Notícia

Juventude de Viana vence Riba d'Ave

Nov 13, 2016

A Juventude de Viana venceu o Riba d'Ave por 7-1 em jogo a contar para a sexta jornada do Campeonato Nacional da I Divisão.

Para um dérbi minhoto perante boa casa - sendo de assinalar o número de adeptos da equipa visitante presentes - a Juventude de Viana surgia moralizada pela primeira vitória para o Campeonato - depois de um empate e três derrotas - e um apuramento para os oitavos-de-final da CERS praticamente selado (vitória na primeira mão por 2-7 em Darmstadt). Mas, com os mesmos quatro pontos na tabela classificativa, o Riba d'Ave apresentava-se em Monserrate com um grande cartão de visita, após ter vencido na ronda anterior o Óquei de Barcelos por 6-5.

Tó Silva inaugurou o marcador

A partida começou com uma toada de equilíbrio e as oportunidades a surgirem em ataques rápidos ou remates de meia distância. Mais comuns que as oportunidades de golo seriam as faltas, num jogo que não foi particularmente duro mas terminou com 37 faltas apontadas e muitas outras que não entraram para a contabilidade porque deram grande penalidade ou valeram o azul aos infractores.

Na contabilidade que define o vencedor, Tó Silva inaugurou o marcador a meio da primeira parte e, de grande penalidade, André Azevedo ampliou para 2-0. O Riba d'Ave procurou sempre responder, mas Edo Bosch - na ternura de uns 40 anos que não parecem pesar - realizou um punhado de excelentes intervenções, a negar golos que pareciam feitos.

Edo Bosch defendeu praticamente tudo

O nulo forasteiro subsistiria até ao descanso, que não começou sem alguma atribulação...

Com nove faltas para o Riba d'Ave foi assinalada uma falta perto da área vianense com apenas um segundo para jogar. Os jogadores da casa apressaram-se a impedir a reposição da bola e viram-lhes ser averbada a 12ª falta. Logo de seguida, Florindo Cardoso pareceu sinalizar falta contra o Riba d'Ave, que seria a décima... Mas, algum burburinho depois, a primeira parte do jogo foi dada como terminada por Rui Torres.

Diogo Fernandes festeja o 3-0 que trouxe tranquilidade

O livre directo não caiu no final da primeira parte, mas caiu - já com uma pressão do tempo diferente - logo no primeiro minuto da segunda. Diogo Fernandes não perdoou e fez o 3-0 que tranquilizava definitivamente a equipa da casa. E, seis minutos depois, André Azevedo assinava o 4-0 que dissipava qualquer dúvida que pudesse haver sobre o vencedor do encontro.

Vítor Hugo Moreira apontou o tento - já merecido - de honra do Riba d'Ave

A aguerrida equipa de Riba d'Ave não baixou os braços, mas Edo Bosch ainda vai fazendo a diferença. Sofreria um golo - o de honra dos forasteiros, por Vítor Hugo Moreira - a oito minutos do final, não manchando uma exibição segura. Do outro lado, João Gomes ia desesperando com os livres directos e grandes penalidades que era chamado a defender e, já nos quatro minutos finais, viu o azul num golpe mais duro sobre Tó Silva. Logo de seguida, entre os sete azuis mostrados às duas equipas, seria suspenso Edo Bosch, ficando um guarda-redes de cada lado da mesa...

Francisco Silva fechou as contas do encontro

A frio, entraram João Aurélio - que não conseguiu segurar o forte remate de Tó Silva para o 5-1 - e Jorge Correia, que não sofreria qualquer golo.

Nuno Santos e Francisco Silva fecharam as contas da partida.

No final, Diogo Martinho, adjunto e preparador-físico da equipa às ordens de Renato Garrido, elogiou em conferência de imprensa o trabalho realizado pela sua equipa ao longo de uma semana com três vitórias.

Do lado do Riba d'Ave, Diogo Pereira não estava contente com uma arbitragem "inconsistente". O técnico referiu que, não só nesta partida e não só contra a sua equipa - ou as que sobem da II Divisão -, são assinaladas demasiadas faltas e há demasiadas paragens.

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade