Notícia

Vitória expressiva leva Portugal às 'meias'

Jul 21, 2018

Portugal está nas meias-finais depois de uma vitória folgada frente a Inglaterra por 2-14.

A vitória na véspera - sobre a França e no grupo A - permitiu a Portugal encarar a partida dos quartos-de-final, como quarto do grupo B, com tranquilidade. Mas seriedade e foco.

Hélder Nunes inaugurou o marcador

Sem repetir os erros do jogo frente aos gauleses, o seleccionado português foi assertivo e, aos seis minutos, adiantou-se, num remate forte de Hélder Nunes. A Inglaterra ainda logrou um empate que desorientou um pouco a equipa portuguesa, com o inevitável Alex Mount a bater Pedro Henriques. Mount criou, quase a solo, um punhado de ocasiões para novo golo, mostrando-se o jogador da Sanjoanense num patamar claramente acima dos restantes. Mas não voltaria a marcar. E, aos dez minutos, Jack Tucker viu um azul que comprometeria a boa reacção inglesa.

Alex Mount, de uma qualidade desproporcionada no seleccionado inglês, marcou a Pedro Henriques

Chamado ao livre directo, Rafa [surgiu no cinco inicial no lugar do condicionado Gonçalo Alves] alinhou pela malapata da selecção e não conseguiu bater Allander, mas, num "powerplay" atacado com tranquilidade, Diogo Rafael faria o segundo das contas portuguesas. Um minuto volvido, Rafa, num excelente movimento em rotação, fez o 1-3 e não mais Portugal sairia da frente do marcador.

Luís Sénica já pensava noutro objectivo, o de gerir o esforço da sua equipa para uma meia-final em que já sabia que defrontaria a Itália. E contou com um Vítor Hugo letal para poder mexer nas peças como entendesse.

Thomas Allander ("Tommy") fez o que pôde na primeira parte... e quase sempre bem

O atacante, agora com 33 anos, só estivera num Europeu, em 2006, tendo conseguido sete golos em cinco partidas. E, depois de um golo a Andorra e dois à Áustria, igualou o registou. Apontou dois golos na recta final da primeira parte, ambos a passe de Henrique Magalhães, seu companheiro no Sporting (e com o treinador Paulo Freitas a ver na bancada), e outros dois após o reatamento, nos primeiros quatro minutos. Entre os quatro tentos de Vítor Hugo, destaque para o 1-6, que abriu a segunda parte, conseguido de livre directo, algo que, entre muitas oportunidades, só Hélder Nunes conseguira... no jogo inaugural.

Vítor Hugo marcou quatro golos, um deles de livre directo

Portugal enfrentava agora Oakes na baliza, o que é muito diferente de enfrentar "Tommy" Allander. Principalmente se a defensiva já não cooperar como na primeira parte. Ainda nos primeiros cinco minutos, Daniel Oliveira ("Poka"), faria o 1-8, num remate cruzado, e a vantagem foi aumentando. Gonçalo Alves apontou o nono e Poka fez o décimo, antes da Inglaterra voltar a marcar, a 15 minutos do final, por Jack Tucker.

Henrique Magalhães ofereceu vários golos, mas foi o único que terminou a partida em branco

A selecção orientada por José Carlos Amaral teve nova oportunidade a meio da segunda parte, depois de um azul (incompreensível) a Gonçalo Alves, claramente o jogador com a sorte avessa na selecção nacional. Mount não aproveitou o livre directo e Gonçalo regressou à pista depois de um "underplay" bem gerido, mas teria de sair após nova pancada no joelho, no local onde sofrera na véspera.

João Rodrigues fez três golos na recta final da partida, e soma já 21 neste Europeu

A partida caminhava para o final, mas ainda faltava nos números o contributo de João Rodrigues, cada vez mais destacado na lista de melhores marcadores. À entrada dos cinco minutos finais, João marcou três golos em dois minutos e chegou aos 21 golos na prova, liderando entre os goleadores com mais sete tentos - e até menos um jogo - que Raul Marin. Poka fechou as contas da partida, completando um hat-trick.

Com um golo que selou um hat-trick, Poka fechou as contas da partida

Na meia-final, Portugal defronta então Itália, que venceu Andorra por 2-6, com dois golos de Illuzzi, aparentemente recuperado da pubalgia que o afastou dos primeiros jogos. O jogo será uma reedição da final de Oliveira de Azeméis, que culminou no 21º título português, e está marcado para as 22h locais, com transmissão em directo na RTP1.

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade