Notícia

Já na fase da decisão, Portugal volta a golear

Sep 06, 2018

Foto de capa: Federação de Patinagem de Portugal

Portugal entrou da melhor maneira na fase final do Campeonato da Europa de Sub-17, ao vencer a Itália por 9-3.

Ainda não estava cumprido o primeiro minuto de jogo quando Rodrigo Martins, rematou da linha de meio campo, com Lucas Santos a desviar com um toque subtil para o fundo das redes de Gabriele Irace.

A selecção orientada por Tommaso Colamaria – que vai estar à frente do Monza na Liga Europeia – acusou o golo madrugador dos portugueses e “encolheu-se” em pista. Aos quatro minutos a Itália esboçou uma reacção, valendo Rafa Pacheco para segurar a vantagem, mas Colamaria não deixou de pedir o primeiro desconto de tempo, visando contrariar o ascendente da equipa liderada por Nuno Ferrão.

Mas, apesar de, na véspera, Portugal ter feito dois jogos e a Itália ter descansado, a desconcentração e displicência transalpina custaria caro. Aos sete minutos e meio, Rodrigo Martins, em jogada individual desde a sua área, fez o 2-0 e, no lance seguinte, Gonçalo Gomes, aproveitou as facilidades concedidas para fazer o terceiro. E, aos 10 minutos, Rodrigo Martins chegava ao hat-trick e praticamente “matava” o jogo.

O intervalo chegaria com os quatro golos de vantagem para Portugal, que controlava totalmente as operações, frente a uma Itália que era totalmente inconsequente e incapaz de reagir.

Rodrigo Martins esteve em destaque com cinco golos. Gonçalo Gomes, que bisou, Lucas Santos e Diogo Barata marcaram os restantes golos lusos.

De regresso dos balneários, os italianos surgiram mais agressivos, mais intensos e conseguiriam o golo aos dois minutos, praticamente na primeira jogada de perigo que construíram, com Diego Casari a encostar à boca da baliza.

A Itália estava em crescendo, mas duas “borradas” deitaram tudo a perder. Aos cinco minutos, a 10ª falta foi feita muito longe da baliza transalpina. Lucas Santos não conseguiu bater Irace, mas, com o jogo parado, Luca Lombardi dar-lhe-ia um desnecessário encontrão, que lhe valeria o azul. Em superioridade numérica, Portugal chegaria ao 5-1, com o terceiro do inspirado Rodrigo Martins.

A transmissão do WSE-RH teve narração de Marcello Bulgarelli, que cedeu às emoções do jogo e foi, muitas vezes, mais “tiffosi” da “azzurra” do que responsável de imprensa do organismo europeu, em particular nas críticas à arbitragem.

Repondo a confortável vantagem de quatro golos, que repunha também a igualdade numérca em pista, Portugal manteve a pressão alta e lucraria com isso aos nove minutos. Um azul a Francesco Banini levou Diogo Barata para a marca de livre directo e o capitão português fez o 6-1.

A Itália até reduziu quase de imediato, por Bonarelli, mas voltaria a ficar em inferioridade, com novo azul a Lombardi, e depois de Barata não aproveitar o livre directo. Mas aproveitou o espaço Gonçalo Gomes para marcar do meio da rua o 7-2. Vantagem de novo prontamente reduzida por Bonarelli.

A Itália tentava reentrar no jogo, mas desperdiçaria dois livres directos e uma vantagem numérica de dois minutos, por azul a Lucas Santos. Quando houve azul a Bonarelli, já nos dois minutos finais, o goleador do dia, Rodrigo Martins, não desperdiçou. E, com os italianos já totalmente derrotados, Rodrigo ainda apontou o quinto da sua conta pessoal, fechando o marcador num avolumado 9-3.

No outro jogo de apuramento de campeão, a Espanha venceu a França por 8-2 e partirá para o segundo dia na frente da classificação pelo “ratio” entre marcados e sofridos. Esta quinta-feira, Portugal defronta a França depois de ter vencido por 9-0 no fecho da fase de grupos, ao passo que a Espanha defronta a Itália, que bateu por 3-4 na primeira fase.

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade