Notícia

A lei dos mais fortes

Oct 27, 2016

Fotos: Site oficial Pully 2016

A lógica imperou nos quartos-de-final com França, Espanha, Itália e Portugal a ultrapassarem com maior ou menor dificuldade os seus adversários. Suou particularmente a França que teve de defender uma vantagem mínima frente a Inglaterra nos últimos 13 minutos de jogo.

França com dificuldades

A França goleou Suíça e Alemanha para conquistar o primeiro lugar no grupo B e, frente à quarta classificada do grupo A, esperar-se-ia que a selecção de Stephane Herin tivesse um jogo tranquilo. Puro engano.

José Carlos Amaral urdiu uma teia que adiou o golo dos profícuos gauleses até dois minutos do intervalo, quando, na quarta grande penalidade da primeira parte (duas para cada lado), Givency Tshilombo inaugurou finalmente o marcador. Mas, os ingleses empataram praticamente de seguida e, pela terceira vez em quatro jogos, levaram uma igualdade a uma bola para o descanso.

Na segunda parte, Roberto Di Benedetto bisou e o marcador parecia, a quinze minutos do final, definitivamente desequilibrado. No entanto, dois minutos volvidos, Alexander Mount reduziu para a diferença mínima que relançava a partida. Com largos treze minutos para jogar, não faltaram incidências, azuis, oportunidades de golo e emoção até final, mas a França segurou a ténue - mas suficiente - vantagem até que Miguel Guilherme apitou pela última vez no jogo.

Espanha passa Andorra

No segundo jogo do dia, a Espanha mediu forças com Andorra e não sentiu dificuldades de maior em garantir o apuramento para as meias-finais apesar de ter passado à fase final "apenas" no segundo lugar do seu grupo.

Sergi Llorca e Nil Roca, dois dos vice-campeões do Mundo de Sub-20 em 2015 que repetem neste Europeu a convocatória, marcaram na primeira parte. Nil bisaria numa segunda parte tranquila - quiçá já com a cabeça nas meias-finais - da selecção de Sergi Macià, confirmando a vitória do reino sobre o principado.

Itália

Os transalpinos não entraram bem neste Europeu. Começaram com um empate com Andorra e depois perderam com Portugal. Valeu a goleada à Inglaterra para evitar a Espanha já nestes quartos-de-final, em que a equipa de Massimo Mariotti mostrou que está em crescendo.

Compagno, com dois golos, Nadini e Gavioli marcaram e decidiram desde logo o apuramento na primeira parte. Na etapa complementar, a Alemanha até conseguiu apontar dois golos, mas - mesmo em gestão - a Itália marcaria três no agendar do confronto com a França por um lugar na final de sábado.

Portugal

Depois de apontar oito golos à Inglaterra de José Carlos Amaral, Luís Duarte logrou montar a sua equipa para conseguir o mesmo número de golos frente à Suíça de Pedro Antunes. Mas, pese Portugal ter controlado as operações, a goleada só nos derradeiros minutos ganhou esses contornos.

Na primeira parte, Gonçalo Nunes bisou para a vantagem de dois golos com que os portugueses recolheram aos balneários. Na etapa complementar, a tranquilidade de não estar sujeito a um imponderável chegaria a nove minutos do final, por Gonçalo Conceição, já depois de Gian Rettenmund ter perdido da marca de livre directo a soberana oportunidade para reduzir.

O resultado ganhou expressão na recta final. Rafael Lourenço rubricou um hat-trick e Gonçalo Conceição juntou mais um golo à sua conta pessoal e António Trabulo fechou as contas.

Quarteto na corrida

Há enorme expectativa para as duas meias-finais que se realizam esta sexta-feira. Haverá lugar a um sempre aguardado duelo ibérico, uma final antecipada... não fosse o também inquestionável valor das duas selecções disputam a outra meia-final.

De facto, será prematuro afastar à partida qualquer uma das quatro selecções da possibilidade de vencer o título. Também porque o desporto está cheio de surpresas, mas definitivamente justificado pelo potencial anunciado e pelo valor já provado por cada uma das selecções neste Europeu.

Portugal, campeão do Mundo e da Europa, defronta a Espanha, selecção com mais triunfos na competição. A Itália vem em crescendo e ainda com o título europeu de Sub-17 de 2014 bem fresco na memória e a França tem feito um trabalho extraordinário na formação de aproximação às clássicas potências, perseguindo um título no elitista clube dos galardoados do Hóquei em Patins.

Quartos-de-final

França 3-2 Inglaterra

Espanha 3-0 Andorra

Alemanha 2-7 Itália

Suíça 0-8 Portugal

Meias-finais - 28 de Outubro

17h30 - França vs Itália

19h30 - Espanha vs Portugal

(horas de Portugal Continental)

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade