Geração campeã triunfa (também) em Sub-19

Um Valongo estóico, mas desgastado, não conseguiu contrariar um Benfica que é a base da Selecção Nacional e cuja geração já triunfara em Sub-15 e Sub-17. Bernardo Ramalho foi a figura da final, ao apontar os três golos das águias.

Geração campeã triunfa (também) em Sub-19

O Benfica é campeão nacional de Sub-19, depois de vencer na decisão o Valongo por 3-1.

Era o confronto entre um Benfica que fora bicampeão nacional de Sub-20 em 2017 e 2018 e o Valongo que lhe sucedeu como campeão em 2019 e que - sem disputa de campeonatos jovens - na época transacta conquistaria o título de campeão de Sub-23.

Mais do que isso, o Benfica contava com jogadores campeões de águia ao peito em Sub-15 em 2018 (às ordens de António Pinto) e campeões de Sub-17 em 2019 (às ordens de "Kiko" Mascarenhas), como Zé Miranda, Pedro Lopes, "Kiko" Fernandes, João Meireles ou Bernardo Ramalho. Destes, Zé Miranda e Ramalho foram campeões da Europa em Setembro último, em Paredes, tal como o guarda-redes João Seixas, "Jota" e Tiago Sanches.

O grupo reunido pelos encarnados, agora às ordens de Luís Duarte que tantos sucessos somou no escalão pela selecção nacional, garantia-lhes favoritismo, mas o Valongo não se atemorizou.

Apesar de uma meia-final muito exigente, só decidida no prolongamento noite dentro de sábado, o Valongo surpreendeu com uma entrada destemida e a procurar o golo, principalmente por Martim Leite, também ele campeão da Europa de Sub-19. Martim teve mesmo a melhor oportunidade para evitar que a primeira parte terminasse sem golos, num livre directo a três segundos do intervalo depois de azul a Tiago Sanches, mas não conseguiria bater Kiko.

No regresso dos balneários, o Benfica - privado de Rodrigo Sousa e Diogo Pernas, por lesão - não deixou que o Valongo aproveitasse o "powerplay" (os valonguenses praticamente não tiveram bola) e foram encostando cada vez mais a equipa que conta com três históricos ex-jogadores na sua equipa técnica: Nuno Domingues, João Marques e Viti.

Aos oito minutos, tanto a "água bateu" que "furou". Bernardo Ramalho beneficiou de um ressalto num adversário para enfim desfeitear Gustavo Carvalho ("Guga") e inaugurar o marcador.

Ramalho viria a ser o herói da partida. Atacante sempre de olhos na baliza adversária, mostrou a fibra que já caracterizava o pai (o internacional António Ramalho, que representou, entre outros, Benfica e Sporting) no segundo golo. Apesar de ter protagonizado uma quase inacreditável perdida, não ficou a chorar sobre o "leite derramado" e, no seguimento do lance, fazia o 2-0.

A dupla desvantagem obrigava o Valongo a ter de assumir mais o jogo, mas pesava notoriamente o cansaço do dia anterior, quer nas pernas, quer no esclarecimento na hora de delinear as jogadas. Os remates saíam, invariavelmente, de meia distância, com Kiko, atento, a resolver sem dificuldades de maior.

A três minutos do fim, azul a Viti e Tiago Sanches e, depois, ao técnico João Marques baralhavam as contas. Em três-para-três, Jota serviu Ramalho para o terceiro da conta pessoal e do Benfica. A dois minutos e meio do apito final já se festejava o título na Luz, mas o Valongo reduziu praticamente de imediato, por Ricardo Falé, relançando alguma incerteza. No entanto, as águias geriram bem os últimos instantes e o título já não escapava.

Oliveirense, Porto e Tomar vencem

Nos outros jogos do dia, que serviram para definir a classificação final deste Nacional de Sub-19, destaque para o triunfo da Oliveirense para o 7º lugar.

A equipa de Oliveira de Azeméis deu um ar da sua graça ao vencer o Paço de Arcos por 3-6, no meio da "desgraça" que foi a sua participação. A Oliveirense apresentou-se nesta fase final com apenas quatro jogadores de pista - Pedro Cunha, Rafael Ferreira, Afonso Pereira e Vasco Ribeiro - e os guarda-redes Miguel Santos e Samuel Cereja. No segundo jogo, frente ao Parede, a lesão de um jogador obrigou a jogar mais de meia partida com menos um e na iminência de falta de comparência, caso, por exemplo, houvesse azul. Este domingo, com a ausência de Rafael Ferreira colmatada pelo Sub-17 Paulo Pereira, e mesmo com apenas quatro jogadores de pista, a Oliveirense lograria o triunfo.

O Porto venceu o Parede por 7-3 e ficou com o 5º lugar, ao passo que o Tomar bateu o Sporting por 3-4 na luta pelo 3º lugar.

Pelo "bronze" (salvo seja, porque só há medalhas para o vencedor), o Sporting até esteve a vencer por 2-0 com dois tentos nas duas primeiras vezes que foi à baliza tomarense. Mas, mesmo com o desgaste da véspera, a equipa de João Sousa lograria empatar com dois golos de Francisco Beirante e destacou-se com dois de Lucas Honório, campeão "deste" Benfica em Sub-15 e Sub-17 e ainda contratualmente ligado aos encarnados. Filipe Reis, outro campeão nesta geração das águias (em Sub-15), reduziu com ainda cerca de dez minutos para jogar, mas não impediria o triunfo dos contrários, que até estiveram mais perto de novo golo

Quartos-de-final

Sporting 2-1 Porto

Valongo 6-4 Parede

Tomar 6-1 Oliveirense

Benfica 5-0 Paço de Arcos

5º ao 8º lugar

Porto 4-1 Paço de Arcos • 2.Jul

Parede 10-2 Oliveirense • 2.Jul

Meias-finais

Benfica 7-1 Sporting • 2.Jul

• Tomar 6-7 Valongo (5-5, 1-2 prol.) • 2.Jul

7º e 8º lugar

• Paço de Arcos 3-6 Oliveirense • 3.Jul

5º e 6º lugar

Porto 7-3 Parede • 3.Jul

3º e 4º lugar

• Sporting 3-4 Tomar • 3.Jul

Final

Benfica 3-1 Valongo • 3.Jul

Partilhe

Facebook Twitter AddToAny
Outros artigos do dia
Figura maior da final de Sub-19 reforça Paço de Arcos

Figura maior da final de Sub-19 reforça Paço de Arcos

Bernardo Ramalho, autor dos três golos da vitória do Benfica na final do Nacional de Sub-19, vai representar o Paço de Arcos na próxima temporada. Regressa à Linha como campeão nacional em todos os escalões de formação.

Sporting 'vinga-se' do rival e é campeão em Sub-15

Sporting 'vinga-se' do rival e é campeão em Sub-15

O Sporting é o novo campeão nacional de Sub-15, ao vencer na final o Benfica por 5-7, após prolongamento. É um prémio maior, numa espécie de 'vingança' da final da Eurockey Cup, ganha pelas águias nas grandes penalidades.

Oitava Taça, oitava dobradinha

Oitava Taça, oitava dobradinha

Num inédito dérbi na final, o Benfica venceu o Sporting por 1-3 e conquistou a Taça de Portugal pela oitava vez consecutiva. Na hegemonia encarnada na última década, é também a oitava 'dobradinha' consecutiva.