Notícia

Era CERS, agora é WSE... mas continua a ser do Lleida

Apr 28, 2019

O Lleida conquistou a Taça World Skate Europe, revalidando o título ao vencer na final o Sarzana por 6-3.

O jogo, arbitrado pelos portugueses Joaquim Pinto e Rui Torres, começou com muitas cautelas, mas desde cedo um Lleida mais perigoso. E a ficar mais perigoso a cada ataque, perante um Sarzana de contenção.

Antes de estarem completos cinco minutos, a atitude mais positiva do Lleida deu frutos. No seguimento de um azul ao argentino Danilo Rampulla, outro argentino Maxi Oruste – que em Itália representou o Valdagno e o Trissino - não desperdiçou o livre directo, inaugurando o marcador. E, menos de um minuto volvido, Roberto Di Benedetto “roubou” a bola sobre a linha divisória e arrancou para bater Simone Corona para o 2-0.

Segurando a vantagem, o Lleida permitiu que o Sarzana de Alessandro Bertolucci fosse crescendo em confiança com o passar dos minutos. E criando perigo, principalmente por Rossi (que sairia lesionado) e por Rampulla. A sete minutos do intervalo, o jovem argentino que está comprometido com o Benfica recebeu na área e rematou em rotação para – com felicidade no ressalto em Lluis Tomàs - fazer o 2-1.

Na segunda parte, o Sarzana entrou com a confiança de uma desvantagem que era “mínima” e facilitou defensivamente. O Lleida apostava no contra-ataque, com algumas situações de superioridade numérica e, ainda não estavam cumpridos três minutos quando César Candanedo e Bruno Di Benedetto combinaram para o golo do internacional gaulês.

Lleida voltou a festejar em casa, um ano depois

Em desvantagem, o Sarzana continuou a jogar no risco e seria recompensado, voltando a reduzir para a diferença mínima pelo capitão Davide Borsi, num remate cruzado. E agradecia ao guarda-redes Simone Corona, que negava sucessivamente o golo aos contra-golpes da equipa da casa.

No entanto, mais experiente, a equipa do Lleida jogava também com as faltas. De oito feitas com cinco sofridas, forçou o Sarzana a chegar à 10ª. E Roberto Di Benedetto não perdoou de livre directo, fazendo o 4-2 aos nove minutos.

Pouco depois, Rampulla também dispôs do livre directo relativo à 10ª falta, mas não conseguiu bater Lluis Tomàs. E, não marcando, o Sarzana sofreria novo rude golpe aos 13 minutos. Na marcação rápida de uma falta, “Xixi” Creus – autor do decisivo penalti na final de 2018 - respondeu da melhor maneira no coração da área e fez um 5-2 que praticamente sentenciava a partida.

A seis minutos do final, a 15ª falta do Lleida permitiu a Fran Ipiñazar – outra jovem coqueluche argentina dos “rossoneri” - reduzir para 5-3, mas a 15ª do Sarzana redundaria em novo golo de Maxi Oruste para o Lleida de livre directo, num aproveitamento máximo daquela marca. Oruste marcou dois e Roberto Di Benedetto um. E, com 6-3 a quatro minutos do fim, pouco mais restava do que aguardar pelo derradeiro apito dos árbitros portugueses.

O Onze de Setembre, cheio, viu o Lleida sagrar-se vencedor consecutivamente da Taça WSE (considerando que sucede à Taça CERS) como antes tinham conseguido Novara (1992 e 1993), Reus (2003 e 2004) e Óquei de Barcelos (2016 e 2017). Com dois títulos, “apanha” Amatori Vercelli, Benfica, Sporting, Porto, Reus e Noia, ficando ainda aquém das três conquistas de Liceo, Novara e Barcelos.

Com a presença na final, Lleida e Sarzana garantiram o direito a disputar – com os finalistas da Liga Europeia - a renovada Taça Continental no início da próxima temporada.

Taça WSE – Final Four

Meias-finais, 27 de Abril

• Sarzana 4-2 Valdagno (1-1, 3-1 prol.)

• Lleida 5-2 Voltregà

Final, 28 de Abril

• Lleida 6-3 Sarzana

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade