Notícia

Porto vence e complica a vida à Oliveirense

Jan 07, 2018

O Porto venceu por 1-3 em Oliveira de Azeméis, redimindo-se de alguma forma da derrota na jornada anterior na Luz, e deixou a candidata Oliveirense em maus lençóis.

Houve um momento da história do Hóquei em Patins em que a escola catalã de guarda-redes era, de forma inquestionável, a referência máxima naquela posição especifica. E este domingo, Xavier Puigbi e Carles Grau mostraram que o legado se mantém bem vivo.

Quer Carles Grau, quer Xavier Puigbi já conquistaram o Campeonato do Mundo. O guarda-redes do Porto em 2013, ao lado de por exemplo Jordi Bargalló e Jepi Selva (adversários esta tarde), e o da Oliveirense em 2017, na última edição.

Muito cedo num jogo que era praticamente decisivo para ambas as equipas (a sete pontos do líder Sporting), Rafa viu o azul, mas Grau deu cedo mostras que seria muito complicado ultrapassá-lo. Pablo Cancela - entrado para a tentativa de concretização - não conseguiu bater o guarda-redes do Porto.

Os azuis-e-brancos "sobreviveram" aos dois minutos de desvantagem numérica e seriam mesmo os primeiros a marcar. Aos sete minutos, Gonçalo Alves, com um pormenor extraordinário na área de Puigbi, inaugurou o marcador. Mas a vantagem não duraria. Em menos de um minuto, João Souto repôs a igualdade... na única vez que Grau foi batido.

Gonçalo Alves apontou o seu 22º tento no Nacional, cimentando a liderança da lista de melhores marcadores.

O jogo estava aberto, jogado a alta velocidade, e a diferença só seria vincada de bola parada.

A sete minutos do intervalo, Jordi Bargalló dispôs de uma grande penalidade. Ordenada a repetição, o guarda-redes catalão do Porto voltou a sair claramente antes do remate, mas - sem punição - Bargalló, entre o rematar e o reclamar, não conseguiu transformar. Três minutos depois, também de castigo máximo, Gonçalo Alves foi mais eficaz e fez o 1-2 com que se chegaria ao intervalo.

A segunda parte começou de forma mais ponderada, com mais cautelas defensivas, e com o mesmo acerto dos guarda-redes. O que redundou no adiar de novos golos... Aos 10 minutos, o jogo partiu, com o Porto a tentar "matar" a discussão do vencedor e a Oliveirense em busca do empate. Com Puigbi e Grau a defenderem tudo, seria a 10ª falta de cada uma das equipas a sentenciar o jogo.

A cumprir o seu primeiro jogo de castigo, Jorge Silva foi substituído na convocatória pelo jovem colombiano Andrés Castaño, ainda Sub-17.

A sete minutos do final, Hélder Nunes converteu com mestria o livre directo a punir a décima adversária, elevando para 1-3. E, quando foram os azuis-e-brancos a cometer a décima, só com dois minutos e meio para jogar, Grau esteve melhor que Souto e segurou a vantagem que se manteria até ao apito final.

Com esta vitória, os dragões passam a somar 27 pontos, a dois do Benfica e a quatro do líder Sporting, que recebem na próxima jornada, a 17 de Janeiro. A Oliveirense vê os seus adversários na corrida ao título fugirem, estando agora a sete pontos do topo da classificação. Ainda que nada esteja perdido para a equipa de Tó Neves, as contas começam a complicar-se.

Este é o quarto jogo consecutivo da Oliveirense sem ganhar para o Campeonato. Depois de três empates, somou a sua primeira derrota.

Neste jogo, a Oliveirense começou com Xavier Puigbi, João Souto, Jordi Bargalló, Pedro Moreira e Ricardo Barreiros, entrando ainda Pablo Cancela, Jepi Selva, Jordi Burgaya e Nuno Araújo.

O Porto jogou de início com Carles Grau, Rafa, Hélder Nunes, Ton Baliu e Gonçalo Alves, tendo ainda entrado Telmo Pinto, Reinaldo Garcia e Alvarinho.

A dupla de árbitros Ricardo Leão e Miguel Guilherme mostraram azul a Rafa e Jordi Bargalló.

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade