Notícia

«A pista estava impraticável, mas o árbitro quis jogar»

Jan 28, 2021

Foto de capa: Clube Hóquei dos Carvalhos

As alegadas condições para jogar no Pavilhão dos Desportos da Sanjoanense caíram mal no Carvalhos. O treinador Óscar Alves dá voz à revolta do grupo e sai em defesa da segurança das atletas. Independentemente da equipa que representem. #HóqueiFeminino

O Pavilhão dos Desportos da Sanjoanense tem estado à mercê das condições atmosféricas e, esta quarta-feira, mais uma vez, a equipa sénior masculina não pode ali jogar, disputando o seu jogo com o Óquei de Barcelos em Oliveira de Azeméis.

Entre os agendados duelos dos masculinos, a equipa feminina foi a jogo com os Carvalhos, com o treinador sanjoanense a assegurar que as condições da pista era suficientes. O treinador dos Carvalhos, Óscar Alves, faz sua a voz de revolta do seu grupo.

"A pista estava impraticável", conta-nos. "Antes de começar o jogo, as capitãs [Maria Inês Ferreira e Ana Mafalda Silva] vieram ter comigo e disseram-me que o piso não estava em condições. Por elas, adiávamos o jogo", detalha Óscar Alves.

A decisão de avançar com a realização da partida seria do árbitro. "O sr. António Santos decidiu que havia de fazer o jogo", garante, tendo o treinador do Carvalhos comentado com o seu delegado que qualquer lesão seria à responsabilidade do árbitro.

"Houve inúmeras quedas, por exemplo da Renata Balonas. A nossa Raquel Santos nem conseguia arrancar e as atletas nem iam às tabelas de fundo... quando iam, caíam logo", lamenta Óscar Alves, que não se revê nas declarações do seu homólogo da Sanjoanense, Jorge Moreira. "O que disse foi moralmente desonesto", aponta.

"Antes de mais, há que preservar a integridade das atletas. Quer dos Carvalhos, quer da Sanjoanense. A questão do piso é inqualificável. O jogo dos masculinos foi adiado às 16h30 e começámos a aquecer por volta das 18h30. Mesmo com as ventoinhas ligadas, o piso estava escorregadio. Não era viável, nem na Sanjoanense, nem em lugar algum", sublinha, ressalvando que a sua posição não é de forma alguma em função do resultado.

"Foi um jogo muito bem disputado, muito bem equilibrado, foi um belíssimo jogo. O piso não estava em condições de se jogar, mas estava igual para os dois. Não tiro o mérito à vitória da Sanjoanense", assegura.

"E foi uma belíssima arbitragem", garante, mas vinca que foi uma decisão de risco. "Sabendo de antemão que a equipas seniores masculinas tinham adiado o seu jogo, não se percebe o critério. O árbitro quis jogar, mas era perigoso. Não é uma questão de velocidade, qualquer queda desamparada podia resultar numa lesão mais grave. E, numa situação de pandemia, com os hospitais como estão, como faríamos?", questiona.

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade