Notícia

Quatro timoneiros em busca do título

May 15, 2021

Paulo Freitas (Sporting), Paulo Pereira (Oliveirense), Alejandro Dominguez (Benfica) e Guillem Cabestany (Porto) estão no Luso para reclamar um título que só Freitas ganhou. O técnico dos leões defende a conquista em 2019. #LigaEuropeia

Pese o imenso talento dos planteis à sua disposição, para Paulo Freitas, Paulo Pereira, Alejandro Dominguez e Guillem Cabestany nunca será suficiente apenas "dar corda aos bonecos" e o trabalho ao longo da época e a capacidade de analisar o desenrolar as partidas que terão lugar no Luso serão fundamentais para a conquista da Liga Europeia.

Paulo Freitas, que completa 53 anos em Junho, defende o título conquistado pelo Sporting em 2019. É o único entre os quatro que logrou a consagração na prova máxima de clubes e não apenas como treinador, tendo também erguido, como jogador, a então Taça dos Campeões Europeus  pelo Porto em 1990.

No Sporting desde Março de 2017, Freitas baseou a conquista da Liga Europeia em 2019 (e da Taça Continental posteriormente) numa estratégia de solidez defensiva, com Ângelo Girão imperial a defender o (pouco) que passava por Henrique Magalhães e Matías Platero. Gonzalo Romero era o dinamizador de jogo e a sua importância na equipa cresceu, sendo hoje o mais desequilibrador do conjunto verde-e-branco.

Na pretérita temporada, a defesa do título ganho no João Rocha não corria pelo melhor. Aliás, já estava perdido, com o afastamento matemático dos quartos-de-final consumado. Mas a "malfadada" pandemia cancelaria a época, deixando o título à guarda dos leões.

Este não seria o primeiro título europeu de Paulo Freitas, tendo conquistado em 2016 a Taça CERS pelo Óquei de Barcelos. No ano seguinte, quando rumou aos leões, deixou os "galos" na Final Four da mesma prova.

Paulo Pereira, de 52 anos, pegou em 2017 na equipa moldada por Paulo Freitas e concretizou a conquista da segunda Taça CERS consecutiva (terceira da história) pelo Óquei. Está agora na primeira temporada no comando técnico da Oliveirense, clube que representou enquanto jogador. Afastado nos quartos-de-final do play-off, teve mais três dias que os restantes para pensar em exclusivo na estratégia para esta Liga Europeia. Terá sido um mal que veio por bem em busca da primeira conquista oliveirense na prova?

Guillem Cabestany completa 45 anos em dia de tentar a terceira final consecutiva numa prova em que os dragões parecem "amaldiçoados".

Alejandro Dominguez, de 50 anos, chegou ao Benfica em Dezembro de 2018 como campeão da Europa e do Mundo - no masculino e no feminino - por Espanha, mas sem qualquer título internacional de clubes como treinador principal, no Reus. Era adjunto do mestre Carlos Figueroa na conquista da Liga Europeia de 2009 e assumiu o comando técnico dos "roginegros" na temporada seguinte. Sairia oito temporadas depois, após uma derrota na final da Taça CERS de 2015 para o Sporting que o deixou em lágrimas. E o Reus voltaria a conquistar a Liga Europeia dois anos depois...

Guillem Cabestany é o "benjamim" entre os quatro treinadores, mas o que há mais tempo está na equipa. O técnico catalão, que completa 45 anos em sábado de meias-finais, está no Porto desde 2015 e a sua saída, volvidas seis temporadas, é certa no final da época.

Num Porto conquistador em Portugal, mas "amaldiçoado" na Liga Europeia desde 1990, Cabestany chegou à final nas duas últimas edições, mas o título teima em escapar-lhe. Antes, em 2013, conquistou a Taça CERS por um Vendrell a que deu uma dimensão ímpar na sua história.

Nas meias-finais da edição deste ano, haverá táctica de Cabestany contra a estratégia de Pereira e as ideias de Dominguez contra a concepção de Freitas. Em busca de um lugar na final.

Meias-finais

• MF1 • Porto vs. Oliveirense • 15.Mai • 17h

• MF2 • Benfica vs. Sporting • 15.Mai • 21h

Final

Vencedor MF1 vs. Vencedor MF2 • 16.Mai • 17h30

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade