Notícia

«Tivemos muitas oportunidades de os ver e de os analisar bem»

Sep 27, 2020

No rescaldo do Clássico entre Benfica e Porto, Guillem Cabestany e Alejandro Domingues relativizaram o resultado num primeiro passo de uma caminhada de possíveis 39 jogos até à “negra” da final do playoff.

Numa conferência de imprensa em local improvisado, Cabestany reconheceu mérito ao Benfica, apesar do Porto ter entrado bem no jogo. Para o catalão, a vitória encarnada é justa, dado que as águias fizeram tudo aquilo que sabem fazer muito bem e o Porto não as conseguiu contrariar.

O técnico dos dragões saiu com a sensação de que em quase nenhum momento estiveram na luta pelo resultado, o que os obriga a repensar o estado de preparação em que se encontram.

Sem estarem satisfeitos e sem procurarem desculpas na ausência – importante – de Carlo Di Benedetto, Cabestany promete corrigir, trabalhar e melhorar, numa época em que, se se chegar ao playoff, haverá uma parte final “super-espectacular”.

Alejandro Dominguez apontou dois factores determinantes na vitória sobre o Porto. O trabalho como “uma equipa muito sólida”, sem falhas frente a uma equipa que, reconhece, tem muitos recursos ofensivos, e a possibilidade de estudar o adversário.

Ao contrário do Benfica, que acabou por “esconder” os seus particulares, não faltaram oportunidades a Alejandro Dominguez e aos encarnados de verem partidas do rival, esmiuçando todos os aspectos do jogo.

Quanto ao desfecho do Clássico, definido nos detalhes como todos os grandes jogos, é importante, mas apenas um primeiro passo numa prova que não terá a justiça de um modelo regular, mas ganhará em espectáculo com o playoff.

O Benfica procura um título que lhe escapa desde 2016, e que parecia perto quando a temporada foi interrompida em Março. Mas Alejandro Dominguez não quer pensar nisso. O que lá vai, lá vai…

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade