Notícia

França com quatro pontos entre os cinco primeiros

Jan 14, 2016

Foto Quevert e de capa: Fg Zoom Photographie

Foto trio luso do Ploufragan: Jms Photosport

Foto Nico Fernandez: Site oficial do US Coutras

David Abreu, na sua quinta época em França, conta-nos como vai o campeonato gaulês, já com uma jornada disputada em 2016.

O ano de 2016 arrancou com a nona jornada em França, de um campeonato disputado por 12 equipas. “Estamos a chegar ao fim da primeira volta”, conta ao HóqueiPT o internacional jovem português David Abreu, um dos muitos portugueses que abrilhanta a principal prova francesa, a N1 Elite.

Entre o primeiro - Saint Brieuc - e o quinto - Mèrignac - há apenas quatro pontos.

Em França desde 2011, David diz que ainda nada está decidido. “Pela experiência que tenho, vai ser o final desta primeira volta e o início da segunda que vão ditar quem vai jogar para o quê no resto do campeonato”, explica-nos. Sendo que este ano tem havido surpresas. “As duas equipas tradicionalmente mais ‘fortes’ e com o hábito de lutarem sempre para serem campeões - Quevert e Saint-Omer - estão a ter dificuldades, mesmo com planteis mais completos do que outras equipas”, afirma.

Corentin Turluer e Cirilo Garcia são esteios do campeão Quevert

O Quevert, campeão e um dos dois representantes franceses na Liga Europeia, ocupa a quarta posição com 17 pontos, a um ponto do Saint-Omer e a três do líder, Saint Brieuc. Pelo meio está o Coutras. “Reforçou-se bastante para ambicionar o título e fazer um bom trabalho na Europa”, analisa David Abreu, que destaca também o actual líder. “Mesmo perdendo jogadores e tendo à partida uma equipa considerada menos forte do que muitas outras, consegue neste momento mostrar que tem um grupo pouco individualista, sólido”, elogia, preferindo esperar para ver. “Com uma segunda volta em teoria mais complicada, a ver se conseguem manter este ritmo”, diz entre dentes.

O internacional Xavier Tanguy é figura no Saint-Brieuc, que lidera a N1 com 20 pontos em oito jogos.

O Ploufragan de David Abreu ocupa um oitavo lugar um pouco aquém das expectativas. “Os nossos objectivos passam por melhorar nos detalhes que nos fizeram muitas vezes perder pontos e não estarmos melhor classificados nesta altura”, lamenta, apontando o objectivo. “Pensando jogo a jogo, queremos acabar o campeonato na primeira metade da classificação”, deseja, sem evitar falar da grande desilusão da temporada. “Sabendo que jogaríamos a Final-4 da Taça em nossa casa, fomos eliminados por 2-3 com o Quevert”, lastima.

Os portugueses João Patrício e Rui Cova formam com David Abreu o trio luso do Ploufragan

O cinco ideal

Desafiado a eleger um cinco ideal da prova até ao momento, David impôs as suas condições e excluiu portugueses e colegas no Ploufragan. “Para não ser nacionalista nem clubista, vou nomear todos os outros que considero melhores”, refere.

Começando de trás e no pressuposto que a defesa ganha campeonatos, aponta desde logo dois jogadores do líder. “Os dois pilares do Saint Brieuc, o guarda-redes Xavier Tanguy e o defesa Wilfred Roux, que tem mostrado que a regularidade da equipa nasce na defesa”, indica.

Também para trás, David elege ainda o ex-capitão da selecção gaulesa. “O defesa Sebastien Furstenberger, que pela sua raça e experiência tem liderado a jovem equipa, mas de qualidade, do La Vendéenne.

Nico Fernandez lidera a tabela de goleadores, com 21 tiros certeiros. Toni Sero, segundo melhor, tem “apenas” 14.

Para finalizar a análise… os finalizadores de golos. “Na frente, o ex-avançado do Sporting, Nico Fernandez, pela sua eficácia à frente da baliza, e o avançado do Saint Omer, Toni Sero, que mesmo menos bem do que em anos anteriores a nível de golos, continua a ser um dos melhores finalizadores do campeonato”, justifica.

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade