Notícia

Com mercado agitado, Itália aponta à próxima temporada

Mar 28, 2020

Quando se esperava uma estabilização nos fatais números diários, a Itália registou esta sexta-feira o seu dia mais negro, registando mais de 900 mortos por CoViD-19, e aproximou-se dos 10 mil mortos (que poderão ser alcançados este sábado) desde o início desta pandemia.

A retoma do Campeonato é para muitos já uma utopia, que antevêem que da reunião do Conselho Federal agendada para meados de Abril saiam a confirmação do fim da temporada como está e as decisões quanto à definição das classificações finais e subidas e descidas de divisão. Ou, tal como aconteceu na Suíça, que a temporada seja considerada nula.

Entretanto, vai-se já preparando a próxima temporada.

O mercado em Itália esteve em ebulição nos primeiros dois meses de 2020 e, entre confirmações de bastidores e acordos noticiados pelo Il Tirreno, já se conhecem várias mudanças quando ainda faltam (ou faltariam…) jogar quatro jornadas na primeira ase para a generalidade das equipas, e mais uma para Lodi, Forte, Bassano e Montebello.

Estrangeiros ‘regulam’ mercado

A federação italiana impõe um limite de três estrangeiros por equipa e o mercado move-se muito em função disso. Mas também haverá mudanças importantes nos bancos.

Do vice-campeão Lodi e actual líder da classificação da Série A1, está de saída o treinador Nuno Resende, pondo termo a uma ligação ao fim de quatro temporadas. Para o seu lugar deverá chegar Pierluigi Bresciani (“Gigi”), treinador do campeão Forte, falando-se da possibilidade de Alberto Orlandi (Biasca) regressar a Itália para assumir a braçadeira de “Gigi” numa equipa que representou como jogador entre 2013 e 2017.

Nuno Resende terá já tudo certo para liderar o Trissino, actualmente conduzido por outro português, Sérgio Silva. Para Trissino, Resende levará João Pinto e é dada como certa a chegada de Caio (Sporting). Mantendo-se o catalão Adrià Català na baliza, esgotam-se as vagas de estrangeiro, o que significará a saída de Reinaldo Ventura e Diogo Neves, apenas um ano depois.

NUNO RESENDE ESTÁ DE SAÍDA DO LODI PARA O TRISSINO E LEVARÁ CONSIGO, PELO MENOS, JOÃO PINTO

O Lodi, que esta temporada conseguira o eito de se apurar para os “quartos” da Liga Europeia, já terá garantido a continuidade de Valentin Grimalt, Domenico Illuzzi e “Checco” Compagno. Mas, para além de João Pinto, está também de saída o goleador Lucas Martinez, que reforçará a portuguesa Oliveirense, e poderá ainda partir o jovem Davide Gavioli para o Trissino.

Entretanto, a saída dos dois estrangeiros já está acautelada, e a Lodi chegarão os catalães Enric Torner (Valdagno), que trabalhou com “Gigi” no Forte, e uma das maiores revelações desta temporada da OK Liga, Jordi Mendez, de 21 anos, e já com 31 golos apontados em 25 jogos pelo Igualada.

Caio é dado como certo no Trissino

No Forte, Davide Motaran e Xavi Rubio têm contrato para a próxima temporada e estará certa a continuidade de Riccardo Gnata e Federico Ambrosio, mantendo-se as conversações pelos valorosos catalães Jordi Burgaya e Marti Casas.

Na classificação aquando da suspensão, entre o segundo (Forte) e o quinto (Trissino), estão Valdagno, de André Centeno, e o Breganze, de Francisco Veludo. Entre as duas equipas será já certa a mudança do técnico argentino Diego Mir para Valdagno, levando consigo o catalão Eloi Mitjans para ocupar, desde logo, a “vaga estrangeira” de ario Gimenez, já oficializado no Óquei de Barcelos. A saída do Valdagno de Enric Torner abrirá portas a mais um estrangeiro e o desejo de Mir será outro seu actual jogador, Gerard Teixidó.

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade