Notícia

Porto na 'pole' para as seis derradeiras jornadas

Mar 17, 2019

O Porto venceu o Sporting por 3-1 e isolou-se na liderança do Campeonato Nacional., com três pontos de vantagem sobre os leões e sobre a Oliveirense.

O jogo que muitos apontavam como decisivo, começou com um Porto muito forte, como é característico dos seus inícios de partida. Aceitando esse ímpeto inicial dos dragões, o Sporting baixou linhas e Girão foi diversas vezes chamado a garantir – com máxima eficácia - a inviolabilidade da sua baliza.

Girão negou três livres directos a Hélder Nunes e Nelson Filipe negou dois a Ferran Font.

Até meio da primeira parte, a equipa de Guillem Cabestany esteve por cima, mas esmoreceu ao não conseguir traduzir o caudal ofensivo em golos. O Sporting libertou-se, equilibrou as operações, e também Nelson Filipe, num duelo entre os dois guarda-redes convocados por Renato Garrido para a Taça das Nações, foi chamado a brilhar.

Os primeiros 25 minutos terminariam novamente com o Porto mais perigoso, mas sem conseguir desfeitear Ângelo Girão e o nulo persistiria até ao intervalo.

A etapa complementar começou dividida, com poucos riscos assumidos de parte a parte no ataque e com máximo foco nas missões defensivas. Teriam de ser as bolas paradas a desequilibrar…

A primeira oportunidade, na 10ª falta do Porto, foi para Ferran Font. Mas Nelson Filipe tinha o habitualmente letal especialista leonino bem estudado e negou-lhe o golo. A segunda oportunidade surgiu dois minutos depois, desta feita para o Porto e de grande penalidade. Mas Gonçalo Alves também não conseguiu inaugurar o marcador. Seria à terceira.

Aos 11 minutos e meio, Gonçalo Alves foi novamente chamado à marca de grande penalidade e não falhou, fazendo o primeiro do jogo num remate rasteiro.

O Sporting procurou responder de imediato. A maior agressividade defensiva redundou na 10ª falta, cujo livre directo que Hélder Nunes não aproveitou, mantendo-se o jogo “vivo” e, agora, com os leões a assumirem as expensas do jogo, enquanto os dragões tentavam responder em ataques rápidos.

A seis minutos e meio do final, seria um pouco contra a corrente do jogo que o Porto ampliaria. Num ataque de três para dois, Poka – que representou o Sporting entre 2014 e 2017 – nem precisou de acertar bem na bola para aumentar a vantagem azul-e-branca para dois golos.

Logo de seguida, o mesmo Poka cometeria a 15ª falta, mas, mais uma vez, Nelson Filipe levou a melhor no duelo com Font. As coisas não corriam de feição à equipa de Paulo Freitas… nem a Font, que veria um azul que poderia ter comprometido definitivamente.

No entanto, Hélder Nunes também desperdiçaria o segundo livre directo de que dispôs no jogo, e, apesar da inferioridade numérica, o Sporting chegou ao golo. Matías Platero relançou o jogo a cinco minutos e meio do apito final, mas os leões tiveram de esperar que o cinco estivesse reposto para atacar a igualdade.

O Sporting tentou tudo, e o Porto deu tudo para defender a vantagem. A minuto e meio do fim, Gonçalo Alves e Rafa ficaram “por terra” (sairiam ainda com queixas), com o fisioterapeuta do Sporting, Pedro Roque, a ser chamado a complementar o trabalho de Daniel Cunha, enfermeiro do Porto, sem possibilidade de assistir os dois internacionais portugueses em simultâneo.

Com o terceiro golo, Reinaldo Garcia redimiu-se de uma perda de bola no João Rocha que dera o 5-3 e igualou o confronto directo entre dragões e leões.

Já no último minuto, enquanto se pedia uma grande penalidade sobre Pedro Gil, os verde-e-brancos somavam a 15ª falta. Para Hélder Nunes, à terceira não foi de vez, e o Sporting apostou tudo no empate, tirando Girão para jogar com cinco de pista. Na troca de bola, Font, num jogo pouco feliz, viu um passe interceptado por Reinaldo Garcia, que caminhou para a baliza deserta para fazer o 3-1 que vale, para lá da liderança da classificação, a igualdade no confronto directo.

Oliveirense vence Braga e alcança Sporting

Entretanto, em Oliveira de Azeméis, a Oliveirense cumpria… tangencialmente. O Braga, a protagonizar um excelente campeonato, chegou ao intervalo a vencer, com um golo de Afonso Lima, mas, com tentos de Pablo Cancela, Marc Torra e Xavi Barroso, a Oliveirense virou o marcador.

Juanjo Garcia reduziu para 3-2 a mais de sete minutos do apito final, mas o resultado não sofreria mais alterações.

A Oliveirense continua a três pontos da liderança, mas agora com os mesmos pontos do Sporting, numa jornada em que terminaram os confrontos entre os ditos “candidatos”. Em jogo estão ainda 18 pontos, sendo relevante o caminho definido para as três equipas que têm reais hipóteses de chegar ao título. O Porto defronta Braga (fora), Marinhense (casa), Óquei de Barcelos (f), Riba d’Ave (c), Valongo (f) e Turquel (c); o Sporting medirá forças com Oeiras (c), Braga (f), Juventude de Viana (c), Marinhense (f), Paço de Arcos (f) e Óquei de Barcelos (c); e a Oliveirense tem ainda por disputar os jogos com Marinhense (f), Óquei de Barcelos (c), Riba d’Ave (f), Valongo (c), Turquel (f) e Oeiras (c).

20ª jornada

Jogos

• Porto 3-1 Sporting

• Oliveirense 3-2 Braga

• Oeiras 3-6 Turquel

• Benfica 4-3 Óquei de Barcelos

• Tomar 5-2 Marinhense

• Paço de Arcos 4-4 Riba d’Ave

• Juventude de Viana 2-1 Valongo

Classificação

1º Porto (49 pontos), 2º Sporting, Oliveirense (46 pontos), 4º Benfica (41), 5º Óquei de Barcelos (35), 6º Juventude de Viana (25), 7º Braga (24), 8º Riba d’Ave (23), 9º Turquel (22), 10º Oeiras (20), 11º Valongo (18), 12º Paço de Arcos (18), 13º Tomar (17), 14º Marinhense (10)

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade