Breve

II Divisão termina com Física promovida e Sanjoanense campeã

Jun 09, 2019

Caiu este sábado o pano sobre o Nacional da II Divisão, com duas decisões importantes. Com a subida à I Divisão garantida, Tigres e Sanjoanense decidiam o campeão. Já Física e Carvalhos procuravam garantir a última vaga no Campeonato do Mundo.

Sanjoanense campeã

Depois de uma vitória por 7-1 na primeira mão, a Sanjoanense tinha uma mão (e meia) no título. E, a vencer por 0-1 aos seis minutos em Almeirim, com um golo do internacional inglês Alex Mount, poucos esperariam o que estaria para vir, em particular na etapa complementar.

Paulo Passos – que está de saída para o Tomar – empatou quase de imediato após o golo de Mount e, aos 14 minutos, Pedro Jordão virou o resultado. Mas Pedro Cerqueira faria o 2-2 com que se iria para o descanso.

Havia apenas 25 minutos para jogar e os alvinegros mantinham seis golos de vantagem. Anderson Luís colocou Os Tigres de novo na frente do marcador, mas Xavi Cardoso restabeleceu a igualdade. Agora a três e agora apenas com 16 minutos e meio para jogar.

A reacção foi assombrosa. Em minuto e meio, Os Tigres fizeram cinco golos (!) relançando-se na luta pelo título a 15 minutos do fim, numa “cavalgada” estancada por um desconto de tempo pedido por Vítor Pereira.

Os Tigres de André Luís pressionaram e procuraram o golo que empataria a contenda, mas o passar dos minutos – e das faltas - foi impiedoso.

A equipa almeirinense chegou à 15ª falta (Alex Mount não transformou o livre directo) e, quando “caiu” a 20ª (que José Almeida também não conseguiu converter em golo) os protestos culminaram na expulsão de Paulo Passos e do capitão André Martins (“Keke”)… Os Tigres “morriam na praia” depois de uma recuperação empolgante e a Sanjoanense punha definitivamente – apesar do desaire por 8-3 – as duas mãos no troféu.

Na próxima temporada, Sanjoanense e Os Tigres voltarão a encontrar-se, mas no Melhor Campeonato do Mundo.

Física regressa

Também no Melhor Campeonato do Mundo estará a Física.

Em Torres Vedras, os pupilos de André Gil defendiam uma magra vantagem de um golo conseguida no primeiro jogo (3-4). Mas cedo essa vantagem foi anulada, quando, logo aos dois minutos e meio, João Campos inaugurou o marcador para o Carvalhos. E, quando, já nos derradeiros cinco minutos da primeira parte, a Física logrou igualar – numa grande penalidade transformada por João Campelo –, a equipa de Ricardo Geitoeira respondeu quase de imediato, com Rui Vidal a marcar.

O 1-2 ao intervalo deixava tudo por decidir em 25 minutos.

Fustigado por lances de bola parada, o Carvalhos veria a Física virar o resultado nos primeiros 15 minutos da etapa complementar. João Campelo desperdiçou uma grande penalidade e um livre directo e André Gaspar também não conseguiu transformar um livre directo, mas João Lima foi eficaz em duas ocasiões da marca de rigor e virou para 3-2.

A três minutos e meio do apito final, Rui Vidal fez o 3-3 que relançava a discussão, mas novo lance de bola parada – o livre directo correspondente à 10ª falta da equipa nortenha, transformado por João Campelo – voltava a elevar a fasquia. Que quase foi superada.

Já no último minuto, João Marques fez o 4-4 e, com o Carvalhos a precisar de um golo para levar o jogo para prolongamento, o mesmo João Marques foi para a marca de livre directo… mas não conseguiu converter.

Assim, na próxima temporada, o Carvalhos voltará a disputar a II Divisão, pela quinta temporada consecutiva, ao passo que a Física regressa ao convívio dos grandes depois de três temporadas de ausência.

Com a subida da Física, fica completo o quadro de equipas para o Melhor Campeonato do Mundo, na sua versão 2019/20. O “elenco” será composto por Porto, Oliveirense, Sporting, Benfica, Óquei de Barcelos, Braga, Paço de Arcos, Juventude de Viana, Riba d’Ave, Valongo, Turquel, Sanjoanense, Tigres e Física.

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade