Follonica na Europa, apesar dos custos

Apesar de fórmulas 'para equipas com clubes de futebol por trás', o Follonica confirmou a presença nas provas europeias. A equipa de Sérgio Silva tentará a entrada na fase de grupos da Liga dos Campeões na segunda fase de qualificação.

Follonica na Europa, apesar dos custos

Não estava em causa a presença na Taça Continental, decidida em Final Four a 17 e 18 de Dezembro. O Follonica, como finalista vencido da Taça WSE, defrontará o Trissino nas meias-finais e a equipa de Sérgio Silva procurará, pela terceira vez na decisão (em 2005 e 2006 perdeu frente ao Barcelona), um troféu inédito.

No entanto, o novo modelo das competições europeias, nomeadamente da Liga dos Campeões e da Taça WSE, levou a uma reflexão interna - que muitos outros emblemas estarão a fazer neste momento - sobre o impacto financeiro das mesmas. O Follonica aposta na estabilidade, manteve o grupo da temporada que agora finda e pretende consolidar-se, mas, mesmo tendo em conta os custos acrescidos, assumiu o compromisso de ir à Europa.

A direcção do Follonica Hockey aprovou, após uma discussão extensa e aprofundada, a participação nas competições europeias, para além da Taça Continental.

Esta não é uma decisão trivial nem precipitada, dadas as fórmulas adotadas pelos novos gerentes do Hóquei europeu.

As novas fórmulas são muito caras e feitas à medida para equipas que têm clubes de futebol por trás delas (leia-se "superliga").

Para nós, é um esforço enorme que decidimos empreender por respeito à cidade e suas instituições, aos nossos adeptos e nossos jogadores

Sentimos que podemos contar com a ajuda de todos os entusiastas, da administração municipal e de todo o tecido empresarial de Follonica.

Todos podem ajudar participando na nossa festa desportiva ou adquirindo um abono. Outros podem tornar-se nossos patrocinadores.

O Follonica Hockey pretende continuar a elevar o nome de Follonica na Europa e continuar a lutar com todas as suas forças contra adversários que dispõem de recursos muito superiores aos nossos. Algumas vezes, vencemos nós.

E, em 2006, venceram mesmo. O Follonica foi o primeiro vencedor italiano da prova máxima de clubes e, até Maio deste ano, a única equipa não ibérica a triunfar na Taça dos Campeões Europeus ou na Liga Europeia. Agora, terminando a Serie A1 em 3º lugar, ganhou o direito desportivo a entrar na segunda fase da qualificação da Liga dos Campeões, a disputar entre 16 e 18 de Dezembro, e em que estará em jogo o acesso à fase de grupos. Que terá seis jornadas à quinta-feira, quase certamente três delas além-fronteiras.

Trissino e Sarzana, pelo triunfo na Serie A1 (mas, antes disso, pelo título europeu) e na Coppa Italia, ganharam o direito desportivo a integrar directamente a fase de grupos. Se os "rossoneri" de Mirko Bertolucci ainda não se pronunciaram, os "azzurri" de Alex já expressaram a sua vontade de defender o ceptro continental na "competição europeia mais importante (que, salvo futuras posições da EHCA, voltará a contar com a participação das equipas integrantes da referida organização)", referiria em artigo no seu site.

De facto, a EHCA ainda não se manifestou quanto ao novo modelo, mas é de aceitação geral que este só terá avançado e sido tornado público com a sua benção...

Partilhe

Facebook Twitter AddToAny