Notícia

«Dói-me não ter terminado mais acima»

Apr 19, 2021

A vitória do Benfica sobre o Óquei de Barcelos determinou que as águias terminam a fase regular em quarto e os galos em terceiro. Os técnicos desejavam mais, mas está tudo em aberto para o play-off. #Reacções #Video #PrimeiraDivisão

As palavras que dão título a esta peça são de Alejandro Dominguez, técnico do Benfica, mas podem resumir também o sentimento de Rui Neto, que ambicionava na Luz segurar o segundo lugar.

"Vinhamos com o objectivo claro de vencer o jogo", constata o treinador minhoto. "Fomos competentes durante 47 minutos e meio, mas acusámos ansiedade, algumas dores de crescimento", analisa, referindo-se aos minutos finais. Assumindo a responsabilidade pelo risco tomado nesta partida, Rui Neto faz um "balanço excelente", não só pela classificação, como pela qualidade de jogo que a equipa apresenta.

Antevendo o embate com o Tomar nos quartos-de-final, à melhor de três, o técnico barcelense considera a sua equipa superior, mas a ter de o mostrar em pista. Esta fase final será exigente e nem a ausência da decisão da Liga Europeia - com o desgaste físico e emocional que acarreta - poderá pesar no desequilíbrio das partidas. "Hoje em dia as equipas já estão preparadas", aponta Rui Neto, deixando um alerta. "Não tenho dúvidas que, havendo favoritos para as eliminatórias, não vão existir jogos fáceis", vaticina.

O único embate a que Rui Neto não aponta um favorito teórico claro é aquele que terá frente-a-frente Benfica e Oliveirense.

Com a equipa de Oliveira de Azeméis a perder na recepção ao Porto, os encarnados até se podiam dar ao luxo de perder, mas Alejandro Dominguez, alegando desconhecer o desenrolar desse jogo, queria vencer. "Queríamos ganhar para dar continuidade a uma dinâmica e uma maneira de estar", aponta. O triunfo por 5-4 foi o quarto consecutivo para o campeonato, uma série inédita esta temporada para as águias, a que se juntam dois triunfos na Liga Europeia.

Reconhecendo que a equipa não fez um bom jogo, o técnico argentino elogiou a capacidade do grupo se manter estável até final, focado. "Nos momentos decisivos, a equipa tem de estar serena", aponta. E as próximas decisões são frente à Oliveirense, com a vantagem de jogar em casa num eventual terceiro jogo.

"Para mim, mesmo que não tenhamos os nossos adeptos, é importante jogarmos na nossa casa. Dói-me ter terminado em quarto e não mais acima", refere Alejandro Dominguez, lamentando que essa "vantagem" possa ser só nos quartos-de-final.

A Oliveirense visita no próximo sábado a Luz, depois de ali ter empatado recentemente a dois. Na altura, Alejandro reconheceria que Paulo Pereira souber anular a sua estratégia inicial e já terá pensado noutra "receita". Ou nuances da original. "Os planos não mudam muito. Com pequenas nuances, que não vou contar agora, mas não mudam muito...", explicou.

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade