Apuramentos adiados em noite 'estranha'

Três equipas tinham o apuramento na mão, mas ficou tudo adiado pelo menos mais uma jornada na Champions. Das sete equipas portuguesas, nenhuma vencia ao intervalo e só Benfica e Porto lograram os três pontos. A Oliveirense perdeu em casa.

Apuramentos adiados em noite 'estranha'

À entrada para a 4ª jornada da fase de grupos, primeira da segunda volta, Barcelona, Sporting e Oliveirense tinham o apuramento na mão, mas não venceram e viram o carimbo no passaporte para os quartos-de-final adiado. Liceo e Reus já não têm quaisquer hipóteses de apuramento.

De resto, esta foi uma noite atípica. Entre as sete equipas portuguesas, e sem duelos lusos, nenhuma vencia ao intervalo. E apenas Benfica e Porto conseguiram os três pontos.

O Benfica venceu em Reus por 3-6, virando de um desfavorável 3-1 ao intervalo. Os golos de Julià (dois), Aragonès e só tiveram resposta no tento de Gonçalo Pinto nos primeiros 25 minutos, mas a etapa complementar foi bem diferente. Com outra intensidade e acerto, as águias igualaram em dois minutos e meio, com bis de Lucas Ordoñez. Pablo Álvarez consumou a reviravolta e Roberto Di Benedetto, também com um bis, confirmou a vitória.

No outro jogo do Grupo B, o Sporting evitou a derrota a meio minuto do final, repetindo, agora na Catalunha, o 2-2 frente ao Calafell da ronda anterior. Entre dois jogadores que chegaram aos leões em 2016, Ferran Font inaugurou o marcador e Sergi Miras igualou. Carles Domenech virou a 10 minutos do final, mas João Souto, na 10ª falta catalã, não tremeu e garantiu um ponto que - ainda que custando a liderança do grupo - pode ser fundamental antes da visita à Luz.

No Grupo C, o Porto venceu o Lleida por 4-2, mas, ao intervalo, não ia além de um empate a dois. Os dragões viraram a desvantagem inicial (marcou Nico Ojeda) por Gonçalo Alves e Rafa, mas Seba Moncusi repôs a igualdade antes do descanso. Na etapa complementar, Edu Lamas e Telmo Pinto asseguraram o triunfo dos vigentes campeões europeus, que garantirão o apuramento se empatarem na recepção ao Tomar na próxima ronda.

Giulio Cocco arranca para o segundo golo do Trissino em Tomar. Os italianos estiveram a vencer por duas vezes, mas o
Giulio Cocco arranca para o segundo golo do Trissino em Tomar. Os italianos estiveram a vencer por duas vezes, mas o "singelo" ponto conquistado (e, principalmente, os dois que os tomarenses não conquistam) não deixa de ser importante.

Em Tomar, deu empate a dois entre a equipa da casa e o Trissino, num jogo de "correria" quase permanente em direcção às balizas bem guardadas por António Marante e Stefano Zampoli.

Num dos clímax dessa toada de "parada e resposta", o jovem Geole Piccoli (18 anos) finalizou da melhor maneira um contra-golpe, inaugurando o marcador, naquele que seria o único tento da primeira parte.

Na segunda metade, o Tomar entrou muito pressionante e forçou o Trissino à 10ª falta aos cinco minutos, com Gonçalo Neto a ser certeiro para a igualdade. Os tomarenses continuaram em busca de mais golos, mas a equipa orientada por Tiago Sousa e que conta com os portugueses Diogo Neves, João Pinto e "português" Reinaldo Garcia fechava bem.

A equipa da casa dispôs de novo livre directo por azul a João Pinto, não tendo desta feita sucesso Neto. Nem no powerplay, sendo que novo powerplay, depois de azul a Jordi Mendez, a meio desta etapa complementar, foi aziago. Com menos um, o Trissino chegou ao 1-2 num contra-ataque de Giulio Cocco, dispôs de uma grande penalidade, que Cocco não aproveitou, e ganhou quase dois minutos de superioridade numérica (houve uns instantes com "três-para-três" em jogadores de pista) pelo azul visto por Xanoca no lance do penálti.

Os italianos não "mataram" e sofreram na pressão final - nem sempre esclarecida - do Tomar. Lucas Honório igualou a três minutos e meio do apito final aproveitando uma perda de bola de Davide Gavioli para André Centeno e os tomarenses forçaram em busca de três pontos que seriam importantes. O Trissino ainda dispôs de mais uma bola parada, na 10ª falta contrária, mas Marante ganhou novamente o duelo com Cocco e o empate já não seria desfeito.

Marcha triunfal de Barcelona e Oliveirense parada

Barcelona e Oliveirense ainda só conheciam o sabor da vitória, provando agora desfechos mais amargos.

No Grupo A, os blaugrana não foram além de um empate em Barcelos. João Rodrigues marcou cedo, mas o equilíbrio que já marcara o primeiro duelo entre as duas equipas, desta vez imperou até no resultado final. Danilo Rampulla marcou no início da etapa complementar para um 1-1 que já não sofreria alterações.

Também empate houve entre Liceo e Forte, no único jogo sem equipas portuguesas, mas com arbitragem lusa, de Joaquim Pinto e Pedro Silva. A equipa de Tiago Rodrigues e Tomás Pereira, em busca dos primeiros pontos, esteve a vencer por 1-0 (Pablo Cancela) e 2-1 (Sito Ricart), mas Federico Ambrosio e Checco Compagno anularam as vantagens de "los verdes".

A três minutos do final, Ambrosio colocou mesmo os italianos na frente, mas Ricart também bisaria para o 3-3 final que evita a derrota, mas não que os galegos fiquem sem hipóteses matemáticas de qualificação.

Liceo (Grupo A) e Reus (Grupo B), que entre si somam 14 conquistas da mais importante prova europeia de clubes, já não têm hipóteses matemáticas de apuramento para os quartos-de-final.

Em Oliveira de Azeméis, a Oliveirense sofreu uma inesperada derrota na recepção ao Lodi, por 3-4. Com golos de Facundo Navarro e Marc Torra, a lógica num duelo entre uma equipa que só vencera e outra que só tinha um ponto parecia que ia fazer das suas. Mas, no desporto, a lógica é muito falível..

Filipe Fernandes bisou para uma igualdade ao intervalo e, depois de Torra colocar de novo a Oliveirense na frente, Morgan Antonioni igualou e, a dois minutos do final, Filipe selou um hat-trick para um triunfo importantíssimo, que - ainda que não tire o Lodi do último lugar - relança mesmo as hipóteses de apuramento de uma equipa de Pierluigi Bresciani que parecia condenada.

Filipe Fernandes, herói maior no triunfo do Lodi em Oliveira de Azeméis, reclamou o único hat-trick desta noite europeia.

No outro jogo do Grupo D, os franceses do Saint-Omer venceram o vice-campeão europeu Valongo por 5-2, "retribuindo" a derrota por 4-1 na jornada que fechou a primeira volta. Nos instantes finais da primeira parte, João Almeida ainda respondeu ao tento inaugural de Roc Llisa, mas depois de Federico Balmaceda (ex-Turquel e ex-Parede) voltar a colocar os gauleses de Fabien Savreux na frente, já não houve retorno. Pablo Del Rio bisou com a resposta de Carlos Ramos pelo meio, e Fabien Barengo fechou as contas.

A Champions League regressa a 8 de Fevereiro com a 5ª e penúltima jornada da fase de grupos.

Grupo A

• Liceo 3-3 Forte • 25.Jan

• Óquei de Barcelos 1-1 Barcelona • 25.Jan

Classificação: 1º Barcelona (10), 2º Óquei de Barcelos (7), 3º Forte (4), 4º Liceo (1)

• Barcelona vs. Forte • 8.Fev, 20h

• Óquei de Barcelos vs. Liceo • 8.Fev, 21h

Grupo B

• Calafell 2-2 Sporting • 25.Jan

• Reus 3-6 Benfica • 25.Jan

Classificação: 1º Benfica (9), 2º Sporting (8), 3º Calafell (5), 4º Reus (0)

• Benfica vs. Sporting • 8.Fev, 18h30

• Reus vs. Calafell • 8.Fev, 21h

Grupo C

Porto 4-2 Lleida • 25.Jan

• Tomar 2-2 Trissino • 25.Jan

Classificação: 1º Porto (9), 2º Trissino (7), 3º Tomar (5), 4º Lleida (1)

• Porto vs. Tomar • 8.Fev, 20h

• Lleida vs. Trissino • 8.Fev, 20h30

Grupo D

Saint-Omer 5-2 Valongo • 25.Jan

• Oliveirense 3-4 Lodi • 25.Jan

Classificação: 1º Oliveirense (9), 2º Saint-Omer (6), 3º Valongo (4), 4º Lodi (4)

• Oliveirense vs. Saint-Omer • 8.Fev, 21h

• Lodi vs. Valongo • 8.Fev, 21h

Horário das partidas na hora local.

AMGRoller

Partilhe

Facebook Twitter AddToAny