Primeiro acto, em três dias, da Taça WSE

Sem equipas portuguesas, 15 equipas vão a jogo na ronda de qualificação da Taça WSE. Com cinco grupos de três equipas e o apuramento do vencedor de cada grupo e dos três 'melhores segundos', não faltarão calculadoras na mão...

Primeiro acto, em três dias, da Taça WSE

A Taça WSE, segunda mais importante prova europeia de clubes, arranca esta sexta-feira com a primeira jornada de uma ronda de qualificação em minicampeonato concentrado.

15 equipas dividem-se em cinco grupos de apenas três equipas, apurando-se para os oitavos-de-final o vencedor de cada grupo e os três melhores segundos. Um modelo com potencial para ter de se andar sempre com calculadora na mão com as contas do apuramento.

A estas oito equipas apuradas, juntar-se-ão os oito "eliminados" da segunda fase de qualificação da Liga dos Campeões para a fase a eliminar, em rondas a duas mãos, até uma Final Four que está agendada para 22 e 23 de Abril de 2023.

O detentor da Taça WSE é o Calafell, que este fim-de-semana participa na segunda fase de qualificação da Liga dos Campeões.

A jogo, vão este fim-de-semana três ex-vencedores da Taça WSE ou da sua percursora Taça CERS. Dois deles encontram-se em Bassano del Grappa, Itália, no grupo B.

O anfitrião Bassano, dos portugueses Miguel Viterbo e Francisco Veludo, venceu a prova em 2012, dez anos depois do triunfo ter sorrido ao Voltregà, o seu primeiro adversário nesta qualificação. Juntando-se os franceses do Quévert, que tão boa conta de si deram na primeira fase de qualificação da Liga dos Campeões, este será provavelmente um dos grupos mais equilibrados, tornando difícil que saia daqui um dos "melhores segundos"...

Miguel Guilherme e Teófilo Casimiro (Grupo B), Porfírio Fernandes (D) e Joaquim Pinto e Paulo Almeida (E) são os árbitros portugueses nomeados.

Rivalizará talvez com este grupo B, o grupo E, de Noisy, Lleida e Vercelli. Os franceses do Noisy, do técnico português João Baltazar, recebem os jogos, com uma das equipas mais titulada na prova, o Lleida, e uns italianos em ascensão meteórica.

Os catalães, que esta época contam com Nuno Paiva, venceram a ainda Taça CERS em 2018 e depois a Taça WSE em 2019 e 2021 para três conquistas que são um recorde na prova, repartido com Óquei de Barcelos, Novara e Liceo. O nome do Vercelli consta em duas conquistas, mas o Vercelli era outro, o Amatori, vencedor em 1983 e 1988. Este Hockey Vercelli, que tem Diogo Neves como o seu melhor marcador e que agora disputa Taça CERS e a Serie A1, foi apenas fundado em 2019.

Grupo A (Remscheid, Alemanha)

• Remscheid vs. King’s Lynn • 16.Dez • 19h

• King’s Lynn vs. Lyon • 17.Dez • 17h

• Remscheid vs. Lyon • 18.Dez • 15h

Grupo B (Bassano del Grappa, Itália)

• Voltregà vs. Bassano • 16.Dez • 19h

• Quévert vs. Voltregà • 17.Dez • 17h

• Bassano vs. Quévert • 18.Dez • 13h30

Grupo C (Igualada, Espanha)

• Igualada vs. Coutras • 16.Dez • 20h30

• Coutras vs. Walsum • 17.Dez • 19h

• Igualada vs. Walsum • 18.Dez • 12h30

Grupo D (Ploufragan, França)

• Ploufragan vs. Alcoi • 16.Dez • 21h

• Alcoi vs. Genève • 17.Dez • 17h

• Ploufragan vs. Genève • 18.Dez • 13h

Grupo E (Noisy Le Grand, França)

• Lleida vs. Noisy • 16.Dez • 19h

• Noisy vs. Vercelli • 17.Dez • 17h

• Lleida vs. Vercelli • 18.Dez • 15h

AMGRoller

Partilhe

Facebook Twitter AddToAny
Outros artigos do dia
Gonçalo Alves garantido no futuro azul-e-branco

Gonçalo Alves garantido no futuro azul-e-branco

O Porto anunciou a renovação de Gonçalo Alves até 2028, depois de acertado o acordo com Ricardo Ares até 2027 e, há meses, com Rafa até 2026. Assegura-se o futuro no Dragão, mas há vários jogadores com vínculo a terminar esta época.