Breve

Guillem Trabal anuncia abandono

Jun 05, 2019

A seis dias de completar 40 anos, Guillem Trabal anunciou - numa carta de despedida publicada nas redes sociais - o abandono da prática do Hóquei em Patins.

Cinco vezes campeão do Mundo e outras tantas da Europa, Trabal fica para sempre como uma referência no que a guarda-redes de Hóquei em Patins diz respeito, disputando o estatuto de melhor de todos os tempos.

Nascido em Voltregà, o guarda-redes catalão cresceu – como muitos de Les Masies – no clube local, num percurso que culminou com a conquista da Taça CERS em 2002, numa final a duas mãos com o Porto em que foi decisivo no desempate por grandes penalidades.

Rumou na temporada seguinte ao Lleida, e alcançou novamente a final da segunda mais importante prova europeia. Perderia para o Reus, para onde rumaria nesse defeso.

Em Reus, afirmou-se definitivamente. Este entre 2004 e 2013 ao serviço dos “rojinegros” e, mesmo na sombra dos títulos do Barcelona, lograria alguns títulos, destacando-se a Liga Europeia de 2009 e a OK Liga de 2011. Neste mesmo ano de 2011, conseguiria a eleição como MVP da máxima competição espanhola (ex-aequo com Marc Gual) num feito que permanece ímpar entre guarda-redes.

Foram várias as vezes que se falou da sua possível saída do Reus. Mas a mesma só seria consumada em 2013, com 34 anos, e para o Benfica. Nos encarnados e no Hóquei português conquistou dois campeonatos e duas Taças de Portugal, somando mais uma Liga Europeia ao seu currículo, bem como duas Taças Continentais e duas Intercontinentais.

Em 2017/18 perderia espaço para o regressado Pedro Henriques, e partiu para Itália, onde esta temporada representou o Valdagno. Chegaria às meias-finais da Taça CERS e dos playoffs da Série A1, mas sem novos títulos antes do anúncio que agora chegou. Ironicamente, o último título conquistado seria a Taça Intercontinental em 2017, numa final que opôs o Benfica ao Reus, os dois emblemas em que mais triunfou.

Conciliando o seu percurso desportivo com a formação académica, tem um currículo invejável para qualquer um entre doutoramento, mestrado, licenciaturas e pós-graduação. E, estudioso de todos os aspectos do jogo, mas principalmente do posto específico que brilhantemente ocupou, desenvolveu um formato de stick que todos os guardiões vão adoptando.

Fechado o capítulo de guarda-redes, aguarda-se que comece a escrever um novo capítulo, como treinador.

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade