Breve

Forte conquista Supercopa

Sep 25, 2019

O Forte conquistou a Supercopa ao vencer, na segunda mão, o Breganze por 5-1.

A equipa de “Gigi” Bresciani esteve intratável na primeira parte, chegando a uma vantagem de três golos antes do intervalo. Xavier Rubio inaugurou o marcador, Giacomo Maremmani ampliou e Federico Ambrosio fez o terceiro ao desamparado português Francisco Veludo, reforço do Breganze para esta época depois de ter representado o Amatori Vercelli na pretérita temporada.

Na segunda parte, Diego Mir tentou virar o rumo dos acontecimentos, ainda que se adivinhasse uma tarefa hercúlea. Aos seis minutos, Silvio Costenaro, um jovem de 20 anos, reduziu e alimentou a esperança “rossoneri”.

Mas, perante o seu público, o Forte não facilitaria… Seis minutos volvidos sobre o golo de Costenaro, o capitão Davide Motaran marcou na recarga a uma grande penalidade e repôs a vantagem de três golos e, principalmente, quebrou o ânimo dos visitantes. E, explorando repetidas vezes o contra-ataque, com Veludo a evitar males maiores, a pouco mais de três minutos do apito final, o Forte chegaria mesmo ao 5-1 que acabava definitivamente com a discussão do vencedor, com Motaran a surgir isolado.

Os campeões transalpinos repetem as conquistas de 2014 (frente ao Valdagno) e 2017 (frente ao Lodi) e, com três conquistas, igualam os recordes de Follonica (2005, 2006 e 2007) e Valdagno (2010, 2011 e 2012).

Já no próximo fim-de-semana arranca a Série A1, com Breganze e Forte a jogarem fora. A equipa de Veludo joga na pista do Scandiano, ao passo que o agora detentor da Supercopa, Forte, inicia a defeso do título no pavilhão do recém-promovido Montebello.

Empate na primeira mão

A decisão da Supercopa estava completamente em aberto, depois de um empate a três em Breganze, na primeira mão. Com Francisco Veludo a titular, foi Jordi Burgaya que inaugurou o marcador. Mas, com um bis de Andrea Scuccato, o Breganze virou o resultado antes do intervalo.

Na segunda parte, Giacomo Maremmani repôs a igualdade, mas o Breganze voltaria a adiantar-se, com um golo do catalão Eloi Mitjans. No entanto, Jordi Burgaya bisaria para o 3-3, que seria final depois de Mitjans desperdiçar um livre directo já no último minuto.

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade