavelmente perdido, o Tomar também geriria.

Os segundos jogos realizam-se já próximo sábado, dia 21, e uma segunda vitória de Porto, Sporting ou Benfica (todos a jogar fora) ou Óquei de Barcelos (que jogará em casa emprestada) colocam as respectivas equipas nas meias-finais. Cabe a Tomar, Braga, Valongo e Oliveirense tentarem forçar a "negra".

Quadro do Play-off

Quartos-de-final

À melhor de três, a 18, 21 e 25 de Maio

• QF1 • Porto 1-0 Tomar • 7-0

• QF2 • Sporting 1-0 Braga • 5-1

• QF3 • Benfica 1-0 Valongo • 5-4 (3-3, 2-1 prol.)

• QF4 • Oliveirense 0-1 Óquei de Barcelos • 3-4

Meias-finais

À melhor de cinco, a 29 de Maio, 4, 7, 10 e 12 de Junho

• MF1 • Vencedor QF1 vs. Vencedor QF4

• MF2 • Vencedor QF2 vs. Vencedor QF3

Final

À melhor de cinco, a 16, 19, 22, 25 e 29 de Junho

Vencedor MF1 vs. Vencedor MF2

Partilhe

Facebook Twitter AddToAny
Outros artigos do dia
Famalicense 'ataca' I Divisão com novo timoneiro

Famalicense 'ataca' I Divisão com novo timoneiro

Consumado o regresso à I Divisão, o Famalicense prepara-se para 'atacar' a manutenção na categoria máxima, algo que não consegue desde 1986. Jorge Ferreira, do Infante Sagres, será o treinador, substituindo Vítor Silva.

«Nunca desisti de levantar a taça da Liga Europeia»

«Nunca desisti de levantar a taça da Liga Europeia»

Em 2019, o Sporting de João Pinto sagrou-se campeão europeu, mas o internacional português e angolano não estava na pista do João Rocha para erguer o troféu. Resiliente, não desistiu. E este domingo concretizou o sonho, pelo Trissino.

Agora, a festa é outra...

Agora, a festa é outra...

O Forte colocou ponto final nos festejos europeus do Trissino ao vencer o primeiro jogo das meias-finais do play-off da Serie A1 por 5-1. O Follonica também está em vantagem, vencendo na sua pista o Lodi por 6-4.