Notícia

Luz para o Valongo

Mar 31, 2019

O Valongo venceu, de forma inédita, na Luz por 4-5 e somou três pontos importantíssimos na luta pela manutenção.

Costuma ser um Valongo de peito aberto o que se apresenta na Luz, jogando o jogo pelo jogo, arriscando jogar de igual para igual sem pensar num desfecho final, que, por regra, redunda em derrota. E, por vezes, pesadas, como o 15-4 de 2016/17, o 10-0 de 2014/15, ou o 12-0 de 2013/14, época em que o Valongo se sagraria campeão nacional.

Mas o ponto, esta época, para os lados de Valongo está ao peso do ouro, somando apenas 19 em 21 jornadas antes da deslocação à Luz, onde mora um Benfica que, para o Campeonato, tem pouco (ou nada) em jogo. E Miguel Viterbo montou a estratégia que precisava.

A apresentação das equipas ficou marcada pelos apupos a Paulo Rainha pelos adeptos encarnados, mas o árbitro minhoto só ficaria na mesa

Sem Gonçalo Pinto, que está cedido pelo Benfica, o Valongo apresentou-se com um bloco baixo, sólido e com um Leonardo Pais praticamente intransponível.

O Benfica atacou muito e criou muitas oportunidades, mas nem uma primeira vaga, com Adroher, nem uma segunda, a partir dos oito minutos, com os argentinos Ordoñez e Nicolía, conseguiram bater Pais na primeira parte.

O Valongo espreitava o contra-ataque só pela certa, e raramente com apoios, dando prioridade à solidez defensiva. Mas, quando saíam em ataque, aproveitando o balanceamento do Benfica, os valonguenses eram perigosos. Aos 15 minutos, Carlos Ramos (“Carlitos”) inauguraria mesmo o marcador para os visitantes.

Leonardo Pais esteve intransponível na primeira parte

Carlitos sagrou-se campeão do mundo de Sub-20 em 2017, na China, e, um mês volvido, estreava-se na Luz. Tremeu, abordou os lances com receio… Esta época, ainda com idade Sub-20 (próxima terça-feira deverá regressar à Luz para um jogo nesse escalão), o jogador natural da Sobreira tem-se afirmado no grupo às ordens de Miguel Viterbo, e a audaz picadinha de belo efeito com que fez o primeiro golo (e que repetiria mais à frente) são prova de uma confiança em crescendo.

Nesta primeira parte, o Benfica até conseguiria introduzir a bola na baliza de Leonardo Pais, a três minutos do intervalo, mas “apanhou” o guarda-redes a pedir ao árbitro Paulo Almeida para ir limpar a máscara quando o jogo estava parado. Sem se aperceber da conversa, o outro árbitro – Paulo Carvalho – ordenou o reinício do jogo, que terminaria com a bola no fundo da baliza, mas o lance seria compreensivelmente invalidado.

Diogo Fernandes fechou a primeira parte a marcar, para uma vantagem de dois golos que a equipa de Miguel Viterbo conseguiu ir repondo quando o Benfica marcava

A hipótese gorada, causou ainda mais ansiedade aos encarnados, que veriam Pedro Mendes, isolado, atirar à barra. E, sobre a buzina, Diogo Fernandes, num gesto extraordinário, desviou no ar um “lançamento” de Nuno Araújo desde a sua meia pista para um 0-2 que castigava a falta de eficiência do Benfica.

A equipa de Alejandro Dominguez voltou para a segunda parte a pressionar ainda mais alto, com mais intensidade, e ganhou cedo uma grande penalidade, mas Diogo Rafael não conseguiu transformar em golo. O golo surgiria aos cinco minutos, num dos raros lances em que o Valongo permitiu ao Benfica sair rápido. Nicolía conduziu e deixou para a finalização de Lucas Ordoñez, que festejou quase como que em desabafo…

Ordoñez remata para o primeiro dos encarnados

No entanto, a reacção encarnada acabaria por ser refreada apenas um minuto volvido. Numa grande penalidade, que os encarnados reclamaram ser fora da área, a ordem para repetição levou a protestos de Pedro Henriques, que veria um azul, sendo mesmo “ameaçado” com um segundo… Marco Barros (“Tuga”) entrou para a baliza, mas não evitou o 1-3 por Nuno Araújo.

O jogo continuou na mesma toada de pressão encarnada e com o bloco baixo do Valongo, mas, quer de um lado, quer do outro, as faltas de concentração pelo desgaste eram cada vez mais.

Paulo Almeida, muito contestado pelos encarnados, vai mostrar azul a Pedro Henriques

A meio desta etapa complementar, Lucas Ordoñez, mais rápido a chegar a uma bola perdida, reduzia novamente para a margem mínima, mas, mais uma vez, por pouco tempo. Minuto e meio depois, os encarnados ficaram a reclamar nova grande penalidade – desta feita sobre Casanovas (“agarrado” por Luís Melo), entre muitos lances em que se pediu “penalti” - na área do Valongo, e o jovem – e agora ousado - Carlitos, repetiu a “picadinha” para o 2-4, repondo a vantagem de dois golos.

Numa fase profícua em golos [quatro em quatro minutos], Nicolía voltou a reduzir de grande penalidade, mas o balanceamento dos encarnados proporcionaria mais um contra-ataque, com Ruben Pereira a finalizar após assistência de Carlitos para o 3-5 que os valonguenses seguraram até muito perto do final.

Benfica atacou e rematou muito, mas não foi eficaz

A dois minutos do fim, mesmo a jogar com menos um por azul a Ordoñez, o Benfica dispôs de mais uma grande penalidade que Nicolía, à segunda, não desperdiçou, reduzindo para 4-5. Leonardo Pais reclamou simulação do argentino e viu azul – entrou Bernardo Mendes -, tal como Nuno Araújo, também por protestos.

O jogo ficava em com menos um jogador de cada lado, com muito espaço para se jogar, mas pouco discernimento para se jogar bem.

Carlos Ramos remata, repetindo o gesto, para o 2-4

A cinco segundos do fim, Pedro Henriques viu o segundo azul. Apesar de Diogo Fernandes não conseguir transformar perante Tuga, o atacante do Valongo segurou a bola e garantiu os valiosos três pontos, num feito histórico festejado a preceito.

No próximo fim-de-semana, o Benfica recebe a Oliveirense para defender uma vantagem de 2-3 conseguida na primeira mão dos quartos-de-final. O Valongo, afastado da Taça de Portugal – cujos “oitavos” se jogam também no próximo fim-de-semana – só voltará a competir a 27 de Abril…

Oliveirense “cola” no topo

Na corrida ao título, a Oliveirense recebeu e venceu o Óquei de Barcelos por 6-2, descolando do Sporting e alcançando o Porto no topo da classificação. No entanto, dragões e leões só jogam este domingo.

Os barcelenses até se adiantaram no marcador, com um golo de Gonçalo Nunes aos três minutos e meio, mas a Oliveirense virou – completamente – o jogo antes do intervalo. Xavi Barroso, Jorge Silva e Pedro Moreira, este a bisar, levaram a equipa de Renato Garrido para o balneário a vencer por 4-1.

Pedro Moreira bisou na vitória da Oliveirense

Na etapa complementar, o 5-1 por Marc Torra, ainda não estavam cumpridos cinco minutos, deixou tudo praticamente definido e a Oliveirense pode gerir, quiçá a pensar no desafio do próximo fim-de-semana, para a Liga Europeia. Zé Pedro ainda reduziu, mas Jordi Bargalló fixaria o 6-2 final.

Este domingo, na luta pelo título, cumprem-se os dois jogos em falta na 22ª jornada, com o Porto a receber o lanterna-vermelha Marinhense e o Sporting a deslocar-se a Braga.

Ambas as partidas têm início agendado para as 15h e o jogo dos dragões terá transmissão em directo no Porto Canal.

Juventude de Viana quase “safa”

Na luta pela manutenção, enquanto o Valongo vencia na Luz, outras seis equipas lutavam por preciosos pontos.

Em Viana do Castelo, o objectivo está praticamente alcançado. A Juventude recebeu e venceu o Oeiras por 7-4, e está agora nove pontos acima da linha de água, quando faltam disputar “apenas” 12 pontos.

A equipa de André Azevedo entrou determinada em não deixar escapar os três pontos perante o seu público e, com 11 minutos jogados, já vencia por 3-0 (golos de Gustavo Lima, Nelson Pereira e Francisco Silva). O terceiro tento dos vianenses despertou o Oeiras, que reduziria até ao intervalo para a diferença mínima, com dois golos de Franco Ferruccio (“Tato”).

No entanto, acusando notoriamente o desgaste do jogo a meio da semana, o Oeiras veria a Juventude de Viana fugir paulatinamente no marcador. Suissas, Francisco Silva, Luis Viana e Gustavo Lima elevaram para 7-2, e o Oeiras não conseguiria melhor que reduzir nos derradeiros dois minutos, com um golo de Ezequiel Mena e outro de Tato, a completar um hat-trick. A derrota foi amenizada, mas a equipa de Miguel Dantas e Pedro Feliz não evitou cair abaixo da linha de água…

Apesar do hat-trick, Tato não evitou a derrota do Oeiras, agora nos lugares de despromoção

O Oeiras foi passado na classificação não só pelo Valongo, mas também pelo Paço de Arcos. A equipa de Luís Duarte garantiu a vitória sobre o Turquel com um golo solitário de Tomás Moreira, conseguido logo aos dois minutos, de livre directo, depois de azul a João Souto. Depois estiveram sempre melhor os guarda-redes, Diogo Rodrigues e Diogo Almeida.

Mas o sábado do Oeiras poderia ter sido ainda pior… O Tomar recebeu o Riba d’Ave e, em caso de vitória, teria passado também a equipa da Linha de Cascais. Mas os nabantinos perderam e podem ter comprometido a manutenção. Por outro lado, o Riba d’Ave deu um passo determinado para se manter entre os “maiores” do Hóquei em Patins nacional.

Tomás Pereira inaugurou para os visitantes aos 13 minutos, mas Alexandre Marques (“Xanoca”) fez o 1-1 com que se chegaria ao intervalo. Na segunda parte, Nuno Pereira (“Micolli”) deu nova vantagem à equipa minhota (1-2), ficando guardadas emoções fortes para o derradeiro minuto.

Micolli ampliou para 1-3 à entrada desse último minuto, com Xanoca a reduzir. Pouco depois, João Sardo teve, de livre directo, oportunidade para restabelecer a igualdade, mas não conseguiu bater um inspirado Diogo Fernandes. Quem não desperdiçaria, seria o treinador (afinal, há que dar o exemplo…) Hugo Azevedo, noutra situação de livre directo, batendo, numa execução rápida, Diogo Alves para o 2-4. Com 13 segundos para jogar, os nabantinos ainda lançaram um quinto jogador de pista, mas o resultado já não sofreu alteração.

No que resta do Campeonato, o Tomar terá de se deslocar a Valongo e a Oeiras, onde também fazem muita falta os pontos, recebendo pelo meio um Turquel que também está na luta pela manutenção. A equipa de Nuno Lopes fecha o Campeonato com a recepção à Juventude de Viana.

22ª jornada

Jogos

• Benfica 4-5 Valongo

• Oliveirense 6-2 Óquei de Barcelos

• Tomar 2-4 Riba d’Ave

• Paço de Arcos 1-0 Turquel

• Juventude de Viana 7-4 Oeiras

• Porto vs Marinhense, 31.Mar, 15h

• Braga vs Sporting, 31.Mar, 15h

Classificação

1º Porto*, Oliveirense (52 pontos), 2º Sporting* (49 pontos), 4º Benfica (44), 5º Óquei de Barcelos (36), 6º Juventude de Viana (29), 7º Riba d’Ave (26), 8º Braga* (24), 9º Turquel (23), 10ºs Valongo, Paço de Arcos (22), 12º Oeiras (20), 13º Tomar (18), 14º Marinhense* (10)

(* com menos um jogo, a cumprir este domingo)

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade