Notícia

Concepción vence Intercontinental com poker de Felamini

Dec 17, 2018

Foto de capa: SanJuan8

O Concepción venceu a primeira edição feminina da Taça Continental.

As argentinas, que tinham conquistado tudo o que tinham para conquistar este ano, ainda saíram a perder para o intervalo, mas seriam categóricas na etapa complementar, demonstrando uma qualidade técnica impressionante perante as vigentes campeãs do Velho Continente.

Marta Piquero, que fora decisiva na final da Liga Europeia, deu o mote aos cinco minutos, inaugurando para Gijón. Mas, dois minutos e meio depois, o Concepción empatou por Florencia Felamini. Felamini, apesar de perder pouco depois a oportunidade de virar o resultado ao desperdiçar uma grande penalidade, seria uma das grandes figuras desta Intercontinental.

Pecariam as argentinas a seis minutos do intervalo. Uma falha de marcação permitiu a Nuria Obeso, que há um mês completou 17 anos, receber na área e rematar de pronto para o fundo das redes da baliza à guarda de Anabella Flores.

A vantagem das asturianas justificava-se, por um hóquei mais táctico, mais pensado, assente na experiência internacional de Sara Lolo e Natasha Lee, na certeza que é a jovem Marta Piquero e na qualidade da argentina Julieta Fernandez.

No Concepción, na falta de um quadro competitivo mais exigente e que dê outra visibilidade, há muito talento. Desde logo em “Luchi” Agudo, que na primeira parte tinha sido a gazua do jogo do Concepción e na segunda foi o seu maestro. E Felamini foi a matadora.

Florencia Felamini assinou os quatro golos do Concepción.

Florencia Felamini não é reconhecida como “Luchi”, mas já no jogo com o Benfica tinha deixado bem patente a sua qualidade. E, depois de ter marcado na primeira parte, bisou aos três minutos da segunda, ampliou aos sete e meio e fez o quarto aos nove, destroçando por completo as campeãs de Espanha e da Europa.

O Gijón não mais conseguiria por o seu Hóquei em pista. Sara Lolo ainda dispôs de uma grande penalidade, mas Anabella Flores mostrou – no remate e na recarga – que não permitiria que a vitória escapasse à equipa orientada por Dario Giuliani.

No final, a capitão Lorena Rodriguez, a grande ausente desta Intercontinental, por não ter sido autorizada pelo médico a jogar grávida, ergueu a Taça que consagra o Concepción, a província de San Juan e o Hóquei argentino.

O Gijón, depois de ter sido pioneiro na conquista da Liga Europeia Feminina, em 2007, e na OK Liga feminina, em 2009, deixaria escapar a conquista desta nova competição.

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade