Oliveirense isola-se no topo

Vencendo em Famalicão e beneficiando da derrota do Sporting no dérbi de Lisboa, a Oliveirense isola-se no topo da classificação depois de 10 jornadas de 'mão dada' com os leões. À 17ª jornada, o Carvalhos somou o primeiro ponto, em Barcelos.

Oliveirense isola-se no topo

Foram 10 jornadas de mão dada com o Sporting, com nove vitórias e um empate em comum. Este domingo, a Oliveirense venceu em Famalicão e, com os leões a perderem com estrondo na casa do rival Benfica, isola-se no topo da classificação.

Não foi fácil o triunfo, apesar do final 2-5, na pista do Famalicense, tendo a equipa de Edo Bosch chegado ao intervalo em desvantagem. Lucas Martinez adiantou a equipa de Oliveira de Azeméis, mas Luís Ferreira e Rafael Almeida viraram o marcador.

Já na segunda parte, só houve golos oliveirenses. E quase só de Facundo Navarro. O argentino igualou aos três minutos e meio, aproveitando a superioridade numérica após azul a Rafael Almeida, e foi eficaz em dois livres directos já nos últimos cinco minutos de jogo, transformando a 10ª falta famalicense e um azul a Juanjo López em dois golos para uma vantagem segura. Marc Torra, de grande penalidade, selou o triunfo.

Com a derrota, o Famalicense vê fugirem Braga e Juventude Pacense, que venceram este sábado na abertura da ronda. A vitória é a nona seguida da Oliveirense, que soma agora 46 pontos, deixando para trás o Sporting.

Benfica e Porto resolvem na primeira parte

Os leões caíram na Luz pela segunda vez em quatro dias. Depois de uma derrota para a Champions League, o Sporting chegou já vencido ao intervalo, quando o marcador assinalava 5-0 para o Benfica.

As águias venceriam por 6-1, fruto de uma primeira parte em que Carlos Nicolia brilhou de bola parada. Inaugurou o marcador de livre directo aos cinco minutos e transformou uma grande penalidade e um livre directo já nos derradeiros três minutos dos primeiros 25, depois de Nil Roca ter ampliado. Castigados com azuis, os de Alejandro Dominguez ainda veriam um quinto golo encarnado na primeira parte, "dado" a Pablo Álvarez, mas em que fica a sensação da bola ter entrado num desvio de Facundo Bridge ao passe de Nicolia.

A etapa complementar teve pouca história. O Benfica entrou forte e não demorou a fazer o 6-0, mas o golo de Gonzalo Romero aos sete minutos "fechou a torneira" dos golos na Luz. A equipa do Benfica destaca-se encurta a desvantagem pontual para o Sporting, ainda de oito "longos" pontos, mas mantém-se a 11 da Oliveirense e a sete do Porto, que continua a sua marcha triunfal em 2024.

Os dragões venceram pela oitava vez em outros tantos jogos este ano antes de embarcarem para a Argentina, para tentar conquistar a Taça Intercontinental no Aldo Cantoni. Triunfaram por 1-6 em Valongo, num jogo que também estava decidido ao intervalo.

João Lima ainda reduziu depois de Mena e Carlo Di Benedetto terem marcado nos primeiros cinco minutos, mas golos de Rafa, Hélder Nunes e novamente Carlo dilataram para um 1-5 que, no descanso, deixava pouca margem para esperança aos anfitriões, regressados de uma viagem a Itália em que ficaram afastados dos quartos-de-final da Champions League. Na segunda parte, Rafa fechou as contas para três pontos que colocam a equipa de Ricardo Ares a apenas um do Sporting.

Primeiro ponto para o Carvalhos

Um ponto foi o que Riba d'Ave e Tomar conseguiram entre si. Tal como o Carvalhos, em Barcelos.

No Parque das Tílias, Rui Silva e Lucas Honório marcaram antes do intervalo. Rui voltaria a dar vantagem aos da casa e Lucas também voltaria a marcar, de livre directo, para colocar o Tomar na frente depois de Xanoca ter igualado. Mas, a três minutos do fim, o resultado não estava feito. Guilherme Silva viu o azul e, na superioridade numérica, Gustavo Pato ditou o 3-3 final.

No Municipal de Barcelos, o Carvalhos pôs termo a uma série de 16 derrotas, apenas aquém da caminhada da Académica da Amadora em 1985/86. Os barcelenses terão subestimado o adversário e "permitiram" um inusitado 8-8 e o primeiro ponto para a equipa de Ricardo Geitoeira.

O jogo, muito atípico, foi o que mais golos teve na presente edição do Campeonato Placard, com o principal patrocínio de Alvarinho e Rúben Sousa, com cinco golos cada. Apesar de, aos três minutos e meio, já estar a perder por 2-0, o Carvalhos vencia ao intervalo por 3-4. E na segunda parte, o Óquei de Barcelos andou sempre atrás do prejuízo.

Os de Paulo Freitas lograram igualar a quatro, mas estiveram a perder por 4-6 e 5-7 antes de igualarem novamente a sete. Ricardo Falé voltou a colocar o Carvalhos na frente com pouco mais de três minutos para jogar, mas Alvarinho evitou um mal (um pouco) maior ao igualar com poucos segundos para jogar.

17ª jornada

Braga 4-3 Murches • 10.Fev

Juv. Pacense 6-1 Turquel • 10.Fev

• Óquei de Barcelos 8-8 Carvalhos • 11.Fev

Benfica 6-1 Sporting • 11.Fev

• Famalicense 2-5 Oliveirense • 11.Fev

• Valongo 1-6 Porto • 11.Fev

• Riba d'Ave 3-3 Tomar • 11.Fev

Classificação

1º Oliveirense (46), 2º Sporting (43), 3º Porto (42), 4º Benfica (35), 5º Tomar (33), 6º Óquei de Barcelos (28), 7º Valongo (22), 8º Murches (19), 9º Juv. Pacense (18), 10º Braga (17), 11º Famalicense (15), 12º Riba d'Ave (14), 13º Turquel (11), 14º Carvalhos (1)

AMGRoller

Partilhe

Facebook Twitter AddToAny
Outros artigos do dia
Benfica sorri frente ao Sporting

Benfica sorri frente ao Sporting

No dérbi da 17ª jornada, o Benfica agarrou a vitória frente ao Sporting ainda na primeira parte, com uma mão cheia de golos, pleno de eficácia a aproveitar os azuis aos leões. Nicolia marcou três (e meio) e Viti estreou-se pela equipa principal.