Notícia

«Nunca perdemos, aprendemos, e hoje foi uma aprendizagem»

Sep 14, 2019

Depois de um trajecto imaculado, a selecção portuguesa de Sub-17 deixou fugir o título na derradeira partida… ao empatar.

Sem o glamour de uma final propriamente dita (em que tem de haver um vencedor, e esse sagra-se campeão), o último jogo do Campeonato da Europa de Sub-17 que decorreu em Torres Vedras de 1 a 7 de Setembro terminou com um empate e uma espécie de “KO técnico”, com a Espanha a sagrar-se campeã por diferença de golos na fase final a quatro.

A precisar dos três pontos, Portugal esteve a perder, mas carregou na segunda parte, conseguindo, no entanto, apenas restabelecer a igualdade. Insuficiente.

Lucas Honório Santos era o rosto do desalento. Tímido perante as câmaras, a contrastar com o jeito desinibido com que se exibe em rinque, “Luquinhas” frisou que só faltou mais um golo.

Neste que foi o seu terceiro europeu no escalão e, depois de ter sido em final de Junho chamado ao Mundial de Sub-19, mereceu a confiança para envergar a braçadeira de capitão e Lucas marcaria nove golos, apontando em cinco dos seis jogos realizados. Só ficaria em branco na final. Tal como Domenech, melhor marcador da prova. Para o futuro fica a aprendizagem.

«Temos de ser mais frios – matadores – no momento da finalização»

A faltar apenas “ganhar” na derradeira partida, o seleccionador Nuno Ferrão lamentou o desacerto na hora de capitalizar o ascendente encarnado, em particular na segunda parte de um jogo que terminaria com um empate a um.

Para o treinador e director-técnico nacional, em Portugal há uma concepção de que é suficiente dominar as partidas e vencer por muitos. Mas tal tira o foco da eficácia e Nuno Ferrão reclama que se olhe mais para esses números na hora de analisar as vitórias. Para que não se falhe nos momentos decisivos.

Para Nuno Ferrão, este foi o quinto europeu à frente da selecção de Sub-17, tendo-se sagrado campeão em 2015 (Luso) e 2017 (Fanano). Nos dois últimos anos, o título cairia para a Espanha nos derradeiros instantes da última partida da prova. Em 2018 porque os espanhóis lograram marcar, em 2019 porque Portugal não o conseguiu…

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade