Notícia

Benfica, campeão na II Divisão

Jun 24, 2018

O Benfica sagrou-se este sábado Campeão Nacional da II Divisão, ao vencer o Riba d'Ave por 9-5 no segundo jogo de apuramento de campeão.

Um empate a quatro em Riba d'Ave deixara tudo em aberto para a Luz e, a jogar na sua pista, os pupilos de Hugo Lourenço não deixaram escapar a oportunidade de juntar o título da II Divisão aos 23 alcançados na I Divisão e ao conquistado, em 2014, na III Divisão.

Fundamentalmente com Hugo Santos, Miguel Feio, Filipe Fernandes e João Maló - mais tarde também Xavi Pinho -, o Benfica dominou na primeira fase da partida, construindo uma vantagem que pôde gerir

Os encarnados jogaram na sua pista, em casa, mas a expressão "perante o seu público" seria forçada. Sem adesão dos seus adeptos, os jovens jogadores do Benfica viram a claque do Riba d'Ave dominar - com uma correcção assinalável - para lá das tabelas. Mas não se intimidaram e tomaram desde cedo conta do jogo.

Ainda não estavam cumpridos cinco minutos de jogo quando o campeão do Mundo de Sub-20 Hugo Santos deu o primeiro ar da sua graça, inaugurando o marcador numa picadinha de belo efeito. Seis minutos depois, o profícuo avançado bisaria num remate de meia distância, coroando um bom período em que a equipa minhota tardava em reagir.

Hugo Lourenço

Hugo Azevedo, um treinador-jogador muito interventivo e com a possibilidade de se chegar bem perto em pista aos seus pupilos/colegas, impôs um minuto de pausa para retemperar forças e foco. Mas, pese uma resposta vísivel, seria o Benfica a voltar a marcar, por João Maló.

O golo que o Riba d'Ave já fazia por merecer surgiria já bem perto do intervalo, com dois minutos e meio para jogar, mas uma desconcentração colectiva permitiu a Miguel Feio, num grande slalom individual, repor a diferença de três golos antes do descanso.

Hugo Azevedo teve uma árdua missão de motivação dos seus companheiros, perante o resultado desfavorável

Foi um golpe do qual a equipa de Hugo Azevedo tardou em recuperar, mesmo dispondo de um livre directo no reatamento e de posterior vantagem numérica durante dois minutos. Aproveitaram outros Hugos, Lourenço a partir do banco e Santos eficaz na finalização, para construir uma vantagem que parecia (sublinhe-se o "parecia") decisiva e definitiva. Hugo Santos fez o 4-1 pouco depois de ter terminado a inferioridade numérica, marcando depois de livre directo, para fixar o resultado em 6-1 com 13 minutos para jogar.

Hugo Santos, melhor marcador dos encarnados na temporada, voltou a fazer das suas... cinco vezes

Mas, pouco habituados a perder [só tinham registado quatro derrotas, contando com Taça de Portugal, em toda a temporada] os jogadores do Riba d'Ave foram atrás do resultado. Pressionantes, lograram reduzir para por Daniel Pinheiro e por Viti. Novo livre directo mágico de Hugo Santos valeu o 7-3 a seis minutos do fim, mas Viti e o capitão Raul Meca deram provas da inabalável crença noutro resultado e os dois golos de desvantagem (7-5) com quatro minutos para jogar, pareciam tudo menos impossíveis de anular.

Viti foi expoente da crença do Riba d'Ave, apesar da equipa ter estado a perder por cinco golos

No entanto, o balanceamento atacante, o jogo-pelo-jogo do Riba d'Ave teria o seu preço. O desgaste físico, da partida e de toda uma época pontuada por brilhantismo, já não permitiam recuperar da mesma forma e o peso-pluma Diogo David selou o título encarnado com dois golos que definiram o resultado final.

Diogo David apontou os dois golos da definitiva consagração

A equipa "B" Benfica, baseada na sua equipa de Sub-20, coroa assim uma excelente campanha, com apenas três derrotas (e quatro empates) nos 26 jogos da Zona Sul da II Divisão, e um empate e uma vitória nesta decisão de campeão. O título é o maior prémio a que a equipa de Hugo Lourenço poderia aspirar, dado que o outro prémio, maior, da promoção ao "Melhor Campeonato do Mundo", não é permitido às equipas B, mas os jovens encarnados deixaram provas claras de valor para o disputar.

Derrota no jogo não beliscou comunhão da equipa do Riba d'Ave com os adeptos

Apesar desta derrota, o Riba d'Ave já carimbara o regresso, um ano depois de uma descida polémica, ao convívio dos grandes, sendo acompanhado de Marinhense, segundo na Zona Sul, e Oeiras, que na disputa pela promoção venceu este sábado a Sanjoanense por 7-4, virando o 4-2 de São João da Madeira.

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade