Notícia

Argentina vence Taça das Nações

Apr 16, 2017

A Argentina venceu a Taça das Nações ao bater Portugal na final por 6-5.

Campeão do Mundo e campeão da Europa defrontaram-se na final da Taça das Nações, em Montreux, para um jogo que só seria decidido no derradeiro minuto.

Foi como que um jogo do rato e do gato. Aos golos da Argentina - que nunca esteve em desvantagem -, Portugal respondia sempre com o empate. Foi assim depois do tento inaugural de Matías Platero - empatou Gonçalo Alves - e depois do segundo albiceleste por Matías Pascual, com João Rodrigues a fixar o resultado ao intervalo em 2-2 e a dar início a uma extraordinária prestação da marca de grande penalidade.

A Argentina venceu a Taça das Nações pela terceira vez, depois dos triunfos em 1989 e 1993. Não estava presente desde 2011.

O capitão da selecção portuguesa transformou a primeira grande penalidade ainda na primeira parte e, chamado à tentativa de conversão do castigo máximo mais três vezes, faria mais três vezes golo (a última na recarga), selando um poker que, a três minutos do final, valia o 5-5. Antes, Carlos Nicolía (de livre directo), Matías Pascual e Lucas Ordoñez (também de livre directo) tinham dado vantagem - sempre mínima - aos comandados de Dario Giuliani.

Já no último minuto, Portugal foi "traído" por um jogador que actual no Nacional da I Divisão. Depois de Nicolía (Benfica) ter sido o primeiro a marcar na etapa complementar, Reinaldo Garcia (Porto) apontou o decisivo tento. Desta feita, não houve tempo para uma sexta recuperação, ainda que os portugueses tenham ganho o direito a citar Michael Jordan no seu "I never lost a game, I just ran out of time".

Marcha do Marcador

Primeira parte: 1-0 Matias Platero, 1-1 Gonçalo Alves, 2-1 Matias Pascual e 2-2 João Rodrigues (grande penalidade)

Segunda parte: 3-2 Carlos Nicolía (livre directo), 3-3 João Rodrigues (grande penalidade), 4-3 Matías Pascual, 4-4 João Rodrigues (grande penalidade), 5-4 Lucas Ordoñez (livre directo), 5-5 João Rodrigues (recarga a grande penalidade) e 6-5 Reinaldo Garcia

João Rodrigues e Pedro Henriques os melhores

Apesar do sucesso colectivo não ter sido o desejado, Portugal viu reconhecida a sua excelente prestação com os prémios individuais para melhor jogador - João Rodrigues - e melhor guarda-redes - Pedro Henriques - desta edição da Taça das Nações.

Espanha de bronze

Antes da decisiva partida, a Espanha conquistou o bronze ao vencer a França por 5-3, mas os franceses mostraram uma vez mais que têm de ser tidos em conta, apesar de continuarem a pecar na recta final das partidas.

Os pupilos de Fabien Savreux estiveram à frente do marcador por três vezes e a Espanha só passou para a frente já nos seis minutos finais. Do lado espanhol, que não terminava no lugar mais baixo do pódio desde 1994, Raul Marin esteve em destaque com três golos.

Angola goleia Itália

No jogo de atribuição do quinto lugar, e passe o pleonasmo, "Big" foi grande.

Giulio Cocco abriu o marcador, mas a resposta angolana, liderada por Humberto Mendes, conhecido por "Big", foi avassaladora. O jogador do Noia, da OK Liga, apontou três golos ainda na primeira parte (que terminou 4-2 favorável aos angolanos) e apontou outros três na segunda, contribuindo decisivamente para um surpreendente - pela diferença - 9-4 final.

Chile deixa o anfitrião em último

No duelo entre as duas equipas que ainda não tinham vencido nesta Taça das Nações, foi preciso recorrer ao prolongamento para ver quem fugia ao último lugar da classificação.

Montreux chegou ao intervalo a vencer por 2-1, mas viu a selecção chilena virar o marcador na segunda parte para um 2-4 que parecia condenar desde logo a equipa anfitriã ao lugar menos desejado na tabela classificativa. Mas, já com o resultado na diferença mínima, Esteve Pujals fez a igualdade a quatro a meio minuto do apito final.

Na segunda parte do prolongamento - que só por si já foi um merecido prémio para os organizadores do torneio -, Patricio Puente fez o golo que foi de ouro para o Chile, que assim terminou no sétimo lugar.

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade