Notícia

'El capitán' da oitava regressa e marca

Sep 28, 2020

A primeira jornada da OK Liga ficou fechada este domingo com um empate a três entre Lleida e Vendrell e uma vitória clara do Reus sobre o Noia por 6-2.

No “emprestado” pavilhão de Bell-Lloc, onde o Lleida actuará como anfitrião enquanto durarem as obras no seu Onze de Setembro, o detentor da Taça WSE não conseguiu melhor que um empate frente Vendrell, recém-regressado à OK Liga.

A equipa orientada por Albert Folguera viu o capitão Andreu Tomàs bisar e Jepi Selva – que em Portugal representou a Oliveirense – apontar de livre directo o terceiro, mas o Vendrell discutiu sempre o jogo e, com golos de Joan Escala, Lluis Ferrer e “Manu” Necchi garantiu um ponto importante numa temporada em que podem descer até 16 equipas.

Em Reus, aguardava-se o jogo grande da jornada, entre duas equipas de Liga Europeia. O Noia dera excelentes indicação na Lliga Catalana e o momento do Reus, que abdicou dessa competição, acabava por ser um pouco desconhecido. Mas convenceu.

Logo aos dois minutos, a equipa de Jordi Garcia adiantou-se com um tento Marc Julià, que ampliaria volvidos dois minutos. E aos 10, Romà Bancells, que esteve a um passo da Oliveirense, ampliava para inusitados três golos de vantagem.

Antes do intervalo, o Noia ainda reduziu, pelo reforço Adrià Ballart, mas, perante o seu público – sim, houve público – ainda que limitado – a assistir à partida – o Reus já tinha o jogo na mão. Após o reatamento, Alex Rodriguez ampliou e, apesar do jovem Roc Pujadas deixar também a sua marca no jogo, o Noia já não conseguiria evitar o triunfo caseiro.

Alex Rodriguez bisou a cinco minutos do final e, como golpe de misericórdia, nos derradeiros instantes do jogo, o regressado Raul Marin fez, de livre directo, o definitivo 6-2.

O regresso de El Capitán

Em Reus, desde que, em 2018, Raul Marin partiu para a quimera do campeonato português, que se fala do seu regresso. O filho pródigo, o capitão da “oitava”, regressou dois anos depois. E marcou.

Em 2017, na Final Four da Liga Europeia em Lleida, com Barcelona, Benfica e Oliveirense na corrida, o Reus era o "underdog". O cinco base de Enrico Mariotti contava com Pedro Henriques, Matias Platero, Albert Casanovas, Marc Torra e Raul Marin e todos viriam, nesse defeso ou no seguinte, para Portugal.

Na final frente à Oliveirense, Marin deu o mote, com o primeiro tento da vitória por 4-1 que valeu a oitava conquista do clube catalão na prova. E Marin ergueu o troféu.

Em 2018, na Final Four do Dragão Arena

No ano seguinte, no Dragão Arena, o Reus caiu nas meias-finais da mais importante prova europeia, mas, na OK Liga, Marin batia o recorde de golos numa só temporada da OK Liga e já campeão do Mundo (2017) e da Europa (2018) reforçou o Sporting, então campeão nacional português.

Cedo deixou a sua marca, apontando nos dois minutos finais a reviravolta para 5-4 que valeu a conquista da Elite Cup sobre a Oliveirense. E, um ano volvido, foi seu o 3-2, a dois minutos do fim, que valeu a Continental – único troféu europeu que faltava aos leões - sobre o Porto.

No entanto, e apesar dos títulos, Marin nunca se afirmou definitivamente de verde-e-branco. A sua integração foi adiada por força de uma lesão, chegando a alinhar pela equipa “B” para ganhar ritmo. Terminava contrato em 2020 e – com um acordo oneroso para o Sporting - desde cedo começou a falar-se do seu regresso a Reus.

“Reusence”, formado no Reus (ainda que com uma passagem formativa pelo Barcelona), estreou-se na OK Liga pelo Alcoy. Regressaria a Reus em 2010, mas em 2013 foi seduzido pelo Barcelona. Não teve na constelação blaugrana o mesmo protagonismo e regressou mais uma vez a “casa”, em 2015, até que em 2018 não resistiu aos muitos milhares de euros de campeonato português em alta.

No Sporting, na conquista da Continental

Completando 34 anos em Outubro, Marin regressa de novo ao Reus. Quiçá definitivamente. À sua espera estavam o “capitão herdeiro” Joan Salvat e Alex Rodriguez, campeões em Lleida, os basilares Candid Ballart e Romà Bancells, que chegaram após esse título, e Marc Julià, que chegou em 2018, para substituir... Marin.

A equipa orientada por Jordi Garcia perdeu os defensores Carballeira (Liceo) e Tiago Rafael (Turquel) e sabe que será mais complicado bater a regularidade do Barcelona na OK Liga do que voltar a surpreender na Liga Europeia.

Marin já ganhou a mais importante prova de clubes por quatro vezes, duas de blaugrana (2014 e 2015), uma no Reus (2017) e outra no Sporting (2019), e nesta nova incursão terá um grupo complicado de ultrapassar, com o regresso às pistas portuguesas de Oliveirense e Óquei de Barcelos, para além dos franceses do Saint-Omer.

OK Liga 2020/21

1ª jornada

• Barcelona 7-0 Palafrugell

• Taradell 3-2 Lloret

• Caldes 5-2 Girona

• Vic 1-3 Calafell

• Mataró 1-3 Voltregà

• Igualada 0-4 Liceo

• Lleida 3-3 Vendrell

• Reus 6-2 Noia

Classificação

1º Barcelona (3 pontos), 2º Reus (3), 3º Liceo (3), 4º Caldes (3), 5ºs Calafell e Voltregá (3), 7º Taradell (3), 8ºs Vendrell e Lleida (1), 10º Lloret (0), 11ºs Vic e Mataró (0), 13º Girona (0), 14º Noia (0), 15º Igualada (0), 16º Palafrugell (0)

2ª jornada

• Liceo vs. Taradell • 2.Out • 20h45

• Noia vs. Lleida • 3.Out • 19h30

• Palafrugell vs. Mataró • 3.Out • 20h

• Vendrell vs. Igualada • 3.Out • 20h

• Calafell vs. Caldes • 3.Out • 20h

• Lloret vs. Barcelona • 3.Out • 20h30

• Girona vs. Reus • 3.Out • 20h30

• Voltregà vs. Vic • 4.Out • 20h

* horas locais, menos uma hora em Portugal continental

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade