Notícia

Num último (e polémico) suspiro

Mar 22, 2021

No fecho da 24ª jornada, o Porto garantiu o triunfo na pista da Sanjoanense nos últimos instantes, com um golo de Reinaldo Garcia. O início da decisiva jogada motivou muitos protestos. #PrimeiraDivisão

À entrada do último minuto da 24ª jornada, Sanjoanense e Porto estavam empatados a dois depois de uma partida bem disputada em que a equipa de Vítor Pereira confirmava os argumentos dos empates na recepção a Benfica (4-4) e Sporting (3-3). O Porto, que chegara à igualdade a cinco minutos do fim, carregava em busca da vitória e dava espaços, permitindo aos alvinegros algumas boas ocasiões para decidirem o jogo a seu favor.

Com poucos segundos no marcador, Reinaldo Garcia arrancou de junto da sua baliza deixando para trás Tiago Almeida, queixoso de ter sido atingido na face, numa acção que Florindo Cardoso, muito próximo, não entendeu faltosa. Com vantagem numérica, o Porto foi eficaz, com o próprio Reinaldo a selar o triunfo numa picadinha em que mostrou muita serenidade.

Os protestos pelo início do lance foram muitos. Não só a Sanjoanense ficou com menos um para defender o temível ataque do Porto, como seria a 10ª falta dos dragões. Mas, tal como se adivinha para o comunicado da Associação de Patinagem de Aveiro (a que a Sanjoanense pertence) a meio da semana, saindo em particular em defesa da Oliveirense, os protestos redundariam em coisa nenhuma.

O Porto adiantou-se cedo, aos três minutos, por Gonçalo Alves, mas a Sanjoanense - que não contou com o cedido Hugo Santos - restabeleceria a igualdade apenas três minutos volvidos, pelo argentino Facundo Navarro.

Faltou aos dragões, que inevitavelmente assumiram o jogo, alguma da dinâmica das últimas partidas e algum engenho para bater o inspirado guarda-redes Tiago Freitas. A Sanjoanense espreitava o ataque e ia criando algumas situações de perigo.

A meio da segunda parte, João Lima, com grande parte da sua formação cumprida nos azuis-e-brancos, cumpriu as ameaças e colocou os da casa na frente, para potenciais três pontos que poderiam ser decisivos para a manutenção e para atacar um lugar no playoff. Não faltaram oportunidades à equipa de São João da Madeira para "matar" o jogo, antes e depois de Carlo Di Benedetto, já quando o Porto estava no "tudo por tudo", fazer o 2-2, mas Xavi Maliàn atravessa um extraordinário momento. O 2-3 seria um castigo pesado para o grupo orientado para Vítor Pereira, mas um prémio para os de Cabestany, que mantiveram a cabeça fria para a reviravolta nos últimos cinco minutos e nos derradeiros instantes.

Com estes três pontos, o Porto chega aos 60 pontos e, se vencer os já despromovidos Os Tigres na próxima jornada, garante o triunfo na fase regular antes da pausa pascal.

24ª jornada

Benfica 5-2 Turquel

• Tomar 2-2 Juventude de Viana

Oliveirense 4-3 Braga

Famalicense 2-1 Valongo

• Riba d'Ave 3-7 Sporting

• Os Tigres 4-5 Óquei de Barcelos

• Sanjoanense 2-3 Porto

Classificação

1º Porto (60 pontos / 24 jogos)

2º Óquei de Barcelos (57 / 24)

3º Sporting (50 / 22)

4º Benfica (49 / 24)

5º Oliveirense (48 / 23)

6º Tomar (36 / 23)

7º Valongo (27 / 23)

8º Juventude de Viana (26 / 24)

9º Famalicense (23 / 24)

10º Sanjoanense (23 / 24)

11º Braga (23 / 24)

12º Turquel (18 / 23)

13º Riba d'Ave (18 / 24)

14º Os Tigres (10 / 24)

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade