Notícia

Astros argentinos quase eclipsaram

Sep 08, 2017

Antes de partir para a China, Fernando Fallé acreditava numa surpresa nos quartos-de-final, mesmo sabendo que, caso Angola se apurasse, defrontaria o primeiro do grupo, onde estava o campeão do Mundo e o campeão da Europa.

Angola cumpriu na fase de grupos, "subindo" ao Campeonato do Mundo para defrontar uma Argentina que também venceu o seu grupo de forma categórica e que foi amplamente elogiada. E a primeira parte do encontro dos quartos-de-final apontava para mais uma vitória tranquila da Argentina.

Nos primeiros 25 minutos, os argentinos infligiram tantos golos a Angola, como Holanda, Egipto e Estados Unidos... juntos.

Angola levou o jogo para prolongamento, mas Matías Platero evitou a grande surpresa do Mundial.

No entanto, os golos começaram a surgir para Angola e o guarda-redes Francisco Veludo, do Braga, logrou o que Ângelo Girão, Pedro Henriques, Baptiste Bonneau e Leonardo Barozzi não tinham conseguido, aguentando a sua baliza inviolada toda uma parte de jogo (25 minutos). Tal permitiu a igualdade que levaria o jogo para um prolongamento que a muitos parecia uma miragem.

Apesar da derrota, Francisco Veludo estava satisfeito com a exibição da sua selecção e projectou um jogo de "50/50" com Moçambique para a discussão dos 5º ao 8º lugares. Na discussão estão também Colômbia e Chile.

A exibição angolana mostrou que os astros argentinos são de "carne e osso" e que a albiceleste não é invencível como a primeira fase poderia fazer crer.

Esta sexta-feira, nas meias-finais do Mundial, a Argentina reencontra Portugal depois de, na fase de grupos, ter vencido por 5-2, num jogo que ficaria marcado pela ineficácia portuguesa nas bolas paradas. Depois de Angola ter estado perto de surpreender o mundo do Hóquei em Patins, conseguirá Portugal afastar o actual campeão?

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade