Notícia

Os árbitros da fase regular

Apr 23, 2021

Esta sexta-feira são conhecidas as primeiras nomeações para os play-off. Entre os 28 árbitros chamados na fase regular, destacamos alguns números sobre o desfecho dos jogos em que intervieram. #Arbitragem #PrimeiraDivisão

Os 182 jogos da fase regular já lá vão e este sábado arranca o decisivo play-off. Das sete partidas de cada jornada, passamos, nos "quartos" a apenas quatro jogos, para os quais devem ser escolhidos os melhores árbitros. Provavelmente os que mereceram mais vezes a confiança na fase regular. Numa análise meramente quantitativa, olhamos para os 28 árbitros chamados à fase regular do Campeonato Nacional da I Divisão.

Rui Torres, o mais chamado

O árbitro minhoto Rui Torres foi o mais chamado nas 26 jornadas da fase regular, contabilizando nestas 23 jogos arbitrados. Seguem-se Joaquim Pinto, com 22 chamadas, e Pedro Silva e Pedro Figueiredo, ambos com 21, a fecharem o "grupo" que ultrapassou as duas dezenas de nomeações.

Pese o número de chamadas de Rui Torres e Pedro Figueiredo, o Minho não é o Conselho Regional de Arbitragem (CRAHP) com mais nomeações. Tal recai no Porto, com 121 nomeações de oito árbitros, seguindo-se Lisboa, com 76 nomeações de seis árbitros. O Minho surge e terceiro, mas com 72 nomeações de "apenas" quatro árbitros, merece um destaque particular.

A lista completa de nomeações foi a seguinte:

Porto (121 nomeações / 8 árbitros): Joaquim Pinto (22), Pedro Silva (21), Porfírio Fernandes (18), Silvia Coelho (18), José Pinto (15), Manuel Fernandes (12), José Manuel Pereira (8) e Pedro Miguel Sousa (7)

Lisboa (76/6): Luís Peixoto (20), Miguel Guilherme (17), Ricardo Leão (16), João Duarte (15), Paulo Gonçalves (5) e Joaquim Sequeira (3)

Minho (72/4): Rui Torres (23), Pedro Figueiredo (21), Carlos Correia (14) e Florindo Cardoso (14)

Aveiro (49/4): António Santos (13), Manuel Oliveira (13), André Portal (12) e Paulo Almeida (11)

Leiria (24/2): Paulo Carvalho (13) e Vítor Roxo (11)

Ribatejo (11/1): Teófilo Casimiro (11)

Alentejo (11/3): Jaime Vieira (4), João Martins (4) e João Catrapona (3)

Luís Peixoto e Miguel Guilherme na dupla mais repetida

Num paradigma em que as duplas de árbitros não são fixas, o árbitro que mais vezes apitou com Rui Torres foi Florindo Cardoso, em cinco ocasiões. Tantas como Pedro Silva com Joaquim Pinto, Pedro Figueiredo com Carlos Correia ou Luís Peixoto com Ricardo Leão. Mas estas não são as duplas mais vezes nomeadas.

O "troféu" vai para Luís Peixoto com Miguel Guilherme, com seis nomeações conjuntas.

Pontos e golos

Luís Peixoto é também um dos árbitros que apitou mais vezes a mesma equipa. O árbitro de Lisboa dirigiu o Turquel, em sete ocasiões, tantas como Porfírio Fernandes esteve em partidas do Riba d'Ave. No entanto, com desfechos bem diferentes.

Porfírio Fernandes só "valeu" três pontos aos ribadavenses nas partidas que arbitrou, ao passo que, nos jogos arbitrados por Luís Peixoto, o Turquel conquistou 14 pontos dos seus 24. Um número impressionante, mas ainda assim superado. Por Ricardo Leão, em seis jogos que apitou o Sporting, conquistando os leões 15 pontos.

Por outro lado, entre os árbitros que não "apadrinharam" qualquer ponto às equipas que apitaram, destaque para Vítor Roxo (Leiria), que apitou cinco vezes Os Tigres... sem sorte para os de Almeirim. Entre os assumidos candidatos ao títulos, nota para a aziaga relação da Oliveirense com Rui Torres. O árbitro minhoto apitou quatro vezes a equipa de Oliveira de Azeméis sem esta lograr qualquer ponto.

Noutras contas, Joaquim Pinto é o que "vale" mais vitórias em casa, com 13. Segue-se Rui Torres, com 10. Luís Peixoto, Miguel Guilherme e Rui Torres foram os que estiveram em mais empates, em seis. E Pedro Silva, Porfírio Fernandes e Silvia Coelho - por mera curiosidade, todos do Porto - são os mais "agradáveis" para os visitantes, estando cada um em nove triunfos "fora". Deste trio, no entanto, só Silvia Coelho esteve em mais vitórias "fora" do que em casa.

Silvia esteve em oito vitórias caseiras, um empate e nove vitórias de visitantes, tendo outros três árbitros estado em mais vitórias "fora". Joaquim Sequeira (1-0-2), Florindo Cardoso (5-2-7) e Paulo Almeida (3-2-6) são os outros, sendo que Paulo Almeida, com apenas 27% de vitórias dos anfitriões, é mesmo o que se revela pior "convidado".

Em termos de "sal", de golos conseguidos, merecem destaque as 13 partidas de Paulo Carvalho, com uma média de 8.8 golos por jogo. Já João Martins, nas quatro partidas que apitou, e Joaquim Sequeira, em três, não "permitiram" mais do que cinco golos por jogo.

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade