Notícia

Illuzzi marca 300 pelo Lodi

Jan 27, 2021

No passado sábado, Domenico Illuzzi chegou aos 300 golos pelo Lodi. Aos 31 anos, o defensor é a referência maior dos "gialorossi" e da selecção italiana. #SerieA1

Depois de construir uma vantagem de três golos, o Lodi viu o Sarzana repôr a igualdade no jogo grande da 16ª jornada. Com cinco minutos para jogar, Domenico Illuzi "arrancou" a 10ª falta e assumiu o correspondente livre directo. Simone Corona ainda adiou... o inevitável. Mantendo a tranquilidade, Illuzzi assinou o golo 300 com a camisola do Lodi, que valeria um tangencial triunfo por 4-3 e o "cavar" do fosso na liderança da fase regular da Serie A1.

Nascido em Bari, no calcanhar da "bota" italiana, Domenico Illuzzi formou-se no Giovinazzo, clube mais importante da região, chegando à equipa principal. Foi treinado pelo mítico Pino Marzella, símbolo do clube e do Hóquei em Patins italiano, e coincidiu na equipa com Dario Gimenez, hoje jogador do Óquei de Barcelos.

Em 2010, rumou ao Seregno, onde Tommaso Colamaria já vislumbrava as ímpares qualidades de um jovem que emergia num campeonato dominado já por veteranos, heróis de outras décadas.

Regressou em 2011 ao Giovinazzo, para uma boa temporada, com Valentin Grimalt na baliza - e com Dario no ataque -, que lhe valeria a chamada ao projecto ambicioso do Lodi, liderado por Pino Marzella que não esquecera aquela defesa com apetência para o golo.

Para além de liderar o Lodi, Illuzzi é um indiscutível na "azzurra", general à frente de um grupo jovem e com imenso potencial

Illuzzi chegou a Lodi em 2012, com João Pinto e Mariano Velazquez, e onde já estava o jovem Matias Platero. Ou "Gigi" Bresciani, ainda sobre os patins mas a assumir a equipa a meio da época.

A tradicional impaciência em Itália levou a sucessivas revoluções no plantel, mas Illuzzi foi sobrevivendo e já com a braçadeira, desde cedo.

Em 2016, chegou o primeiro título. A Coppa, com Paolo De Rinaldis ao leme. No fim dessa temporada, chegou o português Nuno Resende e a coroa nacional. O Lodi conquistou o "scudetto" em 2017 e 2018 e Illuzzi afirmou-se definitivamente como o ícone maior do Hóquei italiano. Na pretérita temporada, a equipa conseguiria um brilhante apuramento para os quartos-de-final da Liga Europeia... mas a pandemia estragou o sonho de uma Final Four.

Em 2019/20, o Lodi conseguiu o apuramento para os quartos-de-final da Liga Europeia, mas a pandemia "tramou" tudo...

Internacional italiano desde 2008, Domenico Illuzzi sagrou-se campeão da Europa em 2014, em Alcobendas, e vice-campeão em 2016, em Oliveira de Azeméis, ainda em fase de afirmação, já totalmente conseguida.

O defensor com número de "ponta-de-lança" [ndr: é o "9"] foi "atacado" no último defeso pelo projecto do Bassano, Roberto Crudelli e da uBroker, mas manteve-se fiel a Lodi. Apesar de muitas mudanças no plantel, com "Gigi" de regresso a equipa tem sido sólida e será a principal candidata ao título apesar da incerteza do playoff.

Illuzzi soma esta temporada 21 golos na Serie A1, apenas atrás de Federico Ambrosio (26), do colega Jordi Mendez (24) e de Marc Coy (22)... Já superou largamente os 16 que conseguira na prova nas duas últimas temporadas, os 19 que marcara na temporada do "bi" e persegue os 31 do ano do primeiro título.

Os estratosféricos registos de 2013/14 (51 golos na fase regular!) ou 2014/15 (43), numa altura em que carregava a equipa, estão longe, mas o foco, agora com outra maturidade, é nos superiores objectivos do Lodi.

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade