Notícia

«Exige-se competência, rigor e profissionalismo»

Jul 05, 2017

Depois da noticiada exposição do Benfica à Federação de Patinagem de Portugal, foi esta terça-feira a vez da Associação Nacional de Clubes (ANACP) questionar o organismo que tutela a modalidade em Portugal.

Reunida em Coimbra, a direcção da ANACP compôs uma exposição que remeteu à Federação, manifestando o seu descontentamento. A falta de comparência do seu associado Benfica - que a ANACP lamenta "numa clara demonstração de menor respeito pelo publico e pelos adversários" - terá sido facilitada pela "falta de legistação apropriada", e tal é o mote para críticas adicionais.

A ANACP remete para Fevereiro deste ano os primeiros contactos no sentido da definição do planeamento para a próxima temporada e do modelo competitivo a adoptar na I Divisão, tardando em haver definição - e até resposta - às propostas elaboradas por aquela Associação em conjunto com os clubes. Tarda em haver também - no entender da ANACP - definição sobre a utilização do marcador electrónico do tempo de ataque, lembrando a ANACP que tal até já foi inclusivamente noticiado na imprensa nacional.

A segunda edição da Elite Cup está agendada para 5, 6 e 7 de Outubro, não havendo garantia que não colida com o calendário da FPP.

As críticas sobre pontos particulares redundam numa crítica mais generalizada, que tem sido recorrente entre clubes e outros agentes: a falta de resposta às questões colocadas.

A exposição da ANACP - que se publica abaixo na íntegra - é um reparo à actuação da FPP, mas não tem a contundência esperada de uma associação que detém 35% dos votos em Assembleia Geral. Exige de forma geral "competência, rigor e profissionalismo" e, no particular, uma alteração regulamentar para precaver faltas de comparência como as que ocorreram na Final Four da Taça de Portugal, mas acaba por não ir mais além, constatando apenas falta de informação e resposta.

A Exposição da ANACP à FPP

«A ANACP – Associação Nacional de Clubes de Patinagem, em reunião de direção, lamenta a falta de comparência de um clube seu associado, Sport Lisboa e Benfica, numa clara demonstração de menor respeito pelo publico e pelos adversários, comprometendo desta forma a ética desportiva na Final Four da Taça de Portugal de Hóquei em Patins masculinos em Gondomar.

A falta de legislação apropriada, motiva a situações que em nada prestigiam uma modalidade no momento em que Portugal é a referência mundial do Hóquei em Patins.

A ANACP exige que a direção da Federação de Patinagem de Portugal proceda à alteração dos regulamentos, para que situações como as ocorridas na Final Four estejam devidamente acauteladas.

Exige-se a quem dirige “o melhor campeonato de hóquei em patins do mundo” competência, rigor e profissionalismo. A ANACP não compreende também, até à data, a ausência do planeamento da próxima época, situação que tem esta associação vindo a solicitar desde fevereiro de 2017, e para o qual, demonstrou a sua vontade e contributo.

Com a época desportiva quase terminada, depois das propostas apresentadas em devido tempo pela ANACP, continuamos sem ter conhecimento se o quadro competitivo terá um novo figurino, conforme delineado em várias reuniões entre a ANACP e os clubes da 1ª Divisão e enviado para a FPP também em fevereiro de 2017, e se, tal como já anunciado na imprensa nacional, a implementação do marcador de tempo de ataque eletrónico será uma realidade para a próxima época, situação com aplicado sucesso e aplaudida por todos na 1ª Edição da Elite Cup.

A ausência de respostas por parte da FPP a questões colocadas quer pelas Associações, quer pelos clubes tem sido prática corrente da direção da FPP que em nada dignifica esta modalidade.»

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade