Notícia

«Tinha muita confiança neste grupo»

Jul 19, 2019

Nelson Filipe não falha a chamada à Selecção Nacional desde que foi chamado ao Europeu em Oliveira de Azeméis.

Com Ângelo Girão num “monstruoso” momento de forma, "Filipão” acabaria por jogar “apenas” frente à Colômbia e Chile, os únicos dois jogos que redundaram em triunfos lusos no tempo regulamentar, mas foi fulcral na “família” que se formou e se uniu para conquistar o título.

“Trabalhámos um mês para chegar aqui, para chegar a este jogo. E, depois de chegarmos a este jogo, tinha muita confiança neste grupo, tinha muita confiança na nossa capacidade de sofrimento”, frisou. “Isto, aliado àquela pequena estrela, àquela sorte que todos os campeões têm de ter, acho que foi uma vitória justa”, considerou o guarda-redes que entrará na nova temporada às ordens do seleccionador nacional Renato Garrido, mas na Oliveirense.

Ainda que justa, a conquista esteve longe de ser fácil. “Houve muito sofrimento, principalmente nesta fase a eliminar, fomos sempre pelo menos a prolongamento. Mas este grupo estava muito coeso, muito forte”, explicou.

No triunfo na final, o colega de posição de Nelson Filipe esteve em destaque. Poderá a exibição de Girão servir definitivamente para afastar o preconceito quanto ao ir à baliza? “É uma ideia que se cultiva quando somos miúdos e queremos entrar para o Hóquei em Patins... que aquele que tem menos jeito para jogar à frente vai para a baliza”, gracejou. “Mas depois, com o passar do tempo, a verdade é que muita gente defende que o guarda-redes é um elemento muito importante na equipa”, referiu. “Sem dúvida que o Girão - não só nesta final, mas durante o Mundial - foi um elemento preponderante, acabou por ajudar muito a nossa equipa e tem um papel determinante na nossa vitória”, elogiou.

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade