Notícia

Paço de Arcos vence Campeão

Nov 09, 2014

O Paço de Arcos recebeu e venceu este sábado o Valongo por 6-5. Depois de a meio da semana ter assustado o vice-campeão nacional, a histórica equipa da Linha levou de vencida o campeão.

Sem poder contar com o habitual titular Carlos Coelho, lesionado, o Paço de Arcos apresentou-se com o jovem Hugo Garcia na baliza, determinante em particular na primeira parte da partida.

Mesmo condicionado, Rui Pereira não falhou nas bolas paradas

O jogo começou praticamente com o tento inaugural para o Paço de Arcos, com Tiago Roquete a festejar ainda não estavam decorridos dois minutos e meio. A perder, o Valongo assumiu as despesas do jogo mas sem conseguir bater Hugo Garcia. O campeão nacional não marcou e sofreu. Aos 15 minutos, Diogo Neves, entrado instantes antes, rematou para o 2-0.

Até ao intervalo, e empurrado por uma numerosa e entusiástica claque que viajou desde Valongo, a equipa de Paulo Pereira pressionou em busca do golo mas em vão. Seria inclusivamente o Paço de Arcos a dispor de uma soberana oportunidade, num livre directo a castigar um azul a Telmo Pinto, mas Nelson Ribeiro não conseguiu marcar.

Nuno Araújo fez um hat-trick para recuperar de uma desvantagem de 3-0

A segunda parte começou com novo golo do Paço de Arcos. Domingos Pinho cometeu grande penalidade (e viu azul) e Rui Pereira - que, com oito pontos na pálpebra, só entrou para marcar bolas paradas - bateu Diogo Sampaio.

Os três golos sem resposta da equipa da Linha começavam a ganhar contornos de escândalo. Mas Nuno Araújo deu um grito de revolta que lançaria a partida para uma fase final repleta de reviravoltas e emoção.

O atacante do Valongo marcou na recarga a uma grande penalidade, de livre directo e num tiro de meia distância, este em "power play", batendo o guarda-redes ainda júnior Duarte Santos, entrado na sequência de um azul a Hugo Garcia.

Restabelecida a igualdade a três com uma dúzia de minutos para jogar, o Paço de Arcos não se deixou ir abaixo. O Valongo pressionava mas chegou à décima falta e Rui Pereira não perdoou, dando nova vantagem aos visitados.

João Beja apontou os golos da reviravolta decisiva

Viviam-se minutos loucos em Paço de Arcos… Ao 4-3 de Rui Pereira, o Valongo respondeu com a reviravolta. A seis minutos e meio do final, Hugo Azevedo e Telmo Pinto marcaram no espaço de oitos segundos mas a vantagem - a primeira e única ao longo da partida para os campeões nacionais - nem um minuto durou. João Beja restabeleceu a igualdade.

As equipas procuraram até ao final chegar-se à frente e a vitória acabaria por sorrir ao conjunto de Paulo Garrido. Já no minuto final, João Beja bisou e fez o 6-5 final.

Em declarações no final da partida, Paulo Garrido destacou a atitude dos seus jogadores, esperando que esta não se perca.

Paulo Pereira não estava, naturalmente, satisfeito. Depois de ter deixado escapar uma vantagem de dois golos a meio da semana, o treinador do Valongo reconheceu que a sua equipa não está bem, quiçá a acusar o peso do título conquistado na época passada.

Jogos relacionados

CD Paço de Arcos
6 : 5
8 Nov 18h00
AD Valongo
Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade