Notícia

Valongo na final, após grandes penalidades

Jun 16, 2018

O Valongo apurou-se para a final da Taça de Portugal, ao bater o Tomar por 5-4 na decisão por grandes penalidades. No fim do tempo regulamentar (e do prolongamento) de um jogo muito intenso, registava-se um empate a três.

Foi desde cedo que o Valongo assumiu a vontade de estar presente na final da Taça de Portugal pela primeira vez, repetindo o feito de um ano antes do seu adversário desta meia-final. A impor velocidade com uma tracção de dois motores - com Daniel Oliveira ("Poka") e Xavier Cardoso ("Xavi") impressionantes -, o Valongo adiantar-se-ia no marcador aos seis minutos e meio, após um ataque rápido, com Diogo Fernandes a finalizar.

Xavi Cardoso e Ivo Silva mantiveram um duelo aceso durante quase toda a partida

A equipa orientada por Miguel Viterbo era mais forte, mas não conseguiria voltar a bater Diogo Fernandes até ao intervalo, e a fase final da primeira parte poderia ter sido fatal. A três minutos e meio do intervalo, um corte de Pedro Mendes com o patim valeu a primeira bola parada - haveriam muitas... - para o Tomar, mas Hernâni Diniz, a entrar para a transformação do livre directo, não aproveitou. No entanto, o Valongo acusou a decisão da arbitragem no lance...

Decisão de arbitral no corte de Pedro Mendes com o patim neste lance, desconcentrou a equipa valonguense

Desconcentrado, o Valongo permitiria o empate num remate de meia distância de João Alves ("Joka") e a reviravolta no marcador, num segundo livre directo, depois de azul a Guilherme Silva, com Sardo a rematar directo para o fundo das redes da baliza à guarda de Leonardo Pais para gáudio dos entusiastas adeptos locais.

O descanso serviu para o Valongo recuperar o foco. O Tomar, com Nuno Domingues limitado nas suas opções pela ausência de Alexandre Marques ("Xanoca"), conteve o entusiasmo e regressou na sua missão de controlar, na expectativa, o jogo. Mas a intensidade do Valongo - principalmente de um Valongo focado - é muito difícil de contrariar.

Poka fez o 2-2 de meia-distância

Aos quatro minutos "caiu" a primeira bola parada para o Valongo, uma grande penalidade que Poka não conseguiu transformar. Mas o empate chegaria dois minutos depois, com Poka a redimir-se de meia distância para o 2-2.

O Valongo continuou a pressionar e ganhou, no mesmo minuto do empate, um livre directo, por azul a Pedro Martins. Diogo Fernandes, o avançado valonguense, não aproveitou perante Diogo Fernandes, o guarda-redes tomarense, e na tentativa de capitalizar a vantagem numérica, o Valongo incorreria na sua décima falta. João Sardo também não aproveitou e seria mesmo, ainda em "powerplay", Diogo Fernandes a bater o seu homónimo para consumar nova cambalhota no marcador. Uma vantagem que não durou...

João Lomba surpreendeu Leonardo Pais para o 3-3 que perduraria até às grandes penalidades

Apenas um minuto após garantir nova vantagem, o Valongo viu Leonardo Pais ser traído num remate de meia distância de João Lomba para novo empate e, este, a três, perduraria, com Leonardo e Diogo a imporem a sua lei entre os postes. Diogo Fernandes a segurar os inúmero ataques do Valongo, Leonardo Pais a destacar-se nas bolas paradas.

Até ao final do tempo regulamentar, Leonardo enfrentaria mais três livres directos, ganhando os três duelos. Depois de novo azul a Guilherme Silva, negou o golo a Ivo Silva. Já nos três minutos finais do tempo regulamentar, na 15ª falta do Valongo, Hernâni Diniz voltou a não justificar a chamada e, com menos de meio minuto para o que seria o prolongamento, foi Paulo Passos que não conseguiu bater o internacional português.

O prolongamento começou com o Valongo em underplay, depois do azul a Pedro Mendes que valera o último livre directo dos 50 minutos regulamentares. Recuperada a igualdade numérica, foi a vez dos valonguenses disporem de um livre directo, pela décima falta do Tomar, mas Diogo Fernandes negou o golo a Poka.

Leonardo Pais foi determinante ao longo da partida e nas grandes penalidades

As equipas arriscaram e procuraram o golo, mas a partida iria mesmo ao desempate por grandes penalidades. Rúben Pereira marcou, Paulo Passos repôs a igualdade e Guilherme Silva, de quem se diz estar a caminho de Tomar, desequilibrou definitivamente com o 5-4 que carimbaria a primeira presença do Valongo na final da prova-rainha.

A final desta edição da Taça de Portugal, entre Porto e Valongo, disputa-se este domingo, a partir das 18h, com transmissão em directo na TVI24.

Marcha do marcador

Diogo Fernandes (1-0), Joka (1-1), João Sardo (1-2) - intervalo -, Poka (2-2), Diogo Fernandes (3-2) e João Lomba (3-3).

Às grandes penalidades foram chamados Joka, Pedro Mendes, Hernâni Dinis, Rúben Pereira (4-3), Paulo Passos (4-4), Guilherme Silva (5-4), João Sardo, Poka e Ivo Silva.

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade