Notícia

A quarta Copa para o Gijón

Feb 26, 2019

O Gijón venceu o Cerdanyola na final da 14ª edição da Copa de la Reina por 3-7 e assegurou a quarta conquista na prova no seu historial.

Apesar das saídas no último defeso de Maria Diez e Anna Casarramona, o Gijón, campeão de Espanha e europeu, mostrou em Reus que continua conquistador… e logo numa prova que deixara escapar nas duas últimas temporadas.

A jogar e a fazer jogar, Marta Piquero seria coroada MVP da final

Na partida decisiva, a equipa asturiana orientada por Fernando Sierra adiantou-se ainda não estavam cumpridos três minutos, por Marta Piquero. O Cerdanyola, que no caminho para a final eliminou dois cabeças-de-série, restabeleceria o empate num remate forte de Gemma Solé e viraria mesmo o marcador aos 14 minutos, num remate de Noelie Paredes em que a guarda-redes Elena Lolo não foi feliz.

O Cerdanyola voltava a ameaçar surpresa – ainda que tivesse deixado o aviso nos “quartos” e nas “meias” – mas o Gijón era claramente superior. A sete minutos do intervalo, Piquero, fadada para as grandes decisões, fez um grande passe para Maria Sanjurjo restabelecer a igualdade, e deu o mote para uma recta final de primeira parte decisiva.

Gemma Solé, habitualmente goleadora no “Sarda”, foi das mais inconformadas ao longo da partida

O Cerdanyola acusou o empate e cederia, em contra-ataque bem gizado, com Sanjurjo a deixar para Sara Roces, o 2-3.

Roces completou 17 anos no passado dia 16, mas tomou de assalto o palco da final. Pouco depois do seu primeiro golo, fez – num remate forte - o segundo… de quatro.

O Cerdanyola recolhia aos balneários em desvantagem, mas com a reviravolta da véspera [esteve a perder por 3-0 com o Voltregà] certamente a acalentar esperança. Mas o Gijón regressou alerta para a etapa complementar e a controlar o jogo com posse de bola.

A ‘teenager’ Sara Roces assinou um ‘poker’

Aos 10 minutos, após lance individual, a consagrada Natasha Lee ganhou uma grande penalidade que a própria desperdiçou, mas pouco depois a inspirada Sara Roces, oportuna numa sobra, elevaria para 2-5. Com o tempo a passar, a desvantagem começava a ser pesada para o Cerdanyola. E um azul a Maria Sanjurjo, aos 15 minutos, ditou a fatalidade do “Sarda”.

Gemma Solé teve oportunidade de reduzir de livre directo após esse azul, mas rematou à figura de Elena. E, a tentar reduzir em powerplay, a equipa catalã foi surpreendida. Julieta Fernandez lançou Piquero para o segundo da sua conta pessoal e um 2-6 para o Gijón que dava início – ainda que a quase oito minutos do final – na bancada.

Só na fase final do jogo é que o Gijón permitiu espaço a Maca Ramos

O Cerdanyola tentou remar contra um destino que parecia traçado, com Maca Ramos, sempre muito vigiada, a ter espaço para o seu Hóquei e a sua meia distância. Num excelente lance da internacional chilena que já representou o Benfica, Julia Canal reduziu para 3-6 à entrada dos cinco minutos finais. Mas já era tarda.

A adolescente Sara Roces, de primeira a meia altura, colocou o ponto final na partida que vale o título ao Gijón nesta que foi a primeira edição conjunta com a Copa del Rey. Apesar dos golos de Roces, Marta Piquero – a jogar e a fazer jogar - foi justamente premiada com o título de MVP.

Copa de la Reina 2019

Quartos-de-final

• Voltregà 3-2 Las Rozas

• Manlleu 4-6 Cerdanyola

• Palau Plegamans 2-3 Vila-Sana (1-1, 1-2 gp)

• Gijón 5-2 Bigues i Riells

Meias-finais

• Voltregà 4-6 Cerdanyola (4-4, 0-2 gp)

• Vila-Sana 0-6 Gijón

Final

• Cerdanyola 3-7 Gijón

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade