O regresso de Filipão

De campeão do Mundo em 2019 a uma lesão que o impediu de jogar na última época, Nelson Filipe está de volta aos jogos oficiais, agora no Braga. 'Estou muito contente por regressar', revelou.

O regresso de Filipão

Na agitação do mercado de transferências, o arranque de cada edição do Campeonato Nacional da I Divisão encerra em si a curiosidade sobre os reforços de cada equipa. No Braga, há um reforço que se saúda. Nelson Filipe está definitivamente de volta às pistas. E, mais importante, aos jogos.

Nelson Filipe terminou a sua formação no Porto. Regressou ao "seu" Académico para o primeiro ano de sénior, protagonizando depois uma grande temporada pelo Famalicense na I Divisão em 2005/06. Tal valeu-lhe o regresso aos dragões, mas o dono da baliza era um tal de Edo Bosch. Ainda antes do guarda-redes catalão sair, em 2016, Nelson Filipe já ganhava minutos. Foi chamado ao Campeonato da Europa de 2016 e foi campeão. Voltou a estar nas escolhas para o Campeonato do Mundo de 2017, mas não foi feliz. Regressou para voltar a tentar o ceptro em 2019 e consegui-o.

Nesse ano de 2019, mudava-se para a Oliveirense, para lutar pela baliza com outro catalão, Xevi Puigbi. Sempre seguro, posicional com uma tranquilidade contagiante, preparava-se há um ano para ser dono da baliza. Mas uma lesão traí-o.

Uma rutura parcial do tendão de Aquiles deixava antever uma longa recuperação, e a Oliveirense teve de procurar alternativa. Diogo Alves chegou do Candelária e dividiu a baliza com Diogo Fernandes, que chegara do Riba d'Ave. Pese nenhum dos dois estar (para já) no patamar de Nelson, o regresso com o campeonato já numa fase de decisões "não deixou" o campeão do Mundo ir a jogo. Regressou na partida da 24ª jornada, na recepção ao Porto, e até teve a braçadeira de capitão, mas não chegou a sair do banco. E, novamente sem ir a jogo, só voltou a ser convocado para o derradeiro jogo da fase regular, frente ao Turquel.

Apostou no Braga, com um técnico que bem conhece e que bem o conhece. "Pessoalmente, estou muito contente por regressar. Estive uma época sem competir. Foi muito duro. Já não jogava há mais de um ano e para mim foi muito bom conseguir voltar a jogar e jogar neste nível elevado", afirmou no fecho da Elite Cup, tendo jogado oficialmente 485 dias depois.

Nelson Filipe, que terá como fiel escudeiro - e aprendiz - Tomás Teixeira (ainda com idade júnior), foi titular nas três partidas da Elite Cup, frente a Sporting, Tomar e Óquei de Barcelos. "Foi um recordar de sensações, porque realmente foi muito tempo sem competir e o treino não é igual ao jogo. É um torneio muito complicado porque são três jogos em três dias e, além disso, são três jogos com equipas de nível muito elevado, equipas que inclusive começaram a preparação mais cedo do que nós. Mas, no global, a título particular, senti-me bem e estou agradado com as sensações que tive nesses três jogos", regozijou-se.

Partilhe

Facebook Twitter AddToAny
Outros artigos do dia
«Não vamos dar passos mais largos do que a perna»

«Não vamos dar passos mais largos do que a perna»

Entre as equipas que se apresentaram na Elite Cup, o Braga era a que tinha mais mexidas em relação à última época e menos tempo de trabalho. O último lugar não agradou, mas encaixa-se no planeamento. Os objectivos são outros.